SPD conclui último ciclo de monitoramento de CTs em 2017

6 de dezembro de 2017 # # #

Fernando Brito - Ascom/SPD

Avaliação das instituições de acolhimento acontece ao longo do ano

A Secretaria Especial de Políticas sobre Drogas (SPD) conclui, ao final desta semana, o sexto e último ciclo de monitoramento de 2017 nas Comunidades Terapêuticas (CTs) que prestam serviços à pasta e à Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad). As instituições realizam o acolhimento de pessoas com problemas relacionados à dependência química.

Técnicas da Coordenadoria de Políticas sobre Drogas (Copod) da SPD estão realizado a atividade. Atualmente, 19 CTs prestam serviços à SPD e à Senad no Ceará, com a oferta de 513 vagas. As instituições estão distribuídas pelas diversas macrorregiões do Estado.

O trabalho de monitoramento consiste na avaliação das condições oferecidas pelas instituições para o acolhimento dos usuários encaminhados. Limpeza, higiene, alimentação e a oferta de atividades de autocuidado são alguns dos itens verificados.

As comunidades terapêuticas recebem pessoas que desejam e necessitam de um espaço protegido, em ambiente residencial, para auxiliar na recuperação da dependência química. O encaminhamento é feito pela SPD ou por uma unidade da Rede de Atenção Psicossocial (Raps), mediante avaliação por parte de profissional especializado.

O acolhimento em CTs é voluntário e custeado por recursos públicos. O tempo de permanência varia de seis a nove meses, dependendo da avaliação de cada indivíduo.

A secretária Especial de Políticas sobre Drogas, Aline Bezerra Câncio, explica que o monitoramento das CTs é um trabalho que ocorre durante todo o ano de forma a garantir um atendimento adequado aos acolhidos.