Semana de atividades marca Dia Mundial da Tuberculose

20 de Março de 2015

A Secretaria da Saúde do Estado inicia neste sábado, 21 de março, a semana de atividades que vão marcar o Dia Mundial da Tuberculose, com o início da exposição itinerante na Faculdade Evolução, Rua Pedro I, 1276, Centro, a partir das 9 horas. Na segunda-feira, 23, serão empossados os novos integrantes do Comitê Estadual de Controle da Tuberculose, às 8h30min, seguido da conferência “Coinfecção Tuberculose e HIV”, ministrada pelo diretor do Hospital São José, Roberto da Justa, no Auditório Waldir Arcoverde, da Sesa, Avenida Almirante Barroso, 600, Praia de Iracema.

 

No Dia Mundial da Tuberculose, terça-feira, 24, haverá sessão clínica sobre “Nova Ferramenta para Diagnóstico da Tubersulose”, às 8h30min, no Auditório do Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes. No mesmo dia a exposição itinerante ocupará o Espaço Chico Passeata, da Sesa, e, às 15 horas, haverá transmissão da palestra “Tuberculose, um problema de saúde pública”, na sala de webconferência da Coordenadoria de Políticas de Atenção à Saúde A exposição itinerante estará a partir da quinta-feira, 26, no Shopping Benfica, e no sábado, 28, no Shopping Del Paseo, encerrando as atividades da semana.

 

As atividades marcam o início da campanha de mobilização que se estenderá por todo o ano para orientar a população a reconhecer os sintomas e o tratamento da tuberculose, incentivar os sintomáticos respiratórios a realizarem o exame diagnóstico, estimular os pacientes a completar o tratamento e comprometer os gestores da saúde na expansão da estratégia do tratamento. Se não tratado, o paciente pulmonar bacilífero pode infectar até 15 pessoas por ano.

 

A tuberculose infecta pessoas em todos os países. A pobreza, desnutrição, más condições sanitárias e alta densidade populacional são fatores que contribuem para a disseminação da doença. Apenas com o cumprimento das metas de detecção de no mínimo 70% dos casos de tuberculose e cura de 85% desses casos o controle da doença será efetivo, possibilitando a redução da incidência em 5% ao ano.

 

No mundo, mais pessoas morrem de tuberculose do que de outras infecções curáveis. A cada dia 20 mil pessoas adoecem e 5 mil morrem. No Brasil, os índices da doença, que diminuíam na década de 80 do século passado, voltaram a crescer nos anos 90. No Ceará ocorreu pequena redução da taxa de incidência entre 2001 e 2013. de 46,5 para 40,4 por 100 mil habitantes. O Programa Estadual de Controle da Tuberculose tem desenvolvido ações que objetivam a ampliação do acesso ao diagnóstico precoce e tratamento.

 

Toda pessoa que apresente tosse por mais de 2 ou 3 semanas deve realizar baciloscopia de escarro para pesquisa de tuberculose. A meta do programa é examinar 1% da população, número estimado de sintomáticos respiratórios a cada ano. Persistem desafios no enfrentamento da doença. Entre eles, reduzir a taxa de abandono do tratamento, que está em 8,9%, acima da taxa de 5% aceitável pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

 

O Programa de Controle da Tuberculose da Secretaria da Saúde do Estado criou em 2008 o Comitê Metropolitano de Controle da Tuberculose, com o propósito de construir estratégias para o monitoramento e avaliação das políticas públicas de controle da doença, além de estruturar e implantar uma rede de monitoramento e avaliação para análise, intercâmbio e difusão de informações.

 

Transformado em Comitê Estadual de Controle da Tuberculose, o colegiado empossará os novos membros, que representam as seguintes instituições: Secretaria da Saúde do Estado, Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes (HM), Hospital São José de Doenças Infecciosas (HSJ), Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus), secretarias municipais de saúde de Fortaleza, Caucaia, Maracanaú, Itapipoca, Crato e Maranguape, Secretaria da Educação do Estado (Seduc), Serviço Social do Comércio (SESC), Fundação Nacional de Saúde (Funasa), Distrito Sanitário Especial Indígena (DISEI), Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde Pública, Conselho Comunitário de Apoio ao Ministério Público, Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/Aids – Núcleo Ceará, Fórum ONG Aids e Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan).

 

 

20.03.2015

 

Assessoria de Comunicação da Sesa
Selma Oliveira / Marcus Sá /  ( selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5221 / 3101.5220)
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara