Ceará comemora 10 anos de melhoria da aprendizagem e resultados positivos em avaliações nacionais

11 de Janeiro de 2018 # # # #

Julianna Sampaio/Jacqueline Cavalcante - Assessoria de Imprensa da Seduc
imprensa@seduc.ce.gov.br
Marcos Studart - Fotos

O ano de 2017 foi um marco para a educação cearense. Em junho do ano passado, o Governo do Ceará, por meio da Secretaria da Educação (Seduc), comemorou os 10 anos de criação do Paic (Programa de Alfabetização na Idade Certa), que reduziu de 32% para 0,7% o índice de crianças não alfabetizadas na idade certa em uma década de execução. Os resultados positivos desta política pública e de outras ações fundamentais para a melhoria dos resultados da aprendizagem dos alunos da rede pública de ensino puderam ser observados, ao longo do ano, em avaliações que colocam a educação do Estado como referência nacional em qualidade do ensino.

“Esse é o resultado de um esforço coletivo e pactuado entre Estado, municípios, professores e alunos e, em 10 anos, o Ceará saiu de 32% para 0,7% de crianças não alfabetizadas na idade certa. O Estado investe algo em torno de R$ 60 milhões por ano, com premiação, com programas, material didático. E hoje o Ceará é referência nacional em educação, graças a uma política de Estado continuada. Para nós é uma alegria muito grande ter hoje as melhores escolas públicas do País”, comemorou o governador Camilo Santana. Para celebrar uma década de Paic, foi realizada uma série de atividades, com eventos nas coordenadorias regionais, seminário internacional, homenagem na Assembleia Legislativa e, por último, a entrega do Prêmio Escola Nota Dez.

O Governo do Ceará transformou o Paic em política pública prioritária em 2007, com o objetivo de contribuir para a estruturação por parte Ministério da Educação do Pacto Nacional Alfabetização na Idade Certa (Pnaic). No início, eram avaliados alunos do 2º ano. Em 2011, a Seduc expandiu as ações para o 5º ano, através do Paic+5, visando a uma formação continuada. Em 2015, o governador Camilo Santana, lançou o Programa Aprendizagem na Idade Certa, o Mais Paic. Desde então, foi ampliado o trabalho de cooperação já existente com os 184 municípios, que além da Educação Infantil e do 1º ao 5º ano, passou a atender também do 6º o 9º ano nas escolas públicas cearenses.

Prêmio Escola Nota 10

Em sua nona edição, o Prêmio Escola Nota 10 foi entregue às 265 escolas públicas cearenses que se destacaram no ano de 2016. Os dados têm como base os resultados da alfabetização ao término do 2º ano, e das disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática, ao final do 5º e 9º anos do Ensino Fundamental, a partir de informações do Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica (Spaece), que identifica e analisa o nível de desempenho dos estudantes.

Foram premiadas 262 escolas públicas com os melhores desempenhos de Alfabetização e do 5º ano, além de três escolas de 9º ano do Ensino Fundamental. As escolas receberam o prêmio em dinheiro equivalente a R$ 2.000,00 por cada aluno avaliado, enquanto as apoiadas ganharam R$ 1.000,00.

Resultados

Com relação ao 2º ano, um acompanhamento do desempenho, entre os anos de 2007 e 2016, demonstra que, neste último ano, 87% das crianças encontram-se alfabetizadas ao término dessa série. Em 2007, esse percentual era de apenas 39,9%.

Em 2016, a aprendizagem dos alunos do 5º ano, nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática, melhorou em relação ao ano de 2008. Em Língua Portuguesa, o percentual de alunos no nível adequado subiu para 39,9%, enquanto, em 2008, o nível era de 6,8%. Em Matemática, era de 3,6% e passou para 30,2%.

O Ensino Fundamental II, que inclui as crianças do 6ª ao 9º ano, teve seu acompanhamento pelo Spaece, a partir de 2012. Naquele ano, o percentual de alunos no nível adequado em Língua Portuguesa era de 8,6%, subindo, em 2016, para 14,7%. Já em Matemática, o percentual de alunos no nível adequado passou de 3,9%, em 2012, para 7,1%, em 2016.

Parceria com estados

Em 2017, o Governo do Ceará, por meio da Secretaria da Educação (Seduc), firmou termo de cooperação com os estados do Espírito Santo, Maranhão, Amapá e Rio Grande do Norte para promover a experiência do Paic em cada uma destas unidades federativas. Por meio da experiência, a Seduc vai ajudar na elaboração de diretrizes que auxiliem na colaboração entre estado e municípios, além de promover um assessoramento técnico às equipes das secretarias, com formações, protocolos de monitoramento e avaliação ao longo do ano letivo.

Referência nacional

– Em junho passado, a rede pública cearense ficou entre as melhores do país em análise de fluxo escolar. Conforme levantamento do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a rede pública cearense ocupa as primeiras posições entre os estados brasileiros com melhores indicadores de promoção, diminuição de repetência, queda de evasão escolar e migração para Educação de Jovens e Adultos (EJA) nos ensinos Fundamental e Médio. A pesquisa tem como base os dados do fluxo escolar fornecidos no Censo da Educação Básica no período 2007-2015. O Ceará é o primeiro lugar do Nordeste em promoção e com menor taxa de repetência nos anos iniciais e finais do Ensino Fundamental ao Ensino Médio. O Estado é ainda o primeiro do País com menor repetência (6%) e o segundo em taxa de promoção (81%) no Ensino Médio.

– Destaque na Avaliação Nacional de Alfabetização (ANA), o Ceará superou a média brasileira em Leitura, Escrita e Matemática das crianças que estavam matriculadas no 3º ano do ensino fundamental da rede pública. Além disso, o Estado obteve os melhores resultados do Nordeste. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Educação (MEC), em outubro passado, com base nos resultados finais da ANA 2016.

– Sete municípios cearenses alcançaram os melhores resultados no Índice de Oportunidades da Educação Brasileira (IOEB). O estudo foi divulgado, em dezembro, pelo Centro de Liderança Pública. O indicador é constituído de dados que envolvem desde a Educação Infantil ao Ensino Médio, das redes públicas e privadas. Conforme a análise, Sobral ficou pela segunda vez em primeiro lugar, com uma nota de 6,2, numa escala de zero a dez. Logo após vem Frecheirinha (2º), com 6, Nova Olinda (3º), com 5,9, e Brejo Santo (4º), também com 5,9. Ainda na lista estão Coreaú (8º lugar), Reriutaba (9º) e Novo Oriente (10º), todos com nota 5,7. As cidades estão entre as que oferecem as melhores condições de ensino no país. No ranking de estados, o Ceará é o 6º com nota 4,9. O IOEB agrupa informações relacionadas aos indicadores de resultados e de insumos, como qualidade dos professores, experiência dos diretores, tempo de jornada na escola das crianças e taxa de atendimento na educação infantil.