Inaugurada nova unidade prisional em Itaitinga com capacidade para 600 vagas

16 de novembro de 2017 # # #

Thiago Sampaio - Repórter
Marcos Studart - Fotógrafo

Auxiliar na redistribuição dos internos e aliviar o excedente no sistema penitenciário, com foco na ressocialização via a educação e o trabalho. Esses são alguns dos principais objetivos da Unidade Prisional Professor José Sobreira de Amorim, inaugurada pelo governador Camilo Santana na tarde desta quinta-feira (16), em Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza. Ao todo, são 600 vagas, destinadas ao público masculino, numa área de 11.114,06 m², com investimento de aproximadamente R$ 24 milhões.

Camilo, que assistiu à apresentação do coral Vozes da Liberdade, formado por internas do presídio feminino, visitou as instalações do equipamento. A unidade leva o nome do avô dele e será pautada pelas atividades de inclusão via educação.

“Agradeço a homenagem ao meu avô, que era professor da UFC, para além da cobrança de minha mãe que essa unidade seja um exemplo, quero dizer que continuarei investindo na educação, o melhor caminho para construir um país melhor. A sociedade nos cobra com justiça. Tenho implantado o Raio, fiz o maior concurso da PM da História, fiz o concurso da Polícia Civil, e vamos chamar mais 730 inspetores e escrivães. Nunca se prendeu tanta gente no Ceará. Fica aqui o nosso apelo por maior celeridade nos julgamentos pelo Poder Judiciário. Essa unidade tem 600 novas vagas. No meu governo foram criadas 1900 vagas e, até o fim do próximo ano, serão mais 2.500 novas vaga. Criamos um lei para que os internos possam realizar atividades. Faremos um polo industrial em Itaitinga, em que 90% da mão de obra será dos presos”, apontou Camilo. Ele foi antecedido por sua mãe, a assistente social Ermengarda Sobreira e pelo jurista Paulo Bonavides, que discursaram em homenagem ao professor José Sobreira de Amorim.

O prédio conta com setores administrativo, triagem, espaço de espera para visitantes, quadra polivalente, 12 guaritas, salas de aula, módulo de saúde, vivências, 14 celas exclusivas para dependentes químicos, alojamento de agentes, oficinas e espaços multiusos.

A secretária da Justiça e Cidadania, Socorro França, destacou a importância do trabalho de ressocialização dos egressos do sistema penitenciário. “Hoje temos cerca de 27 mil presos no nosso sistema. Fora essa que estamos entregando hoje, vamos inaugurar outras cinco unidades, incluindo uma feminina, outra de regime semiaberto e outra de segurança máxima. Para que nosso preso ressocialize é preciso ação. Todas as unidades daqui pra frente têm dependências para fazer desintoxicação das drogas. Aqui tem quatro galpões para a instalação de indústrias, com redução de impostos, para que eles trabalhem. Estamos correndo com essa tarefa de minimizar a superlotação”.

Na UP Professor Amorim funcionarão sete salas de aula para atender as demandas de internos da alfabetização ao ensino médio. Também será implantado o projeto Livro Aberto, que incentiva a leitura e possibilita ao interno fazer avaliações para conseguir a remição de pena pela leitura.

Oficinas de artesanato, com mosaico, crochê, tapeçaria e costura de bolas também estão previstas para a unidade, que receberá semanalmente o Cine Diálogo, mostra de filmes motivacionais que leva reflexão e suscita o debate com os internos.

Estiveram também presentes na solenidade o secretário da Segurança; André Costa; o secretário adjunto de Justiça, Sandro Camilo; o secretário adjunto da Casa Civil, Quintino Vieira, o superintendente do DAE, Silvio Campos; comandante geral da Polícia Militar, coronel Ronaldo Viana; do Corpo de Bombeiros, coronel Heraldo Pacheco; o perito geral Ricardo Macêdo, o presidente do Iplanfor, Eudoro Santana; os deputados estaduais David Durand e João Jaime; entre outras autoridades.

 

Professor Amorim

José Sobreira de Amorim, que nomeia a unidade, foi doutor em Direito e começou a vida profissional lecionando português, matemática e latim no Ginásio no Crato. Foi, durante 23 anos, professor do curso de Direito da Universidade Federal do Ceará. Atuou também como advogado militante e defensor da liberdade, da justiça e da democratização na época da ditadura de Vargas.

Foi fundador da Faculdade de Filosofia do Ceará, do Instituto de Ciências Sociais e Políticas de Fortaleza e do Instituto de Cultura Clássica, além de ser membro da Sociedade de Estudos Latinos em Paris.