Governador participa de encontro do TCU e destaca importância de investimentos federais para a região Nordeste

5 de dezembro de 2017 # # # # #

André Victor Rodrigues - Repórter
Marcos Studart - Fotógrafo

O governador Camilo Santana participou nesta terça-feira (5), na sede do Banco do Nordeste, do evento “Diálogo Público: Nordeste 2030 – Desafios e caminhos para o desenvolvimento sustentável”, promovido pelo Tribunal de Contas da União (TCU) em parceria com o BNB. Reunindo governadores de estados nordestinos, autoridades federais e gestores estaduais, a cerimônia teve como finalidade apresentar as conclusões do Relatório Sistêmico da Região Nordeste (Fisc Nordeste) e discutir os índices e avaliar a qualidade dos gastos públicos voltados à população nordestina.

Camilo Santana aproveitou o momento de debate entre governadores e representantes da União para enfatizar a necessidade de mais investimentos federais em apoio à região, que sofre com pobreza, crise hídrica, violência e luta para melhorar os índices educacionais.

“Muitas conquistas temos visto, mas o Nordeste do Brasil continua com grandes desigualdades. Acredito que é fundamental priorizar o investimento em educação e redistribuir melhor os recursos do País para regiões mais pobres. Fundamentalmente garantir que investimentos de infraestrutura importantes no Nordeste sejam liberados”, destacou o chefe do Executivo.

Dentre as reivindicações lembradas pelo Governo do Ceará esteve a necessidade de conclusão da transposição do São Francisco nos estados do Nordeste, que, segundo Camilo, “a cada ano se adia”, e também a cobrança por definições acerca da continuidade das obras ferroviárias da Transnordestina. Camilo também lembrou dos “seis anos consecutivos de seca que tem preocupado o Ceará”, e chamou atenção para os últimos investimentos estaduais em prol do homem do campo e das famílias do semiárido.

Nordeste em pauta

Além do governador do Ceará, integraram o encontro no BNB o presidente do TCU, Raimundo Carreiro, o vice-presidente do TCU, José Mucio Monteiro, os ministros do TCU, Aroldo Cedraz e Marcos Bemquerer, o presidente do BNB, Marcos Holanda, e os governadores de Alagoas, Renan Filho, Bahia, Rui Costa, Maranhão, Flávio Dino, Piauí, Margarete Coelho (em exercício), Pernambuco, Paulo Câmara, e Rio Grande do Norte, Robinson Faria.

O presidente do BNB, Marcos Holanda, ressaltou que a qualidade do gasto público no Nordeste é pauta indispensável e inadiável, devido às carências vividas pelo povo nordestino. Para ele, o Tribunal de Contas da União deve assumir responsabilidade singular para garantir que, ouvindo cada governo do Nordeste, trará muito benefícios para o Brasil.

“A gente costuma dizer que o dinheiro público é sagrado. No Nordeste ele é santo, visto que é onde ele pode causar mais efeito e mais impacto”, destacou Marcos Holanda.

Relatório

O Fisc Nordeste é traçado por meio de auditorias das Secretarias de Controle Externo do TCU em cada estado nordestino. A documentação tem como objetivo identificar os principais desafios para o desenvolvimento sustentável da Região.

Os pontos identificados no relatório foram associados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que constam da Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas (ONU). A Agenda 2030 propõe 17 objetivos e 169 metas que buscam acabar com a pobreza, enfrentar as mudanças climáticas, promover a prosperidade e o bem estar para todos.

Foram enfatizados os desafios relacionados ao ODS 9 – “Indústria, Inovação e Infraestrutura”; ODS 4 – “Educação de qualidade”; e ODS 6 – “Água potável e Saneamento”. O relatório também apontou como mais representativos os desafios relacionados às seguintes áreas: Indústria, Inovação e Infraestrutura (40 desafios); Paz, Justiça e Instituições eficazes (34); Trabalho decente e Crescimento econômico (29); Cidades e Comunidades sustentáveis (21); Educação de qualidade (20); Água potável e Saneamento (18); e Saúde e Bem-estar (15).

Presidente do TCU, Raimundo Carreiro considera a realização de relatórios específicos para o Nordeste “um marco de expressiva importância”, que trará mais inovação e desenvolvimento nas ações públicas para a região. “Há cerca de um ano, nos comprometemos a pensar mais sobre os números do Nordeste, através da apresentação destes índices”, pontuou.

 

Ouça

O governador Camilo Santana aproveitou o momento de debate entre governadores e representantes da União para enfatizar a necessidade de mais investimentos federais em apoio à região, que sofre com pobreza, crise hídrica, violência e luta para melhorar os índices educacionais.

 

Dentre as reivindicações lembradas pelo governador do Ceará esteve a necessidade de conclusão da transposição do São Francisco nos estados do Nordeste e da ferroviária Transnordestina.