#MulheresQueInspiram: ‘A mulher é a coluna da família’, afirma a primeira-dama do Estado

8 de março de 2016

 

 MVS0219 web

Na terceira e última matéria especial sobre o Dia Internacional da Mulher, vamos conhecer um pouco mais da mulher que encontrou na infância uma realização pessoal e profissional. A história da primeira-dama do Estado do Ceará, Onélia Maria Leite de Santana, idealizadora do Programa Mais Infância Ceará, se confunde com tantas outras mulheres que assumem vários papéis e deixam marcas em tudo que fazem.

No Dia Internacional da Mulher, Onélia Leite Santana lembra a importância da força e da sensibilidade feminina para o desenvolvimento social.

 MVS0226 webA rotina do dia a dia nem sempre nos permite observar a alegria do mundo ao nosso redor. Tarefas domésticas, atividades profissionais e trânsito intenso são alguns dos afazeres que nos vendam diariamente e nos impedem de enxergar as coisas boas da vida. Ou você já parou pra contemplar, por exemplo, as novas cores e formas que ocupam a Praça Luíza Távora, em Fortaleza?

 MVS0229 webSe a resposta for negativa é porque você não conhece o “Espaço Mais Infância”, equipamento do Governo do Estado voltado para as crianças, que recebeu estrutura lúdica, incentivando leitura e brincadeiras, representando a liberdade. Há quem ouse dizer que a novidade representa um resgate dos valores antigos. Quem já aproveitou as atividades do Arte na Praça, que percorre os municípios cearenses, lembram da cultura de liberdade, em que  as famílias saem juntas para uma tarde de brincadeiras ao ar livre.

O detalhe é que essas novidades tiveram origem na história, no olhar e no coração de uma mulher. Cada sorriso estampado ali representa a satisfação pessoal de quem sonhou com isso e tem, na alegria de uma criança, a realização de vida. As características são da primeira-dama do Estado do Ceará, Onélia Maria Leite de Santana, que se soma a tantas outras mulheres que assumem vários papéis e deixam marcas em tudo que fazem.

Neste Dia Internacional da Mulher ela lembra a importância da força e da sensibilidade feminina para o desenvolvimento social. Características que descobriu cedo, seja por vocação ou pelos ensinamentos que a vida impôs. “Aos cinco anos de idade eu perdi meus pais. Eu e meus irmãos fomos criados pela minha tia em um lar de união, de amor  MVS0216 webao próximo e muito ligado ao cristianismo. Isso foi muito forte na formação do nosso caráter, do nosso comportamento. Aprendemos a pensar no próximo, de ter amor pelas pessoas. Quando você vive isso é fácil amar incondicionalmente, independente de classe social, de cor”, aponta.

Decidida a fazer a diferença na vida dos cearenses e deixar um legado permanente, principalmente para as crianças, Onélia Leite aproveita o momento para realizar as possibilidades que se abrem. Em pouco mais de um ano na gestão, ela assumiu responsabilidades e fortaleceu a atenção, principalmente pela infância. “Sei o quanto é importante para as crianças crescerem assim, com amor. Você já imaginou uma criança feliz? Não há nada melhor e isso fica guardado na memória pra sempre”, reforça.

Foi com essa sensibilidade que o Gabinete da Primeira-dama do Estado Ceará abraçou novas causas, ampliou o leque de atuação e ganhou as ruas dos municípios do Estado, se aproximando das pessoas para fortalecer valores e laços familiares. O foco das ações está na raiz da sociedade, a primeira infância. Uma fase primordial para o desenvolvimento, com consequências futuras inevitáveis. A ideia é olhar para o agora, visando resultados a longo prazo e permanentes.

“Lançamos o Programa Mais Infância Ceará, que era um sonho e também porque – ainda durante a campanha -, visitamos o Interior e sentimos a necessidade de mais lazer para as crianças. Nós envolvemos várias secretarias do Estado e esferas de Governo para criar esse olhar sensível para o público infantil, para as famílias, para o fortalecimento de vínculo. Ouvimos as necessidades, avaliamos o que já tínhamos para elaborar nosso plano. A nossa ideia é ampliar as ações para todo o Ceará”, afirma.

