Primeira-dama do Estado participa de solenidade de projeto social liderado por policial militar

10 de julho de 2017 # #

Déborah Vanessa e Wiarlen Ribeiro Assessoria de Imprensa do Gabinete da Primeira-Dama (85) 3254.4028 / 98957.0292 deborah.vanessa@gabgov.ce.gov.br / wiarlen.ribeiro@casacivil.ce.gov.br

O projeto atende cerca de 250 jovens, entre 8 e 18 anos, principalmente estudantes da rede pública de ensino da cidade de Fortaleza

A primeira-dama do Estado, Onélia Leite de Santana, participou neste domingo (9), no Ginásio Poliesportivo da Parangaba, em Fortaleza, da formatura de 140 membros do Grupo Voluntário Guardião Juvenil (GVGJ). “A juventude cearense precisa de projetos como esse, que valorizem e estimulem o que eles têm de melhor. Só conseguiremos formar bons cidadãos se trabalharmos bem a base das nossas crianças e jovens”, informa Onélia.

Para o voluntário-geral, o sargento da Polícia Militar do Ceará Leonardo Márcio, o respeito com o outro é uma marca do projeto. “Essa turma passa a ser multiplicador da cidadania e da boa convivência. Os jovens formandos são orientados para que se tornem um cidadão preparado para as adversidades e, assim, respeitem seus limites e o do próximo”, salienta.

O projeto é uma iniciativa voluntária que atende cerca de 250 jovens, entre 8 e 18 anos, principalmente estudantes da rede pública de ensino da cidade de Fortaleza. Durante cinco meses, os formandos participam de curso sobre noções básicas de Direito, cidadania e primeiros socorros, com o objetivo de se tornarem cidadãos responsáveis e úteis em suas comunidades.

A mãe da formanda Marília Borges, dona Eliane Borges, de 44 anos, aprova a iniciativa e diz ser uma multiplicadora do GVGJ. “As pessoas precisam conhecer esse trabalho maravilhoso que esses militares fazem com os jovens. Minha filha se encontrou nesse grupo e tem colocado em prática tudo o que aprendeu”, destaca.

É o que também aponta o jovem voluntário Lucas dos Santos, de 15 anos. Para ele, os encontros possibilitaram uma nova rotina diária. “Esse projeto acolhe jovens como eu, que ocupava o tempo ocioso nas ruas. A partir desse grupo, eu transformei minha vida, pois passei a ter outra conduta com meus amigos e familiares”, enfatiza.