Capacitação para o mercado de trabalho beneficia 160 usuários de drogas em tratamento

29 de novembro de 2017 # # #

Assessoria de Comunicação da SPD - comunicacao@spd.ce.gov.br
(85) 3238.5090 / 99910.3443

Cento e sessenta acolhidos em Comunidades Terapêuticas (CTs) que prestam serviço à Secretaria Especial de Políticas sobre Drogas (SPD) concluíram, com pleno êxito, cursos profissionalizantes. A capacitação foi viabilizada pela SPD em parceria com a Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS) do Governo do Ceará.

A qualificação profissional gratuita foi iniciada em setembro passado nas CTs. Com o término das aulas, os participantes se tornaram aptos a buscar uma colocação no mercado de trabalho ao encerrarem o período de acolhimento, que gira em torno de seis meses. A maioria dos alunos não tinha qualquer tipo de habilitação, o que dificultaria a ressocialização após a conclusão do tratamento da dependência.

A edição 2017 do Projeto Criando Oportunidades ocorreu em oito CTs, distribuídas pela Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), Cariri e Zona Norte do Estado. As opções de qualificação disponibilizadas foram: confecção de sabonete artesanal / embalagens, pintura e textura em paredes, eletricista predial, cabeleireiro e confeiteiro (doces e salgados). São ofícios que apresentam significativa demanda por profissionais no mercado de trabalho, o que contribui para o aproveitamento da mão de obra qualificada.

Na manhã da segunda-feira, 27, ocorreu o encerramento do último curso da edição 2017 do Criando Oportunidades. Vinte acolhidos na CT Instituto Volta ao Caminho (IVC), em Maranguape, receberam os seus respectivos certificados. A entrega foi realizada pela assessora técnica da SPD, Alaíde Pontes Rosado. Na ocasião, ela destacou a importância do aprendizado para a retomada da vida em sociedade com maiores oportunidades.

Fernando da Silva, 35 anos, foi um dos concludentes. Ele considerou o aprendizado bastante proveitoso e acredita que facilitará a sua reinserção no mercado de trabalho ao deixar a CT. Fernando também pensa em repassar os ensinamentos para pessoas que não tem qualquer profissão.

Bruno Alves, 25 anos, também realizou o curso de eletricista predial. “Eu não tinha profissão alguma. Agora, ao terminar o tratamento da dependência, já sei qual rumo tomar na vida. Vou ser eletricista predial”, destaca. Erick Alencar, 25 anos; e Bechara Gomes, 24 anos, comemoram: “Agora, a gente pode dizer e provar que tem uma profissão”.

O andamento da qualificação foi monitorado pela Coordenadoria de Políticas sobre Drogas (Copod) da SPD. Uma articulação da Secretaria com o Sistema Nacional de Emprego/Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (Sine/IDT) facilita a inserção dos novos profissionais no cadastro de empregos e geração de renda.

A secretária Aline Bezerra, titular da SPD, destaca que a reinserção social e profissional de dependentes químicos é um dos eixos de atuação da Secretaria. Ela lembra que a reinserção é a etapa final do tratamento, sendo determinante na recuperação do dependente químico. Ainda de acordo com a secretária, a parceria com a STDS para o Projeto Criando Oportunidades, que já ocorre desde 2015, deverá ser mantida em 2018.