Mais Infância Ceará: “São poucos os países da América Latina que têm feito algo tão bem estruturado quanto o Ceará”, diz professor Flávio Cunha, da Universidade Rice (EUA)

30 de março de 2017 # # # # # # # # # #

Foto: Ariel Gomes

O primeiro dia do Seminário Internacional Mais Infância Ceará foi marcado por temas que circundam o desenvolvimento de crianças na primeira infância. Palestrantes nacionais e internacionais elogiaram o Programa Mais Infância Ceará, iniciativa do Gabinete da Primeira-dama do Estado, e dividiram experiências com gestores municipais do Ceará. O evento segue até esta sexta-feira (31)

Foto: Ariel Gomes

Acreditar no desenvolvimento da criança é investir no progresso social. Este é o mote que guia o “Seminário Internacional Mais Infância Ceará: Criança É Prioridade”. O evento teve início nesta quinta-feira (30), no Centro de Eventos do Ceará, e prossegue até esta sexta-feira (31), reunindo prefeitos, primeiras-damas, e técnicos em Educação, Saúde e Assistência Social dos municípios cearenses. Parte do Programa Mais Infância Ceará, idealizado pela primeira-dama do Estado, Onélia Leite de Santana, o evento promove o contato de gestores municipais cearenses com nomes nacionais e internacionais da área de desenvolvimento infantil.

Um dos cinco palestrantes internacionais do Seminário, Flávio Cunha abriu o debate na tarde do primeiro dia do evento e não hesitou em qualificar o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Infantil (Padin), um dos pilares do Mais Infância, como inovador. “São poucos os países da América Latina que têm feito algo tão bem estruturado quanto o Ceará. São poucos os lugares no mundo que Flávio ARI5300tiveram a ambição de fazer algo na escala que está sendo feita, com uma avaliação de impacto tão robusta, tão bem estruturada”, classificou. O programa promove visitas domiciliares, encontros coletivos e comunitários para acompanhar e orientar mães, pais e cuidadores das crianças de 0 a 3 anos e 11 meses.


Foto: Ariel Gomes

Professor de Economia da Universidade Rice, em Houston, nos Estados Unidos, Flávio participa de estudos do Padin, que completa um ano de execução em junho próximo. Apesar do balanço não estar consolidado, o PhD em Economia pela Universidade de Chicago já projeta bons resultados. “Ninguém teve a disciplina de fazer o que o Governo do Ceará está fazendo. Começar (a direcionar políticas públicas para a infância) em pequena escala, avaliar e melhorar para, depois, levar para a grande escala. Isso é exemplo que outros entes federativos precisam seguir”, indica.

Após a discussão levantada por Flávio, da importância de monitorar o Padin neste ano inicial, o Seminário seguiu com a palestra “A importância do vínculo e do apego para o desenvolvimento infantil”, ministrada por Álvaro Medeiros de Leite, titular de Pediatria da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Foto: Ariel Gomes

Logo depois, o vice-presidente mundial da Organização Mundial para a Educação Pré-Escolar (Omep), Dr. Vital Didonet, discutiu sobre “Marco legal da primeira infância e a rede da primeira infância no Estado do Ceará”. Licenciado em Filosofia e Pedagogia pela Universidade de Brasília (UnB), ele disse que o Governo do Ceará está no caminho certo. “Segundo a Ciência, o período da vida até os seis anos de idade é o que mais marca a existência humana. São as experiências de vida que a pessoa tem, nessa fase, que vão estruturar sua personalidade, afetividade, sua forma de relacionar-se socialmente. A decisão política do Governo do Ceará em investir nisso é a mais inteligente que tem”, afirma.

Didonet ressalta, também, a participação conjunta da família e do Estado. “A família é onde a criança aprende a falar, a caminhar, a se relacionar, a saber quem ela é. É no âmbito familiar que a criança constrói sua personalidade básica. Agora, a família precisa do apoio do Estado, do Governo Federal, pra que ela possa dar conta desse papel primordial”, frisa.

No primeiro dia de evento, a programação contou, ainda, com a Conferência Magna “Por que investir na primeira infância”, com a especialista Mary Young. Pediatra e especialista em saúde global e desenvolvimento da criança, Young destacou os caminhos a serem traçados pelas políticas públicas, com estratégia para o desenvolvimento humano.

