SPD realiza sexto ciclo de monitoramento de CTs em 2017

1 de novembro de 2017 # # # #

Fernando Brito - Assessoria de Comunicação da Secretaria Especial de Políticas sobre Drogas (SPD)

Avaliação das instituições acontece ao longo do ano

A Secretaria Especial de Políticas sobre Drogas (SPD) inicia, na próxima semana, o sexto e último ciclo de monitoramento de 2017 nas Comunidades Terapêuticas (CTs) que prestam serviços à pasta e à Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad). As instituições realizam o acolhimento de pessoas com problemas relacionados à dependência química.

O monitoramento ocorrerá, primeiramente, em CTs localizadas na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). O prazo para a conclusão do trabalho é até meados de dezembro próximo. Técnicas da Coordenadoria de Políticas sobre Drogas (Copod) da SPD realizarão a atividade. Atualmente, 19 CTs prestam serviços à SPD e à Senad no Ceará, com a oferta de 513 vagas.

O trabalho nas CTs consistirá na avaliação das condições oferecidas pelas instituições para o acolhimento dos usuários encaminhados. Dentre os itens avaliados estão limpeza, higiene, alimentação e oferta de atividades de autocuidado.

Por encaminhamento da SPD ou de unidade da Rede de Atenção Psicossocial (Raps), as comunidades terapêuticas recebem pessoas que desejam e necessitam de um espaço protegido, em ambiente residencial, para auxiliar na recuperação da dependência química. O acolhimento é voluntário e custeado por recursos públicos. O tempo de permanência varia de seis a nove meses, dependendo da avaliação de cada indivíduo.

A secretária Especial de Políticas sobre Drogas, Aline Bezerra Câncio, lembra que o monitoramento das CTs visa assegurar o atendimento adequado aos acolhidos. A gestora reforça que, atualmente, são disponibilizadas 513 vagas para acolhimento nas instituições.