Pais devem ficar de olho na saúde bucal das crianças durante as férias

16 de Janeiro de 2014

O Hospital Infantil Albert Sabin, unidade na rede estadual de saúde, conta com equipe de odontologia. Em 2013, o Hospital atendeu a 5.326 meninos e meninas na Odontologia.
Férias para as crianças é tempo de pensar só em brincadeiras, passeios, viagens e comer muitas guloseimas. Nesta época, pegar leve com os pequenos é comum para a maioria dos pais e das mães. Porém, os adultos devem ficar atentos com a saúde bucal dos pequenos. Longe da escola, as crianças saem da rotina, abusam de doces e esquecem de escovar os dentes. De acordo com a dentista Ana Cely Machado, coordenadora da Odontologia do Hospital Infantil Albert Sabin, não é porque é tempo de férias que a rotina diária de higiene deve ser alterada. Pelo contrário. Os pais devem aproveitar para prestar mais atenção na hora em que os filhos escovam os dentes, principalmente após o consumo de alimentos pegajosos, como alguns doces que grudam na superfície dentária, dificultam a escovação e geram bactérias responsáveis pelas cáries.

 

Segundo os dados do Ministério da Saúde, no Brasil, as crianças de 18 a 36 meses já têm em média um dente cariado. Ana Cely afirma que em 90% dos atendimentos odontológicos são diagnosticados problemas causados pela cárie. “Criança que tem o costume de comer batata frita, biscoito recheado e tomar refrigerante, tem cárie. O vilão é o açúcar”. Ela ressalta a valorização de uma dieta saudável a base de frutas e a visita regular ao dentista, essencial para orientar adultos e crianças sobre os hábitos corretos da higiene bucal. A escovação dos dentes após as refeições, o uso do fio dental, a limpeza da língua e das bochechas somados a uma alimentação balanceada, com controle de consumo de açúcar, por exemplo, ajuda a conservar dentes saudáveis. “A escovação é um hábito. Estimular as crianças com o exemplo dos pais é fundamental”, diz.

 

Outro fator que ajuda a criança a manter a saúde bucal é o bom relacionamento dos pais com o dentista. Isso gera confiança para os filhos e eles passam a gostar de ir ao consultório. “Se desde cedo os pequenos ouvem frases como ‘não tenha medo’, ‘não vai doer’, isso já pode apavorá-los. Às vezes, a criança tem dificuldade de ir ao dentista. O apoio dos pais com brincadeiras e a orientação do profissional ajuda”, comenta Ana Cely.

 

Cuidando da boca desde cedo

 

A criança deve aprender a importância  de cuidar dos dentes e da higiene da boca desde cedo. Mesmo ainda no período de aleitamento materno, do zero aos seis meses de vida, a mãe deve ter o hábito de limpar a boca do bebê. A dentista orienta que isso pode ser feito com uma fralda ou um cotonete molhado com água filtrada. A mãe limpa a gengiva, as bochechas e a língua, onde ficam o resto de leite. Já por volta de um ano, quando há maior número de dentes, os pais podem usar escova e creme dental sem flúor. É importante um profissional acompanhar o nascimento dos primeiros dentes e os hábitos de higiene que estão sendo seguidos.

 

Ana Cely também chama a atenção para os cuidados com alguns mitos. Há pais que não se preocupam com o dente de leite cariado, por ser um dente que muda. Segundo a especialista, a cárie do dente de leite pode passar para o dente permanente, e isso é um problema. Pois a dentição de leite é muito importante para que os dentes permanentes nasçam corretamente. Além disso, existem mães que confundem o primeiro molar com o dente de leite. “O molar é um dente que nasce entre os 5 e 6 anos de idade e ele é permanente. Se cariar e a criança perder, acabou. Desarticula toda a arcada dentária”, explica.

 

Dicas para manter a saúde bucal

 

Uso de antibióticos

Conforme a dentista, geralmente o antibiótico é à base de xarope, que é doce, contém açúcar. Então o que causa a cárie não é propriamente o antibiótico, mas a falta de higienização. Por isso a criança deve limpar os dentes depois de tomá-lo.

 

Quando o dente de leite amolece

Existe a cultura de arrancar o dente de leite, em casa, logo quando ele amolece. Se o dente de leite está mole, significa que o permanente está nascendo e exercendo pressão para sair. Durante esse processo, o dente de leite pode cair logo ou endurecer de novo e amolecer depois mais uma vez até o momento certo de cair naturalmente. É importante o acompanhamento do odontopediatra.

 

Alimentar-se dormindo

Caso seja necessário dar mamadeira à criança na hora do sono, mesmo com ela dormindo, pode-se tentar fazer a higienização com cotonete ou fralda umedecida com água filtrada.

 

Não tentar negociar com doces

A criança precisa de amor, carinho e atenção. Com um abraço afetuoso, um olhar amável e um beijo carinhoso, pode-se conseguir a atenção da criança. Tentar induzir a menina ou o menino a fazer algo, obedecer sob a troca ou promessa de ganhar um doce (pirulito, bombom, chocolate etc.), não é um bom negócio.

 

Escovação

Até os dois anos

– Use um cotonete, uma gaze ou uma fralda úmida para limpar as gengivas, mesmo antes de aparecerem os primeiros dentes. Quando estes começarem a nascer, faça da seguinte forma:

– Fique atrás da criança e, com uma das mãos, afaste os lábios e bochechas da criança. Com a outra mão escove o lado de fora e de dentro dos dentes em movimentos circulares;

– Escove a parte de cima dos dentes com movimentos de “vai-vem”;

– Escove também a língua e inicie o uso do fio dental.

 

Sete aos 12 anos

Crianças de sete anos já devem escovar seus próprios dentes da seguinte forma:

– A criança deve manter a boca fechada e escovar os dentes em movimentos circulares do lado de fora;
– Com a boca aberta deve repetir o mesmo movimento no lado de dentro;
– Escove a parte mastigatória dos dentes com movimentos de “vai-vem”;
– Escove a língua e use o fio dental. Os pais devem supervisionar a escovação e visitar o dentista regularmente para evitar problemas odontológicos sérios.
– Não deixe que a criança use mais pasta de dente do que o recomendado (tamanho de uma ervilha).

 

Serviços de odontologia no Albert Sabin

O Hospital Infantil Albert Sabin conta com equipe de cirurgiões dentistas que prestam serviços em cirurgia e traumatologia-buco-maxilo-facial, atendimento a crianças e adolescentes portadores de fissura labiopalatal e necessidades especiais, pacientes oncológicos com problemas sistêmicos e neurológicos, ortodontia e odontopediatria. Em 2013, o Hospital atendeu a 5.326 meninos e meninas na Odontologia.

 

16.01.2014

Assessoria de Comunicação do Hias

Helga Santos (imprensa@hias.ce.gov.br / 85 3256.1574)

t: @albertsabince
f: albertsabince