Organograma Estadual

Localização geográfica privilegiada em relação ao resto do mundo, pela proximidade com os grandes mercados
mundiais: Europa, América do Norte e Ásia. Fortaleza é não apenas a capital político-administrativa do Estado, mas
também destacado centro regional de comércio e serviços. A sua região de influência, segundo o IBGE, compreende.

ADECE

Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará S/A

Download
  1. DIREÇÃO SUPERIOR
    1. PRESIDENTE
  2. ÓRGÃO DE ASSESSORAMENTO
    1. ASSESSORIA JURÍDICA
    2. ASSESSORIA EXECUTIVA
    3. ASSESSORIA TÉCNICA
    4. ASSESSORIA CONTÁBIL
  3. ÓRGÃOS DE EXECUÇÃO PROGRAMÁTICA
    1. DIRETORIA DE ATRAÇÃO DE INVESTIMENTO
    2. GERÊNCIA DE MONITORAMENTO DA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO
    3. DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO SETORIAL
    4. GERÊNCIA DE COMÉRCIO E SERVIÇOS
    5. DIRETORIA DE INFRAESTRUTURA
    6. GERÊNCIA DE PATRIMÔNIO
    7. DIRETORIA DE AGRONEGÓCIO
    8. GERÊNCIA DE NEGÓCIOS AGRÍCOLAS
    9. GERÊNCIA DE PECUÁRIA
    10. DIRETORIA DE INOVAÇÃO, TECNOLOGIA E SAÚDE
  4. ÓRGÃOS DE EXECUÇÃO INSTRUMENTAL
    1. GERÊNCIA ADMINISTRATIVA FINANCEIRA
  5. ÓRGÃOS COLEGIADOS DE DELIBERAÇÃO E DE FISCALIZAÇÃO
    1. Assembleia Geral
    2. Conselho de Administração
    3. Diretoria Executiva
    4. Conselho Fiscal

Competências

executar a política de desenvolvimento econômico industrial, comercial, serviços, agropecuária e de base tecnológica, articulando-se com os setores produtivos e objetivando a melhoria de vida da população cearense;

executar ações na área da política de desenvolvimento econômico do setor produtivo, elaborada pelo Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico;

implementar as políticas de desenvolvimento econômico dos setores econômicos, no tocante à realização e divulgação de estudos e oportunidades de investimento, assessoramento a empreendedores e disponibilizar à infra-estrutura para instalação e ampliação de seus negócios;

divulgar o potencial sócio-econômico do Estado e seus produtos mais característicos;
realizar, participar e apoiar feiras e missões, congressos, seminários, exposições e outros eventos, de forma a subsidiar com informações básicas, objetivando o desenvolvimento do setor produtivo e dos demais setores, nos quais a agência venha a atuar;

criar condições para a melhoria da competitividade dos setores econômicos do Estado nos mercados nacional e internacional, através da promoção da capacitação dos seus recursos humanos, consultoria e assessoramento técnico;

participar do capital de sociedade industriais, comerciais, agrícolas, agroindústrias, e de serviços, com utilização de recursos financeiros próprios ou bens do seu patrimônio, visando estimular o crescimento econômico do Estado do Ceará;

participar do capital de sociedade de propósito específico, incumbida de implantar e gerir objetos de parceria público-privada – PPP, em conformidade com o disposto na Lei Federal nº11.079, de 30 de dezembro de 2004, que institui normas gerais para licitação e contratação de parceria público-privada no âmbito da administração pública e da Lei Estadual nº13.557, de 30 de dezembro de 2004;

participar de fundo de capital de risco que invista em empresas de base tecnológica ou em empresas emergentes, de micro e pequeno porte, bem como em empresas de médio e grande porte, cujas implantações em território cearense sejam consideradas, a partir de análise fundamentada e decisão própria da ADECE, de elevada relevância para a economia cearense;

adquirir quotas de fundos mútuos de investimentos em empresas emergentes;

instituir câmaras setoriais ou grupos de trabalho compostos por integrantes do Governo do Estado e do setor produtivo, objetivando aprofundar assuntos específicos de natureza econômica, tributária e social;

exercer outras atribuições necessárias ao cumprimento de suas finalidades.

Lei nº 13.875 – DOE 07/02/2007