Sesa realiza ação de estratégia rápida para diagnóstico de microcefalia

16 de setembro de 2016

A 2ª etapa da ação de estratégia rápida para diagnóstico de 155 crianças com suspeita de microcefalia ocorre até sábado (17)

Como parte da ação de estratégia rápida para identificação e diagnóstico de crianças com suspeita de microcefalia, a Secretaria da Saúde do Estado realizará nesta sexta-feira (16) mutirão de atendimento para confirmação ou exclusão do diagnóstico de microcefalia nas policlínicas regionais em Caucaia e Pacajus. A segunda etapa da ação estratégica, que iniciou no último dia 5, na policlínica regional em Barbalha, e encerra neste sábado (17), na policlínica regional em Sobral, atenderá as 155 crianças identificadas com suspeitas de microcefalia nas cinco macrorregiões de saúde: Fortaleza, Sertão Central, Litoral Leste/ Jaguaribe, Sobral e Cariri. As crianças identificadas serão atendidas pela equipe multidisciplinar das policlínicas regionais e submetidas a exame para diagnóstico. Quando confirmada a microcefalia, as crianças serão cadastradas para atendimento no núcleo de estimulação precoce da policlínica regional mais próxima de onde elas residem.

A ação estratégica iniciou em fevereiro deste ano. Até o mês de julho, 222 crianças foram diagnosticadas com microcefalia nos mutirões realizados no Hospital e Maternidade José Martiniano de Alencar, em Fortaleza, e nas policlínicas regionais de Caucaia, Pacajus, Barbalha e Sobral. “É importante para que as crianças sejam encaminhadas o mais rápido possível para os núcleos de estimulação precoce e assim, melhorar o desenvolvimento delas. Quanto mais rápido o diagnóstico, melhor a reabilitação da criança”, diz Silvana Napoleão, supervisora do Núcleo de Saúde da Mulher, Adolescente e Criança da Sesa. Durante o mutirão, as crianças serão atendidas por neuropediatra, oftalmologista, fonoaudiólogo e farão exames de imagem necessários para diagnóstico e acompanhamento médico especializado.

Para assegurar os cuidados às mulheres grávidas e bebês com microcefalia, na Capital, o Governo do Ceará garante atendimento especializado no Hospital Geral César Cals, Hospital e Maternidade José Martiniano de Alencar e Hospital Geral de Fortaleza, além do atendimento para crianças no Hospital Infantil Albert Sabin. Os pacientes são atendidos com consultas e exames de imagem e laboratoriais. Em Fortaleza, na rede pública de saúde do Estado, as gestantes e bebês com microcefalia tem acesso a exames como tomografia computadorizada, ultrassom transfontanelar, ultrassom abdominal e ecocardiograma, sangue, líquor e urina, testes necessários para diagnóstico, com também acompanhamento médico especializado com neurologista, geneticista, infectologista, obstetra e pediatra. Os bebês com microcefalia atendidos nos hospitais são encaminhados para os serviços de referência locais em estimulação precoce. As terapias acontecem em 17 das 19 policlínicas regionais do Estado.

Núcleo de Estimulação Precoce

O atendimento no Núcleo de Estimulação Precoce das policlínicas regionais é feito por uma equipe multidisciplinar, formada por fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, fonoaudióloga e psicóloga. Atualmente, as policlínicas regionais que estão com o serviço implantado e em atendimento são as que estão localizadas em Aracati, Barbalha, Baturité, Brejo Santo, Camocim, Campos Sales, Caucaia, Crateús, Icó, Iguatu, Itapipoca, Limoeiro do Norte, Pacajus, Russas, Sobral, Tauá e Tianguá, que atendem a 294 crianças com distúrbios neuropsicomotores. Entre elas, 73 com microcefalia.

Para receber o atendimento na policlínica, o paciente precisa ser encaminhado pelo posto de saúde do município ou transferido de uma outra unidade de saúde. Ao chegar na policlínica regional, a criança é atendida pela equipe multidisciplinar do Núcleo de Estimulação Precoce, onde no primeiro dia é avaliada pela fisioterapeuta, fonoaudióloga e terapeuta ocupacional e então, elaborado o plano de tratamento de acordo com o que a criança apresenta. Após a avaliação, a criança passa a ser atendida no mínimo duas vezes por semana, recebendo acompanhamento e a mãe, orientações sobre como estimular o desenvolvimento do filho em casa.

A criação dos Núcleos de Estimulação Precoce nas policlínicas regionais do Estado foi articulada pela primeira-dama do Ceará, Onélia Leite Santana. A iniciativa é uma parceria do Governo do Estado, do Núcleo de Tratamento e Estimulação Precoce (Nutep), programa de extensão da Universidade Federal do Ceará (UFC), e dos municípios.

Mais Infância Ceará

A implantação do Núcleo de Estimulação Precoce nas policlínicas regionais do Governo do Estado é um marco histórico na atenção à saúde da criança, resultado do trabalho da primeira-dama do Estado, Onélia Maria Leite de Santana, idealizadora do Programa Mais Infância Ceará, o programa contempla três pilares: Tempo de Crescer, Tempo de Brincar e Tempo de Aprender. O Núcleo de Estimulação Precoce faz parte do pilar Tempo de Crescer que compreende o desenvolvimento infantil a partir de uma rede de fortalecimento de vínculos familiares e comunitários, com serviços e formações, que contemplem profissionais, pais e cuidadores.

Os profissionais das policlínicas que trabalham na estimulação precoce foram capacitados pelo Núcleo de Tratamento e Estimulação Precoce (Nutep), através de um convênio feito com a Secretaria da Saúde do Estado. A Sesa investiu R$ 1.157.404,28 no treinamento dos profissionais das policlínicas regionais.

Microcefalia no Ceará

Mensalmente, a Secretaria da Saúde do Estado elabora e divulga boletins epidemiológicos sobre microcefalia para deixar os profissionais de saúde orientados e atualizados, como também são instrumentos de informações para conhecimento da população. Neste ano, até o mês de agosto, foram notificados 336 casos em 113 municípios. Desses casos de microcefalia, 85 foram confirmados, sendo 12 relacionados à zika.

16.09.2016

Assessoria de Comunicação da Sesa
Marcus Sá/ Helga Rackel
(85) 3101.5221/ 3101.5220
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/SaudeCeara

Expediente imprensa2-01