Mãe agradece profissionais do HGF pelo cuidado à filha

27 de dezembro de 2017 # #

Débora Morais - Assessoria de Comunicação do HGF
(85) 3101.7086 / 98726.1212
debora.morais@hgf.ce.gov.br

Com apenas 31 semanas de gestação, Stephanie Pardivo Oliva, 29, deu à luz no dia 18 de junho deste ano. Giovanna Oliva Braga, hoje com seis meses de vida, nasceu prematura com 1,518 kg e 41,5 cm. Devido à prematuridade, a menina passou um mês e 20 dias internada no Hospital Geral de Fortaleza (HGF), da rede pública do Governo do Ceará. Pelos cuidados e atendimento rápido e seguro recebidos desde o acolhimento até a alta hospitalar, a jovem mãe agradeceu, em nome da filha, à equipe da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) do HGF, através de uma placa de homenagem, entregue na sexta-feira, 22 de dezembro.

“Minha gestação foi normal, sem sustos, exceto pelo momento do nascimento. Até hoje nós não sabemos o porquê da bolsa estourar naquele momento, mas graças a Deus está tudo bem. A Giovanna nunca teve nada e não ficou com sequelas da prematuridade. O fato de ela estar bem hoje tem grande participação da equipe do HGF”, declara Stephanie. Por ser um bebê prematuro, Giovanna teve que ficar na UTIN para procedimentos de rotina. Em seguida, foi transferida para a Unidade Canguru, para o ganho de peso. Mas devido a uma queda de saturação (falta de oxigenação no sangue), ela foi para a Unidade de Cuidados Intermediários (UCI).

De acordo com a neonatologista Fabíola Arraes de Oliveira, a prematuridade exige cuidados especiais e, no HGF, o bebê é acompanhado e avaliado 24 horas por dia para segurança e qualidade na recuperação dele. Segundo a médica, a estabilidade do quadro clínico de Giovanna deveu-se a esses cuidados. “Nós cuidamos dela como qualquer bebê prematuro que apresenta esse tipo de sintoma. Os bebês ficam na incubadora, com monitorização, avaliação da equipe de enfermagem a cada três horas, além dos exames físicos feito pelo médico assistente nos três períodos do dia”, ressalta.

Para a neonatologista, o reconhecimento da família em relação ao trabalho da equipe é fruto do compromisso dos profissionais e da missão do hospital. “Participar desse resgate, dessa relação mãe-filho que foi quebrada com esse nascimento prematuro e buscar através de toda uma assistência de qualidade, entregar a essa mãe um bebê nas melhores condições de saúde, sem sequelas, com prognóstico de vida dentro do esperado, é a nossa meta prioritária e a maior satisfação. Ter esse reconhecimento da nossa equipe pelos pais é sem dúvida nenhuma o nosso melhor presente”, agradece.