Policiais realizam trabalho de prevenção ao uso indevido de drogas

19 de novembro de 2010

Na tentativa de minimizar a violência, policiais do Programa  Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) e da Divisão de Proteção ao Estudante (Dipre) realizam trabalho de prevenção ao uso indevido de drogas entre crianças e adolescentes. Eles desenvolvem atividades como cursos, palestras, seminários, oficinas, entre outras, para alertar sobre os riscos de entrar no mundo das drogas.

 

De acordo com o fundador do Proerd no Estado, coronel da Polícia Militar (PM)  Francisco Austregésilo Rodrigues Lima, atualmente na reserva, o programa foi implantado no ano 2000 no Ceará e em março desde ano o Proerd completou dez anos de existência estadual. “Ao longo deste tempo cerca de 130 mil alunos, de 96 municípios, encontram-se orientados contra as drogas”, afirma o fundador.

 

Ives Felipe, de 11 anos, aluno da 6ª série do Colégio 21 de Abril, que participou do curso oferecido pelo Proerd no primeiro semestre de 2010, mesmo com a pouca idade,  considera as drogas um atraso de vida e afirma querer ficar longe delas. As aulas, de prevenção e orientação sobre os diversos aspectos das drogas, são ministradas por policiais militares fardados a alunos do 5º e 6º anos, com faixa etária de 9 a 12 anos de idade. Ao final do curso é realizada uma formatura, onde os estudantes fazem um juramento de se manterem longe das drogas e da violência e recebem o diploma de “Aluno Proerd”.

 

Além do programa coordenado pela PM, policiais civis da Dipre também realizam atividades de conscientização acerca da problemática das drogas, suas possíveis causas e consequências, individuais e coletivas, com fundamentos científicos. O delegado da divisão, Germano Camelo, afirma que eles tratam de outros temas como tabagismo, alcoolismo, legislação sobre drogas e valorização da vida, onde o  público-alvo destes trabalhos são jovens entre 12 anos e 18 anos, educadores e familiares. Diferentemente do Proerd as palestras, oficinas, debates e cursos desenvolvidos pela Dipre estão presentes não apenas nas escolas, mas em universidades, ONGs e demais instituições.

 

A Dipre forma multiplicadores para desenvolver ações preventivas de combate à violência e ao uso indevido de drogas dentro das comunidades, com carga horária de no mínimo 40 horas.  Até o final de 2010, serão formados mais de mil profissionais em todo Estado, ressalta o delegado Camelo. Ele destaca que o papel do multiplicador é sensibilizar a população sobre os temas citados, com a finalidade de preservar a saúde e proteger, principalmente, a criança e o  adolescente. Seja uma liderança comunitária ou religiosa, um morador do bairro, ou seja, qualquer pessoa pode se tornar um multiplicador, lembra Camelo.

 

Saiba mais:

 

O Proerd foi criado em Los Angeles, nos Estados Unidos, em 1983 com o nome de Drug Abuse Resistance Education (Dare), em parceria com o Distrito Escolar Unificado e o Departamento de Polícia, para ser implantado nas escolas.

 

Hoje o Proerd está presente em aproximadamente 50 Países. O Ceará foi quinto Estado a implantar o programa. Foram formados 249 instrutores, todos policiais militares, para ministrar o curso. A Dipre com seu trabalho já beneficiou mais de 50 mil pessoas.

 

A escola que tiver interesse em participar do Proerd, seja pública ou particular, pode procurar diretamente o programa.

 

Mais informações:

 

Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd): 85 3101.3551

 

Divisão de Proteção ao Estudante (Dipre): 3101.7416

 

19.11.2010

Assessoria de Imprensa da SSPDS

Marcos Cavalcante / Joslen Herbster (ascom@sspds.ce.gov.br / 85 3101.6517 – 3101.6518)