#EducaçãoNotaDezNoCeará: Funcap há vinte anos apoia a formação de recursos humanos qualificados no Ceará

29 de setembro de 2015

No dia 8 de agosto de 1994 foram assinados os primeiros convênios para o financiamento de pesquisas científicas e tecnológicas no Ceará por meio da então Fundação Cearense de Amparo à Pesquisa, atual Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap). O Programa de Bolsas de Estudo de Pós-Graduação, criado em março de 1995, teve seu início antecipado em seis meses em resposta à demanda dos cursos cearenses.

 

Nesses 20 anos, a Funcap continuou aperfeiçoando seus programas de bolsas e auxílios para fazer jus à sua missão: contribuir para o desenvolvimento social e econômico do Estado por intermédio da pesquisa científica e de sua aplicação sob as formas de tecnologia e inovação.

 

 

Formação de recursos humanos qualificados

 

O primeiro relatório anual da Fundação já apontava: “O futuro do Ceará depende de seus recursos humanos de alto nível”. Em 1995, a instituição contava com 44 bolsistas de mestrado e 33 de doutorado. Em setembro, a Fundação contava com 758 bolsistas de Iniciação Científica; 577 de mestrado e 279 de doutorado (Edital 01/2015); outros 97 de mestrado e 103 de doutorado (Edital 03/2014) e 13 de Doutorado Fora do Estado.

 

 

Bolsas para jovens pesquisadores

 

A formação dessa qualificação começa ainda na graduação. A chamada 08/2014 – Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica e Tecnológica concedeu bolsas para 15 instituições cearenses de ensino e pesquisa (universidades, institutos de pesquisa e institutos tecnológicos).

 

O objetivo do programa é despertar vocação científica e incentivar talentos potenciais entre estudantes de graduação universitária, mediante participação em projeto de pesquisa, orientados por pesquisadores qualificados, contribuindo para a formação científica de recursos humanos para pesquisa ou qualquer outra atividade profissional.

 

“A bolsa de IC, além de estimular o aluno a ser eficiente, pois requer estudo, também estimula a se engajar em grupos de pesquisa como o que participei, no qual nós nos reuníamos semanalmente para debater assuntos como atualidades, projetos, apresentações de mestrados e doutorados dos professores”, destaca Domingos Lucas Araújo Barroso, estudante de Nutrição nas Faculdades INTA, em Sobral.

 

O apoio recebido o ajudou no deslocamento à faculdade e também na aquisição de materiais para pesquisa. O estudante passou um ano como bolsista voluntário e outro ano como bolsista de IC da Funcap. Para Domingos, a importância da bolsa de estudos Funcap “é máxima”, pois além de estimular a pesquisa em diversos setores, serve de estímulo ao profissional e ao futuro profissional para uma busca incessante por conhecimento e aprendizado.

 

O graduando chama atenção para o fato de potências mundiais destinarem uma boa parte do PIB para o apoio a pesquisas científicas, gerando impactos positivos na economia e no futuro do país. “Tendo este investimento constante e crescente, o Brasil sem dúvidas vai poder desfrutar de tecnologias e testes de diversos meios que possam atender a população e os laboratórios, sendo referência no mundo como investidor de tecnologias e meios científicos”, afirma Domingos.

 

 

Profissionais em busca de aperfeiçoamento

 

O Edital nº 01/2015 – Programa de Bolsas de Formação Acadêmica – modalidade: mestrado e doutorado concedeu quotas de  bolsas para dez instituições de ensino superior no Ceará, beneficiando 97 programas de pós-graduação. O Programa objetiva fortalecer o ensino de Pós-Graduação no Ceará, na sua quantidade, diversidade e qualidade, visando prover o estado de recursos humanos qualificados para a pesquisa científica, tecnológica e para a inovação, de modo a contribuir para o seu desenvolvimento social e econômico.

 

Nadja Rinelle Oliveira de Almeida é bolsista da Funcap desde 2010, quando ingressou como mestranda no Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira da Universidade Federal do Ceará (UFC). Segundo a agora doutoranda em Educação Brasileira, durante esse período como bolsista foi possível perceber que as bolsas financiadas pelas agências de fomento significam para os estudantes um incentivo para o início ou continuação da carreira acadêmica, ao oferecer ao país pesquisadores que, ao se debruçarem sobre seus objetos de pesquisa, poderão apontar resultados imprescindíveis para o seu desenvolvimento.

 

“Além disso, é importante destacar que na condição de estudantes isso é um direito que nos assiste. Destaco isso porque muitos bolsistas se sentem desconfortáveis porque na condição de ‘estudantes’, em muitas situações, os mesmos não são reconhecidos como ‘profissionais’, pela bolsa de estudo que recebem”, afirma Nadja.

 

De acordo com a doutoranda, os bolsistas são pesquisadores profissionais porque assumiram o compromisso de produzir escritos ou realizar experimentos que resultarão em um trabalho científico. “E, como todo trabalho, se exige tempo, planejamento, dedicação e um resultado satisfatório”, complementa.