Troca de experiências

Para Ana Vládia Moreira, secretária da Educação do município de Tianguá, o evento só confirma a importância de voltar os olhares para os pequenos. “Antes, tínhamos a preocupação com a criança a partir de 4 anos. Quando essa criança chegava na escola, ela chegava, muitas vezes, trazida pelo Conselho Tutelar. E ela chega com toda a deficiência de estímulo, das palavras, do brincar, do aprender. Eu fico maravilhada com o evento por perceber que que essas políticas estão mudando”, anima-se.

Foto: Ariel Gomes

Vládia ressalta, também, a importância do contato com outros gestores municipais. “A gente se pergunta: o que está sendo trabalhado em outro estado? O que, lá, já foi feito que deu certo? Essa troca de experiência é muito importante, porque a gente percebe que a nossa preocupação não é só nossa; e a gente prevê como poderíamos trabalhar com parcerias”, projeta.

Foto: Ariel Gomes

Herbene Pessoa, assistente social do município de Umirim, concorda com Vládia. “A gente vê se o nosso trabalho está aproximado, o que pode ser melhorado. É interessante essa relação entre municípios de porte e regionalidade diferenciados, porque a gente poder ver que o Estado do Ceará está envolvido no trabalho com a primeira infância”, completa.

Programa Mais Infância Ceará

Estruturado em três pilares (Tempo de Brincar, Tempo de Aprender e Tempo de Crescer), o Mais Infância já realizou diversas ações com foco no desenvolvimento infantil. Lançado em agosto de 2015, o projeto foi idealizado pela primeira-dama Onélia Leite Santana, que também é presidente do Comitê Consultivo Intersetorial das Políticas de Desenvolvimento Infantil (CPDI), responsável por articular ações no Estado para a infância.

Por meio do Tempo de Brincar, o programa entregará, em 2017, 40 brinquedopraças, 35 brinquedocreches e 15 Praças Mais Infância aos municípios cearenses. Pelo Tempo de Aprender, já foram entregues Centros de Educação Infantil (CEIs), pela rede pública estadual, com mais ofertas de pré-escola e ampliação das atividades de creche.

Com objetivo de fortalecer vínculos familiares e comunitários por meio de serviços e formações que contemplem profissionais, pais e cuidadores, o Tempo de Crescer foi desenvolvido e implementou diversas ações de capacitação pelos municípios. Foram capacitados profissionais dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) nos 36 municípios de menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) ou em situação de vulnerabilidade social e realizadas visitas domiciliares em 36 municípios para o acompanhamento de 5 mil famílias. Além disso, foram formados 700 agentes comunitários de saúde e 120 enfermeiros da Estratégia Saúde da Família na área do desenvolvimento infantil.

O Seminário tem parceria das prefeituras municipais, do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal (FMCSV), da Universidade Federal do Ceará (UFC), da Universidade Estadual do Ceará (Uece), do Instituto da Infância (Ifan), Prefeitura de Fortaleza, da Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece) e da Associação para o Desenvolvimento dos Municípios do Ceará (APDMCE).

Núcleo de comunicação

  • Assessor Especial de Comunicação Chagas Vieira
  • Coordenadora de Imprensa Ana Cristina Cavalcante
  • Porta-voz Thiago Cafardo
  • Gestora de Conteúdo Wania Caldas
  • Gestor de Fotografia José Wagner
  • Fotografia Oficial Carlos Gibaja
  • Gestores de Secretarias Ciro Câmara Ana Martins Sabrina Lima
  • Comunicação Institucional Giselle Dutra
  • Gestor de Rádio Lúcio Filho
  • Gestor de TV Weberte Lemos
  • Gestor de Web Bruno Bacs
  • Gestor de Reportagem Wilson Zanini
  • Reportagem André Victor Rodrigues Thiago Sampaio Caio Faheina
  • Assessoria Primeira Dama Déborah Vanessa Wiarlen Ribeiro
  • Fotografia Ariel Gomes Marcos Studart Tiago Stille Nívia Uchôa Lia de Paula
  • Mídia Sociais Alyne Castro Daniel Santos Yuri Lobato