Setor agropecuário fecha primeiro trimestre com alta de 26%

29 de junho de 2011

A agropecuária do Ceará, em 2010, apresentou tímido desempenho, consequência direta das condições meteorológicas inadequadas para as culturas agrícolas e pecuárias. No entanto, em 2011 o setor deve reverter o baixo resultado do ano passado. Tal expectativa já foi sinalizada pelo Produto Interno Bruto (PIB) verificado no primeiro trimestre deste ano, que já mostra uma variação positiva de 26% sobre igual período de 2010, conforme os dados do PIB recentemente divulgados pelo Instituto de Pesquisa e estratégia Econômica do Ceará (Ipece), órgão vinculado à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) Governo do Estado.

 

As expectativas e análise do setor no Ceará são alvos da mais nova edição, a de número 11, do Ipece/Informe, que tem como tema Agronegócio Cearense: Um Balanço de 2010 e Desempenho no 1º Trimestre de 2011. O trabalho revela, por exemplo, que o resultado do setor no ano passado foi inferior ao que foi verificado em 2009, mas reafirma as boas perspectivas para o ano de 2011. O estudo completo – inclusive com quadros e tabelas – já está disponível e pode ser acessado na página www.ipece.ce.gov.br.

 

Em termos de produção, os resultados do Ceará vão de encontro ao cenário agrícola nacional, que apresentou recorde na safra de grãos (cereais, leguminosas e oleaginosas), chegando a 149, 5 milhões de toneladas. Esse desempenho, em parte, pode ser explicado pelas boas condições climáticas nas principais regiões produtoras do País. A região Sul se apresentou como a maior produtora de grãos, seguida pela região Centro-Oeste.

 

As condições climáticas no Ceará foram refletidas no Índice Municipal de Alerta, indicador de vulnerabilidade dos municípios no que se refere às questões agrícolas e climatológicas, calculado e divulgado pelo Ipece juntamente com a Funceme, o qual mostra que os municípios mais vulneráveis encontravam-se nas regiões do Sertão Central, Sobral-ibiapaba e Sertão dos Inhamuns. Os municípios que apresentaram maior vulnerabilidade foram Caridade, Groaíras, Crateús, Irauçuba e Madalena.

 

Grãos

 

Os resultados da safra de grãos apresentaram uma significativa queda em relação ao ano de 2009 em função do quadro meteorológico observado em 2010. Ressalta-se, ainda, que nos dois últimos anos as quedas ocorreram por motivos contrários. Por exemplo, em 2009 o fator preponderante foi o excesso de chuvas, enquanto em 2010 a escassez de chuvas foi responsável pela quebra de safras. Considerando que o ano de 2009 representa uma base de comparação pequena, ainda assim, a safra de 2010 foi 57,0% menor.

 

A produção total de grãos em 2010 foi de 336,7 mil toneladas, enquanto que em 2009 a produção foi de 781 mil toneladas. No histórico das safras de grãos observa-se que após a safra recorde de grãos em 2006, com a produção de 1.145.557 toneladas, o ano de 2008 alcançou um bom desempenho, com a produção de 1,13 milhão de toneladas. No Ceará a produção de milho representa 51,9% da produção de grãos do Estado, que juntamente com a produção de feijão e arroz somam 95,6% do total da produção de grãos.

 

Fruticultura

 

A produção de frutas no Ceará vem ganhando notoriedade a cada ano, passando a ser um setor importante para o agronegócio e para a economia do Estado. Em 2010 a produção de frutas apresentou um crescimento de 0,66% em relação a 2009, alcançando um volume de 1.061.305 toneladas, excluindo abacaxi e coco-da-baía que são medidos em mil frutos.

 

A banana, com 445.169 toneladas, apresentou a maior participação na produção de frutas em 2010, representando 41,9%. Em seguida vem o maracujá, cuja produção representa 15,1% da produção de frutas, e o melão com 14,4%. Em 2010, os maiores crescimentos na produção de frutas foram observados para a uva e a graviola, com 124,4% e 69,0%, respectivamente. No entanto, esses percentuais representam apenas 0,63% e 0,25% do volume produzido, respectivamente. A castanha de caju, por sua vez, puxou o desempenho total para baixo, apresentando uma redução de 62,1% na produção.

 

Bovinocultura

 

O número de bovinos abatidos no Ceará, em 2010, chegou a 323.325 cabeças, que corresponde a um crescimento de 2,8% em relação ao ano anterior, segundo a Pesquisa Trimestral do Abate de Animais, do IBGE. A quantidade de leite cru, resfriado ou não, adquirido, no Ceará, segundo a Pesquisa Trimestral do Leite, do IBGE, apresentou um crescimento de 9,1% em relação a 2009, sendo que o 4o trimestre foi o que mais contribuiu para esse crescimento. O volume total foi de 215,94 milhões de litros de leite.

 

O abate de suínos no Ceará em 2010, segundo o IBGE, foi de 129.272 cabeças, indicando uma redução de 0,8% em relação ao ano anterior. Por outro lado, o abate de frangos no Ceará, nesse mesmo ano, atingiu o volume de 6,67 milhões de aves, um aumento de 23,3% em relação ao ano anterior.

 

A produção de ovos em 2010, por sua vez, foi 0,2% menor que a obtida em 2009, atingindo 100,56 milhões de dúzias. Os trimestres alternaram resultados positivos e negativos em relação a 2009, com uma recuperação maior no último trimestre.   

 

Considerando os dados disponíveis da produção de mel, em 2009 registrou-se a produção de 4.734.959 quilos de mel, um crescimento de 16,2% em relação ao ano anterior. O Ceará participou com 12,2%, ficando atrás de do Rio Grande do Sul, com 18,5% de participação, e Paraná, com 12,5%. O Nordeste participa com 38,6% da produção nacional de mel, enquanto a região Sul participa com 42,6%.

 

Mercado Internacional

 

O agronegócio do Ceará em 2010 atingiu a cifra de US$ 445.841.390, representando um crescimento de 9,3% em relação a 2009, e uma participação de 35,1% no total de exportações do Ceará. A Castanha de Caju apresentou a maior participação, com 40,8% das exportações do setor, sendo seguida pelas exportações de Melões Frescos, que participa com 16,7% e Outras Lagostas Congeladas Exceto as Inteiras, 13,2%. Ao incluirmos Ceras Vegetais na lista, esses quatro produtos acumulam 80,4% do total exportado pelo agronegócio.

 

29.06.2011

Assessoria de Imprensa do Ipece

Pádua Martins (padua.martins@ipece.ce.gov.br / 85 3101.3508)