 

“Neste sentido, a bolsa se revela como um incentivo, mas principalmente como uma contribuição para que possamos atender as nossas necessidades básicas e com isso oferecermos uma dedicação capaz de satisfazer o perfil que as agências de fomento exigem dos/as educandos: Contribuir com a produção e o desenvolvimento científico e tecnológico do país”, destaca Nadja Rinelle.

 

 

Compromisso e dedicação à pesquisa científica

 

“A pesquisa científica requer daqueles e daquelas que se comprometem a realizá–la, compromisso e dedicação. Compromisso porque acredito que por meio da pesquisa científica e do conhecimento produzido por ela é que poderemos avançar socialmente na construção de uma educação que dialogue com as reais necessidades da população brasileira ou, como por exemplo, oferecer um maior desenvolvimento das tecnologias, ou da saúde pública.

 

Uma nação que não investe em ciência, dificilmente conseguirá entender e superar as questões que lhe afetam”. A afirmação é da bolsista Kamila Sousa, mestranda em Educação Brasileira no Programa de Pós-graduação em Educação Brasileira da UFC.

 

Para a mestranda, a bolsa recebida para o desenvolvimento da pesquisa é fundamental para o sucesso de cada etapa. “Sem ela ou com seu atraso, a dedicação tende a ser afetada pelas preocupações que também temos referente às necessidades e despesas mensais que possuímos. Por isso, a ameaça de atraso, corte, tira a tranquilidade quanto ao andamento da pesquisa, que poderá ser prejudicado”, explica Kamila.

 

A pesquisa da bolsista é realizada em um assentamento no Interior do Ceará. A bolsa ajuda nos custos referentes ao deslocamento e à permanência no local, bem como em outras demandas inerentes ao universo dos pós-graduandos, como a compra de livros e a participação em eventos científicos.

 

“Então, reforço que para uma pesquisa ser desenvolvida com maior dedicação, compromisso e continuidade a bolsa é fundamental, principalmente porque como bolsista não tenho nenhuma outra fonte de renda, já que não trabalho, deixando muitas vezes de entrar no mercado de trabalho para poder se dedicar a vida e pesquisa acadêmica”, pontua Kamila.

 

 

Bolsista premiado na Itália, com orientação de um ilustre ex-bolsista

 

Bolsista da Funcap no Mestrado Acadêmico em Ciência da Computação da Universidade Estadual do Ceará (Uece) e membro do Grupo de Otimização em Engenharia de Software, Altino Dantas Basílio Neto foi o vencedor do prêmio de melhor artigo na trilha de estudante, na 7ª edição do Symposium on Search-Based Software Engineering (SSBSE 2015), realizado em Bérgamo, na Itália, de 5 a 7 de setembro.

 

Para o mestrando, o apoio financeiro da Funcap tem sido preponderante para o desenvolvimento como pesquisador. “Como sou do interior cearense (Sobral), este apoio possibilita-me, por exemplo, a estadia em Fortaleza e a dedicação exclusiva aos estudos, o que evidentemente tem determinado uma formação qualificada. Sem o fomento do estado teria sido praticamente impossível desenvolver uma pesquisa reconhecida internacionalmente”, destaca Altino Dantas.

 

O título do trabalho vencedor é “Interactive Software Release Planning with Preferences Base”. A orientação foi realizada pelo professor do Mestrado e pró-reitor de Pós-Graduação e Pesquisa da Uece, Jerffeson Teixeira de Souza, bolsista da Funcap entre 1998 e 2000, durante o mestrado em Ciências da Computação da UFC.

 

Do 3º semestre da graduação em Computação na UFC à conclusão do doutorado, o pesquisador pôde se dedicar integralmente aos estudos e pesquisas por receber bolsas em todos esses níveis. No mestrado, ele recebeu bolsa da Funcap durante todo o curso.

 

“Tendo sido orientado pelo professor Tarcísio Pequeno, pudemos desenvolver pesquisa de qualidade, que garantiu não somente minha titulação, mas meu encaminhamento para a Universidade de Ottawa, no Canadá, onde cursei meu doutorado”, afirma Jerffeson Teixeira.

 

Segundo o pró-reitor de Pós-Graduação e Pesquisa da Uece, as bolsas são absolutamente fundamentais no sentido de possibilitar dedicação integral de pesquisadores às atividades de pesquisa e às atividades de formação, no caso de cursos de pós-graduação stricto sensu. De acordo com o pesquisador, a Funcap tem, em toda sua história, contribuído de forma significativa nesse processo de oferta de bolsas, fortalecendo as instituições e os programas de pós-graduação cearenses.

 

“Como, no Brasil, grande parcela do desenvolvimento científico e tecnológico se dá dentro das universidades, no âmbito dos programas de pós-graduação stricto sensu, a oferta de bolsas de estudo tem impacto direto na quantidade e especialmente qualidade da ciência desenvolvida no país”, explica o pesquisador.

 

 

 

 

 

 

29.09.2015

 

Rafael Ayala
Assessor de Imprensa da Funcap
85 3275.9629 | 98660.2578
imprensa@funcap.ce.gov.br

 

Sabrina Lima
Gestora de Célula/Secretarias
sabrina.lima@gabgov.ce.gov.br

 

Coordenadoria de Imprensa
Casa Civil – Governo do Estado Ceará
(85) 3466.4898