SCidades recebe delegação da Etiópia para troca de experiências sobre saneamento rural

7 de dezembro de 2017 # # #

Karla Camila - Ascom / SCidades

Na Etiópia apenas 3% da população rural é favorecida com serviços de saneamento, já nas capitais esse número chega a chega a 17%

Nesta quinta, (7) o secretário das cidades, Jesualdo Farias, recebeu representantes do Governo da Etiópia, do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), da Agência Reguladora do Estado do Ceará (ARCE) e Fundação Nacional da Saúde (Funasa), objetivando a troca de experiências exitosas em saneamento entre os dois países. A comitiva está no Ceará em missão técnica e intercâmbio de experiência na área de saneamento rural.

Na oportunidade o secretário das cidades, Jesualdo Farias, falou aos convidados sobre o cenário econômico e territorial do Ceará enfatizando que cerca de 2 milhões de pessoas ainda vivem no campo e passam por um momento considerado crítico de seis anos de seca. Porém, ele ressalta que o Governo do Ceará não mede esforços para resolver problemas relacionados água, tanto na parte do saneamento como abastecimento. “Ainda estamos distantes da universalização do saneamento, pois temos cerca de 45% de cobertura. Já em relação ao abastecimento, a cobertura é quase universal com 98% da população atendida. Um dos maiores desafios do Governo do Estado é realizar a gestão sustentável do sistema”, frisou Jesualdo Farias.

O secretário citou também a ações do Governo para erradicação da pobreza no campo e destacou o equilíbrio fiscal e o crescimento de investimentos no Ceará. Ressaltou também que entre os investimentos estão inclusos projetos, tecnologia e gestão para saneamento rural.

O representante da Unicef Brasil, Niklas Stephan, explicou que a Unicef apoia o governo da Etiópia por meio de um programa em prol do melhoramento do sistema de saneamento no país. Ele ressalta, que a parceria da Etiópia com o governo brasileiro iniciou em 2015 e a intenção é o intercâmbio de informações, principalmente em relação ao modelo de gestão sustentável do Brasil. “Estamos aqui para conhecer as tecnologias e modelos de gestão de água e esgoto com o objetivo de implementar de forma sustentável na Etiópia”, ressalta Niklas.

A coordenadora de saneamento urbano, do Ministério da Irrigação e Eletricidade do Governo da Etiópia, Shewanesh Demeke Weldemeskel, ressaltou que apesar do sistema de abastecimento de água apresentar grandes avanços no país a rede de saneamento é muito deficitária, principalmente no interior da Etiópia. Ele afirma que na zona rural apenas 3% da população é favorecida enquanto nas capitais esse número chega a 17%.

A coordenadora acrescenta que o governo da Etiópia está levando a situação mais a sério e vão escolher cerca de 30 municípios para implantar soluções adequadas de saneamento. “Queremos que o sistema seja sustentável, estamos aprendendo muito com o Ceará e, certamente, iremos levar essa experiência exitosa para nosso país”, conclui.