Conquista do direito ao voto pelas mulheres completa 84 anos

24 de fevereiro de 2016

Graças a luta das feministas brasileiras, as mulheres puderam, além de exercer a cidadania através do voto, concorrer a cargos eletivos

Há exatos 84 anos, em 24 de fevereiro de 1932, a mulher brasileira conquistou o direito ao voto. Apesar das inúmeras restrições que a lei impunha, limitando apenas às mulheres casadas com prévia autorização dos maridos e às viúvas e solteiras com renda própria, o sufrágio feminino foi um passo importante na luta pela ampliação dos direitos políticos.

Graças a incansável luta das feministas brasileiras, as mulheres puderam, além de exercer a cidadania através do voto, concorrer a cargos eletivos em todo o País, marcando a entrada definitiva da mulher na política institucional.

Apesar dos diversos avanços, essas conquistas não asseguraram a presença significativa das mulheres nos espaços de poder e decisão. A existência das cotas de pelo menos 30% dos candidatos mulheres de cada partido ou coligação até representou um passo adiante em relação a maior participação feminina na política, porém, essa e outras ações afirmativas, não se fazem suficientes na busca pela equidade na ocupação dos espaços públicos.

Nessa perspectiva, o compromisso por mais mulheres na política continua sendo uma bandeira fundamental para a superação da sub-representação, fortalecendo um processo por mais participação feminina na política.

Para Camila Silveira, coordenadora Estadual de Políticas Públicas para as Mulheres, o Governo do Estado dá o exemplo quando fomenta projetos e ações que contribuam de forma ampla e transversal para a participação feminina nos espaços de poder, dentre os quais, está a presença ativa da vice­governadora Izolda Cela no Pacto por um Ceará Pacífico, o qual tem como o referencial a segurança pública e o direito a vida em sua integralidade, mas também trabalhando o desenvolvimento humano das mulheres.

Não obstante, as atividades mais destacadas da Coordenadoria também permeiam essa realidade, dentre as quais: o fortalecimento do Conselho Cearense de Direitos da Mulher enquanto espaço de luta e formação política das mulheres, implementação da Casa da Mulher Brasileira; operacionalização das Unidades Móveis de Atendimento à Mulher do Campo, da Floresta e das Águas em Situação de Violência e a ampliação e fortalecimento da Rede Estadual de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, entre diversas outras ações, com foco na interiorização das atividades.

Somente por meio da efetivação dessas políticas públicas seremos capazes de promover justiça social, equiparação salarial, construção de autonomia e autodeterminação das mulheres, consolidando o poder político e econômico para todos os seres humanos, sem qualquer distinção de gênero, credo, raça ou orientação sexual.

A TVC aborda o assunto

O Jornal da TVC, exibido de segunda a sexta-feira, às 19h, vai destacar nesta quarta-feira a conquista do direito ao voto pelas mulheres. A convidada é articuladora da Coordenadoria da Mulher do Governo do Ceará, a Daciane Barreto. Ela vai falar conquistas femininas até os dias atuais, da representação das mulheres na política, das políticas voltadas para mulheres.

24.02.2016

Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para as Mulheres
Rodrigo Cavalcante / Articulador
85 3133.3726 / 8871.0291

Ciro Câmara
Gestor de Célula / Secretarias

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado
Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br    / 85 3466.4898