Hospital César Cals atualiza profissionais em higienização hospitalar

14 de agosto de 2017 # # #

Wescley Jorge - Assessoria de Comunicação do HGCC ascom@hgcc.ce.gov.br / 85 3101.5323 Facebook.com/HospitalGeralCesarCals

Boas práticas em higiene hospitalar e técnicas corretas de limpeza fazem parte da rotina do Hospital Geral César Cals (HGCC), do Governo do Ceará. O Centro de Estudos do HGCC, responsável pela educação permanente no hospital, desenvolve cursos, capacitações, palestras e formações para os profissionais. Com duração de dois meses, o Curso de Capacitação em Higienização Hospitalar utiliza a estratégia de montagem de um cenário com quatro estações que simulam cenas do cotidiano hospitalar, vivenciadas pelos profissionais de higienização. A primeira turma, formada pelos supervisores do serviço, iniciou na última terça-feira. Até o encerramento do curso, participarão 140 profissionais que atuam na área de higienização do hospital.

A qualificação das equipes de diferentes áreas de serviço do Hospital César Cals é fundamental para o atendimento de qualidade e segurança de pacientes e funcionários. A utilização de boas práticas durante a execução dos processos de limpeza, além de eliminar a sujidade visível e reduzir a carga contaminante das superfícies, evita a disseminação de microrganismos através da adoção de medidas de controle, preserva a saúde ocupacional e o meio ambiente.

Para o desenvolvimento da capacitação, é utilizado o método ativo, processo que visa estimular a autoaprendizagem e a curiosidade dos participantes para pesquisar, refletir e analisar as possíveis situações para encontrar as decisões adequadas. Toda a capacitação foi pensada para tratar sobre os principais procedimentos realizados pela equipe de higienização do hospital. “São três etapas que contam da identificação das condutas e da metodologia, o treinamento dos supervisores, com uma metodologia de participação nas estações de atividade, e por fim os supervisores transmitirão o conteúdo aos demais funcionários, de maneira que sejam multiplicadores do conhecimento”, afirma Thaís Gomes Falcão, enfermeira do Centro de Estudos.

Ao todo, serão quatro estações com quatro Procedimentos Operacionais Padrão (POP’s) que simulam desde a desinfecção terminal até a limpeza de fluidos. Thaís explica que o profissional participará de todas as etapas de maneira interativa. “Ele vai ver e ouvir, discutir, fazer e ensinar o conteúdo”, diz. Os procedimentos serão dessa maneira apresentados, discutidos, realizados e corrigidos ao mesmo tempo. É uma atualização das informações como se estivessem na execução diária de um hospital, por meio de uma simulação realística. “A gente cria um ambiente aproximado da realidade que o higienizador irá encontrar”, ressalta a enfermeira.

Conforme destaca a enfermeira Jéssica Haymee Medeiros, responsável por ministrar a capacitação, a estratégia das estações aborda a desinfecção terminal, no leito do paciente; a limpeza concorrente, referente ao piso hospitalar; a limpeza de sem fluido, como as bancadas, e a limpeza de superfície com fluidos, que envolve pisos e bancadas. “Simulamos fluidos como sangue para que a realização da prática seja o mais próximo da realidade”, esclarece.

Para Antônio Carlos Vale Paula, coordenador do serviço de higienização do HGCC, a capacitação é mais uma ferramenta de melhoria dos serviços prestados, o que permite uma prática cada vez mais especializada das ações de limpeza. “O curso permite uma atualização das práticas e ainda mais proteção e segurança para o paciente e para o funcionário”, diz.

Uma das supervisoras diurnas do serviço de higienização do Hospital César Cals, Rubineide Dantas Bezerra, participou da primeira turma da capacitação. Para ela, mesmo que os profissionais já conheçam as técnicas, as capacitações renovam o conhecimento e reforçam as medidas já adotadas, além de ajudar no controle e prevenção das intercorrências. “A maneira como foi transmitido o conteúdo trouxe muito mais aprendizado e conhecimento, até porque participamos de todo o processo”, diz.

Além da abordagem das técnicas, também foram discutidas e reforçadas o uso constante dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s). As orientações seguem a recomendação da Norma Regulamentadora NR 6, do Ministério do Trabalho, que regulamenta o uso de equipamentos de proteção no ambiente de trabalho. Foi destacado o uso adequado de luvas, máscaras, gorros, aventais, entre outros, que são essenciais para execução com segurança dos procedimentos.