Hospital Waldemar Alcântara comemora 15 anos de atendimento à população

27 de novembro de 2017 # # # # #

< span> Lusiana Freire - Assessoria de Comunicação do Hospital Geral Waldemar Alcântara
< span> Assessorias de Comunicação da Sesa e HGWA - Fotos

Este ano, o Hospital Geral Dr. Waldemar Alcântara (HGWA), do Governo do Ceará, completa 15 anos de atendimento à população. Em comemoração, profissionais do HGWA participarão de sessão solene nesta terça-feira, 28, às 19 horas, na Câmara Municipal. Na sexta-feira, dia 1º, às 15h30, colaboradores e familiares se reunirão para no estacionamento do hospital. “O Waldemar Alcântara vem se consolidando como unidade que preza pela qualidade e segurança do paciente. E temos os resultados para comprovar”, ressalta a diretora geral, Fernanda Netto.

De janeiro a outubro deste ano, o Waldemar Alcântara realizou 3.076 cirurgias, 6.520 atendimentos ambulatoriais e 6.502 internações. Foi o primeiro hospital público da região Norte-Nordeste certificado pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), como Acreditado Pleno (nível II), e o primeiro do Ceára, entre hospitais públicos e privados. “E evoluímos, chegando até o nível de Acreditado com Excelência, título máximo concedido pela ONA. Fora isso, temos elogios da população, que só trazem fatos positivos para o Waldemar Alcântara. Chegamos aos 15 anos cheios de vida e de coisas boas para mostrar”, destaca Fernanda Netto.

O HGWA é responsável por dar suporte e continuidade de tratamento a pacientes atendidos nas emergências e pronto-atendimentos do Estado. No hospital são realizadas cirurgias gerais, urológicas, vasculares e pediátricas, atendimento neonatal, pediátrico e adulto, funcionando sob modelo de gestão de Organização Social. O Hospital Waldemar Alcântara atende usuários exclusivamente do Sistema Único de Saúde (SUS).

Atualmente, tem 323 leitos operacionais. O perfil dos pacientes atendidos no Waldemar Alcântara é predominantemente de idosos, em especial nas Unidades de Cuidados Especiais, AVC Subagudo e Clínica Médica. Nas três unidades, os pacientes têm idade superior a 70 anos. Em média, o hospital realiza 700 internações por mês. O aposentado Francisco Sampaio Pinto, 71 anos, é um dos pacientes internados na Clínica Médica do HGWA.

Sampaio, como é conhecido pela equipe médica, recebe atendimento no ambulatório do Waldemar Alcântara, onde é acompanhado desde 2013, quando se internou pela primeira vez no hospital. “O hospital é de primeira qualidade. Quanto estou internado em outro hospital, logo peço transferência para cá. As enfermeiras, auxiliares, médicos, todos são pessoas muito dedicadas. Admiro o hospital também porque ligam para minha residência avisando sobre o dia da consulta. Isso é muito importante, principalmente por ser um hospital do Governo”, elogia.

Atendimento domiciliar

Há também o Serviço de Atendimento Domiciliar (SAD), garantido à população desde 2003. O serviço faz a desospitalização de pessoas com doenças crônico-degenerativas. A reintegração domiciliar do paciente melhora a qualidade da assistência e reduz o número de reinternações, como também garante o cuidado especializado e humanizado e a otimização dos recursos disponíveis.

Para ser incluído no SAD, o paciente deve estar internado, possuir domicílio em Fortaleza, ter a presença de um familiar ou cuidador responsável. A dona de casa Antomária Farias de Oliveira é uma das cuidadoras do SAD. O serviço acompanha sua filha, Gabriela Pedrosa, 11 anos. Mãe e filha deixaram o município de Tauá há cinco anos em busca de internação hospitalar para Gabriela.

A menina esteve internada no eixo pediátrico do HGWA durante três anos e meio. Mesmo recebendo alta médica há oito meses, Gabriela não perdeu o vínculo com hospital e hoje é assistida pela equipe multidisciplinar do SAD. “Para mim, o Waldemar representa uma família. Vivemos quatro anos ali, eu e minha filha. Fomos muito bem tratadas, graças a Deus. É um hospital muito bom, só tenho a agradecer. Gosto muito da equipe, são todos muito atentos”, declara Antomária.