Entre outros projetos, ganham destaque também o Praia Acessível, ação que promove acessibilidade de idosos, pessoas  com deficiência e mobilidade reduzida às praias;  e o Seminário de Aleitamento Materno. “Eu sou mãe, tenho dois laboratórios dentro de casa, que são meus filhos. Faço questão de estar com eles, de participar das brincadeiras, do crescimento, do aprendizado. Acompanho até a escola e atividades como natação, dança. Fiz questão de amamentar os dois. Não é fácil amamentar, mas é extremamente importante porque fortalece o vínculo, o contato, o olho no olho. Infelizmente, nem todas as mães conseguem amamentar, tendo em vista que é preciso disponibilidade e tempo. Mas nossa ideia é de incentivá-las para a amamentação, que é um momento tão importante e que passa tão rápido”, afirma.

Com formação em letras e psicopedagogia, além de experiência no exterior, Onélia Leite reforça que o interesse pela causa social começou ainda na faculdade. Foi durante uma ação do movimento estudantil que ela e o governador Camilo Santana se conheceram. “Hoje está tudo mais visível porque é outra esfera, muito maior, mas o nosso trabalho voltado para a infância e para o social começou há anos”, pontua.

O brilho no olhar, ao falar dos projetos, revela a força de vontade e o amor em realizar cada ação. “Desafios existem, sempre vão existir, mas nós estamos aqui pra isso, pra vencer os desafios e realizar nossos projetos”, aponta a primeira-dama, que tem claro o que quer deixar de legado para as crianças cearenses. “Que as crianças sejam boas pessoas, excelentes cidadãos, bons pais”, diz.

Com voz suave e ações sólidas, um coração doce e um pulso firme, a primeira-dama mostra que utiliza com inteligência o potencial feminino, a capacidade de pensar no todo e ter atenção especial em cada detalhe. A mensagem especial neste dia Internacional da Mulher é voltada para o amor, para o resgate de valores e atenção especial à família. “Amem suas crianças, amem suas famílias. A mulher é a coluna da família”, finaliza.

Biografia

Onélia Maria Leite de Santana é pós-graduanda em Psicopedagogia Clínica e Hospitalar pelo Centro Universitário Christus (Unichristus) e formada em Liderança Executiva em Desenvolvimento da Primeira Infância (Universidade de Harvard / Fundação Maria Cecília Souto Vidigal). Está atualmente como primeira-dama do Ceará e atua prioritariamente na área da infância.

É idealizadora do programa Mais Infância Ceará, voltado para o desenvolvimento infantil, lançado em agosto de 2015. Em 2008, desempenhou a função de técnica do Programa de Alfabetização na Idade Certa (Paic) na Coordenadoria Regional de Desenvolvimento da Educação (Crede 18). Foi secretária municipal de Meio Ambiente e Serviços Públicos (Semasp) na Prefeitura Municipal de Juazeiro do Norte, em 2006.

Em 2011, atuou como secretária municipal de Assistência Social, Trabalho e Cidadania (SEASTC), também no município de Juazeiro do Norte. De 2012 a 2014, foi coordenadora do Centro Vocacional Tecnológico Portuário, onde trabalhou na formação de trabalhadores portuários e familiares.

Dia Internacional da Mulher

Inicialmente proposta na virada do século XX, durante o rápido processo de industrialização e expansão econômica que levou aos protestos sobre as condições de trabalho. As mulheres empregadas em fábricas de vestuário e indústria têxtil foram protagonistas de um desses protestos em 8 de Março de 1857 em Nova Iorque, em que protestavam sobre as más condições de trabalho e reduzidos salários. Muitos outros protestos se seguiram nos anos seguintes ao episódio de 8 de Março, destacando-se em 1908, onde 15.000 mulheres marcharam sobre a cidade de Nova Iorque exigindo a redução de horário, melhores salários e o direito ao voto.

Em 1910, a primeira conferência internacional sobre a mulher ocorreu em Copenhagen, dirigida pela Internacional Socialista, e o Dia Internacional da Mulher foi estabelecido. No ano seguinte, esse dia foi celebrado por mais de um milhão de pessoas na Áustria, Dinamarca, Alemanha e Suíça, no dia 19 de Março. No entanto, logo depois, um incêndio na fábrica da Triangle Shirtwaist mataria 140 costureiras; o número elevado de mortes foi atribuído às más condições de segurança do edifício. Além disto, ocorreram também manifestações pela Paz em toda a Europa nas vésperas da Primeira Guerra Mundial.

Fotos: Marcos Studart / Governo do Ceará

 

– Veja as outras matérias do Especial #MulheresQueInspiram:

#MulheresQueInspiram: a presença feminina que faz a diferença

#MulheresQueInspiram: o destaque feminino nas ações aéreas de segurança do Estado

08.03.2016

Ana Martins
Gestora de Célula / Monitoramento

Vídeo:
Weberte Lemos
Gestor de Célula / TV

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado
Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br  / (85) 3466.4898