PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Nova edição das Amarrações Estéticas recebe as artistas Laís Machado e Castiel Vitorino

15 de abril de 2021 - 15:01 # # # # #

Raphaelle Batista - Ascom Porto Iracema das Artes

O segundo Amarrações Estéticas do ano, evento que reúne artistas com diferentes trajetórias para partilhar experiências em torno de um tema específico, acontece no dia 23 de abril às 19h, pelo Canal do YouTube da Escola

O ”Amarrações Estéticas” do mês de abril vai receber as artistas Laís Machado e Castiel Vitorino no dia 23 de abril, às 19 horas, para um bate-papo no Canal do YouTube da Escola. A ideia é que o momento seja um ”cruzo” entre as artistas, que pesquisam e trabalham temáticas semelhantes, como negritude, macumbaria, entre outros. Ambas são tutoras da atual edição dos Laboratórios de Criação do Porto Iracema das Artes.

No vocabulário náutico que inspira o Porto Iracema, amarração é o ato de ancorar temporariamente embarcações ao cais. Por um tempo, as embarcações se avizinham para depois seguirem seus caminhos, de modo semelhante a uma encruzilhada, ou um cruzo. Utilizando essa imagem, a Escola propõe nesta Amarração um cruzo com Laís Machado e Castiel Vitorino, artistas cujas práticas confluem, se cruzam em giro decolonial e convidam ao fluxo desse movimento.

Castiel Vitorino é tutora do Laboratório Artes Visuais, macumbeira e psicóloga, acompanha os projetos: “Travestis são como plantas”, de Sy Gomes, e “Encantadas: saberes mágicos em lugares sagrados” de Eliana Amorim. Laís Machado é tutora do Laboratório de Teatro, alárìnjó feminista, pesquisadora, crítica e produtora, e acompanha o projeto “Afrografias da Corpa-Jabuti”, da Coletiva Negrada.

Sobre as convidadas

Castiel Vitorino

Castiel Vitorino Brasileiro (1996). Artista visual, macumbeira e psicóloga formada na Universidade Federal do Espírito Santo. Atualmente mestranda no programa de Psicologia Clínica da PUC-SP. Vive a macumbaria como um jeito de corpo necessário para que a fuga e o descanso aconteçam. Dribla, incorpora e mergulha na diáspora Bantu, e assume a vida como um lugar perecível de liberdade. Atualmente, desenvolve estéticas macumbeiras de sua Espiritualidade e Ancestralidade Travesti. Idealizadora do projeto de imersão em processos criativos decoloniais Devorações. Nasceu em Fonte Grande. Vitória/Espírito Santo – Brasil.

Laís Machado
Laís Machado, artista do corpo transdisciplinar, alárínjó, negra e feminista, é natural de Salvador-BA, Brasil, onde vive e trabalha. Desenvolve projetos autorais nas artes cênicas, performance-arte, instalação, fotografia e audiovisual. Explorando os limites do corpo atlântico, investiga o transe e fluxo como meio de produção de presenças. Em 2017 fundou com o artista Diego Araúja, a Plataforma ÀRÀKÁ, que tem estabelecido conexões entre artistas experimentais negros diaspóricos e africanos. E em 2018 Idealizou e coordenou o Fórum Obìnrín – Mulheres Negras, Arte Contemporânea e América Latina.

Criadora e intérprete da peça-ebó Obsessiva Dantesca (2016-2019), participa do cenário profissional das artes cênicas em Salvador desde 2011, tendo participado de festivais nacionais e internacionais. Dentre eles o Festival Internacional das Artes Cênicas da Bahia (FIAC – BA), Mostra Internacional de Teatro de São Paulo (MIT-SP), Festival Internacional de Teatro de Belo Horizonte (FIT-BH) e o ¡Adelante! (GER). Com trabalhos em vídeo, instalação e performance, participou de três exposições coletivas – Festival Digital Latitudes (2020/Berlim-GER), Mostra Magia Negra (2019/Salvador-BRA) e o Valongo – Festival internacional da Imagem (2018/Santos- BRA). E foi convidada a participar de residências artísticas na Savvy Contemporary Arte (Berlim/GER – 2020), na Summershool Angust/Medo no Weltkunstzimer ( Düsseldorf /GER – 2019), Atlantic Center for the Arts com o mestre Isaac Julien (UK) ( New Smyrna / USA – 2018) e no primeiro programa de residência artística do Valongo – Festival Internacional de Imagem ( Santos / BRA – 2018).

Sobre as Amarrações Estéticas

No vocabulário do mar, “amarração” é o ato de consolidar a atracação das navegações no cais dos portos e dar firmeza aos nós da rede de pescar. Assim, o Amarrações Estéticas coloca-se na perspectiva de consolidar os atos criativos, através de amarrações construídas a partir de diálogos entre os projetos dos Laboratórios de Criação.

Sobre a Escola

O Porto Iracema das Artes é uma instituição da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, sob gestão do Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, há seis anos desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de Cursos Básicos e Técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

Serviço

Nova edição das Amarrações Estéticas recebe as artistas Laís Machado e Castiel Vitorino
Data: 23 de abril (sexta-feira), às 19h
Local: YouTube do Porto Iracema das Artes
GRATUITO