Cogerh, UFC e Universidade de Leipzig iniciam parceria para estudo da evaporação em açudes do Ceará

21 de novembro de 2017 # # # # #

Henrique Silvestre - Ascom/Cogerh

O Sol é considerado o maior usuário de água do Ceará. Estudos deverão apontar com mais precisão o que se perde para evaporação, possibilitando a melhoria da gestão da água dos resevatórios

Comitiva formada por técnicos da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) e professores das universidades de Leipzig (Alemanha) e Federal do Ceará (UFC) conhece, nesta quinta-feira (23/11), açudes que compõem o chamado Sistema Metropolitano (Pacajus, Pacoti, Riachão e Gavião). A visita faz parte dos primeiros entendimentos entre as três instituições no sentido de firmar parceria para o estudo da evaporação nos reservatórios cearenses.

Nesta terça-feira (21/11), os professores visitaram as instalações da Cogerh, onde conheceram a Sala de Monitoramento. “Existem hoje demandas para que se conheça melhor esse fenômeno (evaporação). É muito difícil separar, num grande lago (açude), o que é infiltração, o que é uso, o que é evaporação”, explica o professor José Carlos Araújo, do Departamento de Engenharia Agrícola da UFC.

“Sabemos que o nosso maior usuário de água é o Sol. Com esses estudos, pretendemos chegar mais próximos da realidade e, com isso aperfeiçoar ainda mais a nossa gestão de águas”, avalia o Presidente da Cogerh, João Lúcio Farias. “A parceria com universidades como a UFC e Leipzig, ao tempo em que nos envaidece enquanto instituição, nos fortalece e incentiva a prestar sempre um melhor serviço à sociedade cearense”, afirma o presidente João Lúcio.

Leipzig

Segundo o professor José Carlos Araújo, a Universidade de Leipzig – uma das parceiras do projeto em construção – tem expertise no uso de equipamentos para aferição de evaporação. “Eles têm uma competência muito maior do que a brasileira na parte de instrumentação, de equipamentos”, garante. “Gostei muito do que vi aqui na Cogerh, tenho certeza de que podemos desenvolver um grande trabalho de parceria”, comentou o professor-doutor Armin Raabe, do Leipzig Institute of Meteorology (LIM).

Ainda segundo Araújo, os próximos passos compreendem a materialização do projeto. “Com o projeto pronto nós vamos submetê-lo aos órgãos de fomento, tanto na Alemanha, quanto aqui no Brasil”, detalha. “A concepção geral do projeto está pronta, estamos na fase de sintonia fina com a Cogerh”. Após definido o volume de recursos captados para o projeto, será decida a quantidade de reservatórios a serem estudados.