Palácio do Abolição: Solidariedade e troca de afetos marcam segunda edição do Natal do Acolhimento

20 de dezembro de 2017 # # #

Ciro Câmara - Gestor de Secretarias
José Wagner e Tiago Stille - Fotos

Os corredores silenciosos e a paisagem austera do Palácio da Abolição ganharam novos sons e tons nesta quarta-feira (20). Na medida em que a tarde caía em Fortaleza, o ambiente era invadido pelo som contagiante de uma garotada animada e pela música natalina. Ao mesmo passo, os servidores deixaram de lado a correria de processos e reuniões e entraram na brincadeira do Natal do Acolhimento, evento solidário que ganhou os Jardins do Palácio da Abolição pelo segundo ano consecutivo.

Passeando pelo local, em meio a brincadeiras diversas, apresentações culturais e a pausa para um lanchinho, o destaque ficou para as 320 crianças e adolescentes acolhidas; integrantes de 14 abrigos e entidades sociais ligadas ao Governo do Ceará. Cada qual esteve acompanhado de seu padrinho ou madrinha – secretários estaduais e servidores que escolheram os jovens, no início do mês, e encarnaram um pouco o personagem do Papai Noel, entregando presentes comprados especialmente para os afilhados.

O governador Camilo Santana participou do momento, acompanhado da primeira-dama do Ceará, Onélia Santana, e dos filhos, Pedro e Luisa. Para ele, o momento “alimenta os corações” de todos os envolvidos: padrinhos e madrinhas e afilhados. “A nossa confraternização, a confraternização do Governo é abrir o Palácio para acolher crianças, os jovens, que precisam desse olhar fraterno. É uma forma de levar carinho nas crianças e despertar a importância de se olhar para quem mais precisa”.

O grande momento foi a apresentação do Papai Noel, que chegou ao Palácio em uma viatura do Corpo de Bombeiros. A acolhida ao Bom Velhinho deu uma mostra da empolgação da criançada, que invadiu o veículo e fez a festa. Ele não reclamou do trabalho a mais este ano, já que os 320 atendidos representam incremento considerável em relação aos 282 da edição de estreia, em 2016, pertencentes a nove entidades. A distribuição dos presentes entrou pela noite.

Momento único

Uma das adultas que se equiparava, em termos de animação, com as crianças na festa era a presidente da Associação Beneficente Santa Luzia da Paz, Cleide Rocha. Foi a estreia da entidade no Natal do Acolhimento. “As crianças estão maravilhadas. Dá para imaginar como isso é importante, para crianças que não têm condição de ter festa ou brinquedo algum?”, questionou, radiante.

Quem retornou para a festa foi o Núcleo Casa Abrigo, vinculado à Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS). A supervisora da entidade, Aldacir Simões, alerta para a importância da socialização para as crianças abrigadas. “Aqui eles têm a oportunidade de brincar à vontade; é uma verdadeira festa pra eles. Durante todo o mês eles ficam sonhando com os presentes e me perguntando: ‘Tia, quando é o passeio?’”, relatou, entre risos.

As crianças e adolescentes presentes na confraternização são dos seguintes abrigos e instituições: Abrigo Tia Júlia; Abrigo Desembargador Olívio Câmara (ADOC); Casa Abrigo; Abrigo Casa da Criança (ONG Instituto de Assistência e Proteção Social – IAPS); Circo Escola; Associação Peter Pan; Acolhimento Nossa Casa; Recanto da Luz; Abrigo Renascer; Abrigo Nova Vida; Casa Santa Gianna; Associação Beneficente Santa Luzia da Paz; Projeto Cidade Jardim e Coral Natal de Luz.

Ao término do encontro, com o Palácio ainda no clima natalino, em meio a abraços e muitos “até logo”, ficou a certeza de que a festa em 2018 promete. Com a expectativa de novo recorde de afilhados, padrinhos e madrinhas.

E que, nos meses que separam o Abolição do próximo Natal do Acolhimento, o ano seja recheado de solidariedade e amor ao próximo. Até 2018!