Diagnóstico precoce do câncer de mama aumenta chance de cura

8 de março de 2016

O câncer de mama ainda é o mais comum entre as mulheres. De acordo com o médico mastologista Olívio Feitosa Neto, do Instituto de Prevenção do Câncer (IPC), unidade da Secretaria de Saúde do Estado, a estimativa é de que 56.960 novos casos sejam diagnosticados no país somente neste ano de 2016. “Precocemente diagnosticado, a chance de cura do câncer de mama é superior a 90%”, diz.

 

Normalmente o câncer de mama aparece como uma massa ou tumoração palpável. Nem toda massa é câncer, mas na presença de uma massa ou tumoração mamária a mulher deve procurar um ginecologista ou mastologista. A melhor maneira de prevenir o surgimento do câncer de mama é o autocuidado. A realização do autoexame da mama deve ser feita mensalmente e na presença de alguma anormalidade, um médico deve ser procurado. “Olhar-se é importantíssimo. O autoexame é imprescindível para a mulher se conhecer, mas nunca substitui a mamografia”, ressalta o mastologista. Toda mulher acima de 40 anos deve fazer a mamografia de rastreio.

 

Com o autoexame, a estudante de biomedicina Wanda Alves Bezerra, 44, notou uma mudança em seu corpo. “Notei que meu seio direito estava diminuindo e fui ao posto de saúde, lá eles me encaminharam para o IPC, onde depois de fazer a prevenção, fiz a mamografia e foi detectada uma alteração. Lá mesmo eu fiz a biópsia que detectou o tumor”, diz.

 

O IPC é uma unidade de diagnóstico. As pacientes diagnosticadas com câncer de mama são encaminhadas para tratamento nas unidades de referência do Estado, Instituto do Câncer do Ceará (ICC) e Centro Regional Integrado de Oncologia (CRIO). Atualmente, Wanda faz tratamento de quimioterapia no CRIO. “Vou lá de 21 dias em 21 dias. Já venci a leucemia em 1998, serei capaz de vencer mais essa”, conta sorrindo.

 

Diagnóstico

 

Como todos os tipos de câncer, o da mama é caracterizado pelo crescimento descontrolado de células que adquirem características anormais. A doença acomete quase que exclusivamente em mulheres, mas os homens também podem ter câncer de mama. “1% dos cânceres de mama atinge o público masculino”, afirma Olívio. A patologia é classificada em diversos tipos e possui características e níveis diferentes de gravidade. Por isso, é imprescindível o acompanhamento médico. A ordem do tratamento depende das condições em que o tumor foi diagnosticado.

 

O primeiro passo é fazer o diagnóstico completo com análises clínicas e biópsia para descobrir se o tumor é benigno ou maligno. Então, o médico faz a indicação de cirurgia, quimioterapia e radioterapia ou das práticas combinadas, de acordo com cada caso. “Tudo depende das características do tumor. É muito importante salientar que hoje, as pacientes tem atendimento com profissionais de diversas áreas. Isso auxilia muito nas taxas de cura”, enfatiza Olívio.

 

Outros sintomas pode ser percebidos durante o autoexame: o endurecimento mamário, a presença de secreção pelo mamilo com aspecto de água de rocha ou sangue e o aparecimento de gânglios axilares. Alguns fatores podem são considerados de risco: a exposição prolongada aos hormônios femininos, o excesso de peso e o histórico familiar. Além disso, mulheres que não tiveram filhos ou tiveram o primeiro filho após os 35 anos, não amamentaram, fizeram uso de reposição hormonal, menstruaram muito cedo (antes dos 12 anos) e entraram mais tarde na menopausa (acima dos 50 anos).

 

Atendimento no IPC

 

Primeiro serviço de prevenção do câncer no Ceará. Inicialmente, realizava somente a prevenção do câncer genital feminino. Depois incorporou outros serviços, entre eles diagnóstico precoce do câncer de mama. Somente no ano passado, a unidade realizou 6.598 mamografias.

 

O acesso dos pacientes aos serviços ocorre através das centrais de marcação de consultas do Estado e do município de Fortaleza. Atualmente, a unidade conta com 14 ambulatórios, divididos em serviços de enfermagem, mastologia e ginecologia. Além dos setores de mamografia, ultrassonografia e o centro cirúrgico, para cirurgias de retirada de nódulo na mama, conização do colo do útero (procedimento cirúrgico no qual um pedaço em formato de cone é retirado do órgão para a realização de uma biópsia) e pele para os pacientes atendidos na instituição. O IPC tem uma equipe multidisciplinar, formada por ginecologistas, mastologistas, enfermeiros, radiologistas e dermatologistas.

 

Mês da Mulher

 

Em homenagem ao Dia da Mulher, o IPC marca o mês de março com uma série de matérias focadas na saúde do público feminino. Durante todas as terças-feiras, a série “Se cuidar também é um ato de amor” abordará diversos temas. Na próxima terça-feira, 15 de março, o tema será “Vacinação contra HPV”.

 

08.03.2016

 

Assessoria de Imprensa – IPC/CIDH /Lacen/
Suzana de Araújo Mont’Alverne ( suzana.alverne@lacen.ce.gov.br / 85 – 3101.1488 / 99802.6980)

 

Giselle Dutra
Gestora de Célula / Secretarias

 

Coordenadoria de imprensa do Governo do Estado
Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br / 85 3466.4898