Mais de 170 mil famílias atendidas com sistemas de abastecimento d´água e cisternas no Ceará

29 de dezembro de 2017 # # # #

Marina Filgueiras e André Gurjão - Assessoria de Comunicação da SDA
3101.8105 / 3101.8137
Carlos Gibaja - Fotos

A maior seca já registrada na História do Ceará tem proporcionado desafios cada vez maiores e mais complexos. Pensando na segurança hídrica das comunidades rurais, o Governo do Ceará, através da Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), entregou nos últimos três anos 570 sistemas de abastecimento d´água, 125.248 cisternas de placa e polietileno, 14.449 cisternas de enxurrada e 15 projetos de reúso de água de cinzas.

As obras do Projeto São José e do Programa Água Para Todos já atendem 174.811 famílias e representam um investimento de R$ 568.175.880. “O governador Camilo Santana, como todo corpo técnico da SDA, vem realizando um esforço gigantesco para que a água chegue nos mais distantes rincões do Estado. Seja pelas demandas encaminhadas ao Comitê de Combate à Estiagem, ou pelas obras de abastecimento d´água e consumo humano, o objetivo é um só: levar mais cidadania e dignidade ao homem e a mulher do campo”, frisa o secretário Dedé Teixeira.

No início da gestão Camilo Santana, o Ceará entrava em seu quarto ano ininterrupto de seca. Em 2017, a estiagem mostrou sua face mais cruel: com os leitos dos principais açudes que abastecem o Estado e a dificuldade de captar água, mesmo com a perfuração de poços profundos. Afora o esforço realizado pela Operação Carro Pipa, do Ministério da Integração, em parceria com o Governo do Ceará, a SDA intensificou as entregas de sistemas de abastecimento d´água e as assinaturas de ordem de serviço pelo Projeto São José.

Era a realidade vivenciada de perto pelas 51 famílias da comunidade Barro Vermelho, no município de Russas, atendidas por um sistema de abastecimento d´água do Projeto São José no valor de R$ 716.294,24. “Foi uma benção essa água lá em nós, porque sofríamos muito. E eu, que sou viúva, não tinha quem me ajudasse: aí tinha que depender dos outros. Cheguei até comprar água para colocar na cisterna. Mas, graças a Deus, agora temos essa água (na torneira) pro consumo”, narra a dona de casa Maria Lúcia.

Somente na atual gestão, já foram entregues 84 obras de sistema de abastecimento d´água como essa pelo Projeto São José e outras 81 deverão ser concluídas ainda no primeiro semestre de 2018. O investimento previsto é de R$ 46.786.078,93, beneficiando diretamente 8.780 famílias em 38 municípios cearenses, sendo que a segunda etapa do projeto já foi garantida com a autorização pela Assembleia Legislativa de um novo financiamento junto ao Banco Mundial no valor de U$S 150 milhões, sendo US$ 100 milhões do Bird e US$ 50 milhões de contrapartida do Governo do Ceará.

“Vai melhorar muito a nossa vida. Hoje, a água que chega na minha casa (através do caminhão-pipa) só dura dois dias. Com a água na torneira, vou melhorar a plantação (de macaxeira, milho e feijão) e ainda vai dar para ajudar minha esposa com as tarefas de casa”, sorri para o futuro o agricultor João Ângelo, de 85 anos, da comunidade Tucuns, no município de Crateús.

Água Para Gerar Vida

Já pelo Programa Água Para Todos, 489 sistemas de abastecimento d´água foram concluídos entre 2015 e 2017, contando com um investimento de R$ 86.863.953,55 e atendendo 23.915 famílias com água encanada para dentro de casa. “Com o Água Para Todos vai dar tudo certo. Vamos continuar a nossa parceria com a Secretaria”, endossa o presidente da Associação Comunitária do Tabuleiro do Luna, José Edilson Damasceno, um dos 309 beneficiados com a obra no município de Itaiçaba no valor de R$ 314.242,09 .

O Programa, com recursos oriundos do governo federal e contrapartida do Governo no Ceará, investiu R$ 279.819.266,22 na instalação de 125.248 cisternas de placa e polietileno (para consumo humano) e R$ 159.104,083,62 na construção de 14.351 cisternas produtivas em todo o Ceará (segunda água). “Para as famílias é uma grande conquista a chegada dessas cisternas com capacidade de 16 mil litros cada. As comunidades do Cafundó e Escondido estão em áreas de difícil acesso e nenhum transporte motorizado, nem mesmo uma moto, consegue chegar nessas localidades”, comenta o coordenador da SDA, Abelardo Camurça, sobre o esforço de levar 21 cisternas de polietileno para as comunidades rurais do município de Choró.

A Esperança é o Reúso

“Depois que o projeto de reúso chegou na nossa comunidade, tudo mudou. A qualidade de vida e até o amor pela agricultura: e olha que esse sempre foi muito grande”, narra Niedia Oliveira. A agricultora da comunidade de Cristais, no município de Cascavel, integra uma das 15 famílias beneficiadas com o projeto Reuso de Águas Cinzas, do Projeto São José III.

O modelo, que é referência para todo Estado, utiliza a água da lavagem de roupas, louças ou banheiro para irrigação das plantações, após passar por um tratamento no próprio quintal de casa. “Nós temos noção de quanta água entra nas casas, mas não sabíamos a quantidade d´água que era desperdiçada”, comenta o secretário Dedé Teixeira.

Para o representante do IICA no Brasil, Hernán Chiriboga, os projetos desenvolvem a cooperação técnica e sustentável da agricultura. “É muito interessante a gente vir ao Ceará e encontrar projetos tão importantes sendo executados de maneira a trazer a real dignidade ao produtor do campo”, conclui.