Diagnóstico precoce ajuda no tratamento de insuficiência cardíaca

24 de agosto de 2017 # # #

Para debater sobre os novos tratamentos e métodos que podem ter maior eficácia no controle da insuficiência cardíaca, o Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes (HM), do Governo do Ceará, realiza nesta sexta-feira (25), às 14 horas, um encontro com médicos e enfermeiros, no auditório principal do HM. Os participantes participarão da palestra com o tema “Construindo um novo paradigma no tratamento da Insuficiência Cardíaca”, que será ministrada pelo coordenador clínico da Unidade de Transplante Cardíaco, o cardiologista João David de Souza Neto.

Referência no diagnóstico e tratamento de doenças do coração, como a insuficiência cardíaca, por exemplo, o Hospital de Messejana tem uma clínica específica para esse tipo de atendimento. São 28 leitos exclusivos para pacientes diagnosticados com insuficiência cardíaca, que precisam ficar internados para amenizar os sintomas da doença.

O pedreiro Antonio Edio, 41, é um dos pacientes atendidos pelo serviço. Desde que descobriu que era portador de insuficiência cardíaca, há 10 anos, ele precisou mudar de vida. “Não tive mais condições de trabalhar, não tenho a mesma disposição, sinto muito cansaço, a alimentação é mais restrita e passo dias e dias internado, tomando medicamentos”, revela.

De acordo com o cardiologista João David de Souza Neto, a insuficiência cardíaca é a doença que mais causa internação, principalmente entre pacientes acima dos 60 anos de idade. “Estamos sempre buscando novos tratamentos e alternativas para mudar os paradigmas dessa doença, realizando intervenções para que possamos diminuir e até interromper a alta mortalidade no Brasil”, explica.

O zelador Emanuel da Silva Gomes, 36, casado e com dois filhos, conta que os sintomas apareceram há 4 anos. “Comecei a me sentir fraco, com um cansaço diferente e muita falta de ar. Foi aqui no Hospital de Messejana que os médicos descobriram que o meu problema é a insuficiência cardíaca. De lá para cá, venho sendo acompanhado por cardiologistas e realizando o tratamento recomendado”, conta.

A insuficiência cardíaca é uma doença em que o coração não consegue mais bombear sangue suficiente para o corpo. As funções vitais do organismo ficam comprometidas. Alguns pacientes não apresentam sintomas no primeiro estágio da doença, mas é preciso investigar caso sintam falta de ar, tosse, inchaço nos membros inferiores, perda ou ganho de peso, palpitações, fadiga, diminuição da concentração, náusea e suor excessivo. “O importante é que o diagnóstico seja dado o mais precoce possível para que o tratamento seja adequado e tenha uma reposta mais rápida”, ressalta João David.

O médico ainda orienta que é importante mudar o estilo de vida ao ser diagnosticado com a doença. “Obesos devem emagrecer, fumantes têm que largar o cigarro, álcool deve ser evitado e exercícios supervisionados para reabilitação cardíaca podem ser indicados. Nos casos mais graves, a única solução é o transplante cardíaco”, fala.

O acompanhamento e tratamento no Hospital de Messejana é realizado com medicamentos venosos e com o trabalho de uma equipe multiprofissional, formada por fisioterapeutas, assistentes sociais, psicólogos, terapeutas ocupacionais, enfermeiros e dentistas. “Esse envolvimento de vários profissionais é que faz a diferença no diagnóstico, no tratamento e na recuperação do paciente”, afirma o cardiologista.