Ciência e Tecnologia no CE: é na feira de ciências do colégio que muitos estudantes aguçam a vocação para a tecnologia

29 de outubro de 2015

Na matéria de hoje da série, você acompanha a experiência do repórter que voltou a ser estudante para participar da Feira Nacional de Ciência e Tecnologia, que aconteceu em Fortaleza nesta semana.

 

As novas tecnologias estão cada vez mais integrando as nossas vidas. Seja com novos produtos ou novas maneiras e formas de interagir no nosso cotidiano. Entender, participar, melhorar, inventar e ter novas ideias é o que muitos jovens querem e já estão fazendo. Mostrando que sabem fazer – e fazem bem feito – que os alunos das escolas públicas do Estado estiveram todos reunidos na feira de ciências e tecnologias da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2015, que aconteceu nos dias 27, 28 e 29 de outubro na Assembleia Legislativa do Ceará.

 

Nesta quinta-feira (29), fui desafiado a participar do evento e perceber como esse novo mundo vem transformando as nossas vidas, se tornando cada vez mais populares e promovendo o intercâmbio de conhecimentos e a criação de boas ideias. Assim qur cheguei, já percebi um ambiente bem heterogêneo e de bastante interação entre profissionais, pesquisadores, gestores, empresários, diretores, coordenadores, professores e estudantes de diversas instituições e empresas tecnológicas.

 

redimensionada  MVS1518O evento contou com uma vasta programação de workshops, painéis e exposições que trataram de temas como: divulgação científica, educação ambiental, empreendedorismo na ciência, sustentabilidade, construção de drones e aplicações do arduino, dentre outros. E, dentre todas as opções, fui participar do workshop de “criação de games”. Entrei no laboratório de informática e já me espantei com o número e a participação dos alunos. A aula, facilitada pelo mestre Edson Duarte, do Instituto Federal de São Paulo, unidade de Campinas, era assistida com a atenção e fascinação que o mundo da fantasia proporciona para um grande fã do games.

 

Ao final, fui conversar com um dos alunos do workshop para entender ainda mais como foi a experiência. De todos, o microempreendedor André Benevides, de 29 anos, me pareceu um dos mais empolgados, mesmo estando em um ambiente totalmente diferente do seu habitual. “Eu vim para este curso em busca de mais informações de programação, atrelando e aperfeiçoando ainda mais o meu trabalho. Tenho muito interesse em aprender e entender mais da área de tecnologia, mesmo não sendo meu ramo direto, pois me abre mais oportunidades. Por isso, vejo nesta iniciativa um futuro próspero para o setor de TI do nosso Estado, devido muitos redimensionada  MVS1558jovens poder ter a apresentação dessas ideias e iniciativas através de mais políticas públicas como essa”, comentou o aluno.

 

Logo depois, participei de uma oficina de empreendedorismo sustentável, ministrado pela professora Karine Pinheiro. Lá, ela ensinava sobre como montar o seu negócio, cooperando com os outros empreendimentos e ajudando de forma sustentável a sociedade. Então, vi um grupo de jovens, discutindo como montariam a sua empresa. Para uns, apenas uma dinâmica de grupo, mas para a estudante Brena Sousa, de 17 anos, aluna da Escola de Ensino Profissional Professora Alda Façanha, de Aquiraz, o assunto ali era bastante importante para a sua futura empresa. “Este é o segundo ano que estou participando do evento e está sendo muito gratificante, pois estou aprendendo bastante coisas que não havia visto e aprendido no ano passado. Essa oficina só tem me ajudar a montar uma empresa e ter uma visão de futuro e da organização das ideias. Eu vejo mais sobre o conhecimento de tecnologia, que é minha área de estudo, e serve de aprendizado para o meu curso”, falou empolgada a estudante.

 

Andando pelos corredores da feira, conheci a estudante Nathyelle Martins, de 16 anos, que cursa o 2º ano do ensino médio da Escola Estadual de Educação Profissional Edson Queiroz, de Cascavel, a 62 km de Fortaleza. Ela disse estar emocionada por ter uma oportunidade única. “A sensação que eu tenho de estar em um evento tão importante como este é de gratidão e incentivo, pois nosso objetivo é ir além, e este projeto abre diversas portas para a expansão do conhecimento”, ressaltou a estudante que aproveitou para explicar o seu projeto. “Nosso projeto se chama “Guia Fácil” e focamos na problemática bastante atual no Brasil que é a falta de acessibilidade para os deficientes visuais. Por termos redimensionado MVS1223pouca infraestrutura adequada, desenvolvemos um dispositivo que pudesse ajudar o deficiente visual a se locomover melhor para qualquer lugar e, assim, que essas dificuldades sejam ser amenizadas. Assim, desenvolvemos uma luva que indica quando se aproxima qualquer obstáculo que passe pelo caminho do usuário”.

 

Para o professor Neildson de Oliveira, professor técnico da Escola Estadual de Educação Profissional Edson Queiroz, ter seus ensinamentos desenvolvidos na prática por seus estudantes lhe dá a certeza de que está no ofício certo. “Eu vejo com muito orgulho todos esses trabalhos expostos aqui. Vejo nesses garotos a vontade de sonhar junto com eles. São garotos com desejos grandes e ajudar, nem que seja para dar um ‘empurrãozinho’ para esta conquista, é a nossa missão. A missão de ser um docente”, destacou o mestre.

 

A feira integrou a programação com foco em eixos temáticos: “Políticas Públicas em TIC”; “Games e Mobile”; “Internet das Coisas”; “Inovação Tecnológica na Área de Saúde”; “Robótica e Startups” e “Empreendedorismo Digital”, totalizando mais de 30 palestras, com a participação de 70 especialistas nacionais e internacionais. A programação contou ainda com 17 workshops de capacitação profissional realizados pelo Instituto Centec, Leme Digital, CTI Renato Archer e NextSaúde, projeto apoiado pela Funcap.

 

Foto: Marcos Studart

 

 

29.10.2015

 

Wilame Januário
Repórter/Célula de Reportagem

 

Sabrina Lima
Gestora de Célula/Secretarias

 

Coordenadoria de Imprensa da Casa Civil
Governo do Estado do Ceará
(85) 3466.4898