Setembro Amarelo: Saúde debate suicídio em sessão de cinema e ciclo de debates

11 de setembro de 2017 # # # #

Cristiane Bonfim/ Marcus Sá / Helga Rackel - Assessoria de Comunicação da Sesa
(85) 3101.5221 / 3101.5220 - www.facebook.com/SaudeCeara

Como parte da programação da Secretaria da Saúde do Ceará para o Setembro Amarelo, está agendado para o próximo dia 15 o Ciclo de Debates – Diálogos em Saúde Mental, com o tema “Suicídio: uma abordagem interdisciplinar”,das 8h30 às 12 horas, no Centro Universitário Christus (Unichristus), Rua Paulo Mamede, 133, Cocó, em Fortaleza. Antes, na segunda-feira (11), às 9h30, representantes da Secretaria da Saúde participam da programação do Cine Debate do Shopping Benfica, com exibição e discussão sobre o filme “As Vantagens de Ser Invisível”, no Cine Benfica 3.

Na trama de “As Vantagens de Ser Invisível”, um garoto de 15 anos, Charlie, entra no colegial enquanto se recupera de uma depressão, que lhe rendeu tendências suicidas, e da perda de seu único amigo. No colégio, porém, começa sua jornada de socialização, de crescimento e recuperação com a inadvertida ajuda de dois veteranos, Patrick e Sam, que o recebem em seu mundinho à parte dos populares da escola.

Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio, com o objetivo direto de alertar a população a respeito dessa realidade no Brasil e no mundo e suas formas de prevenção. O movimento acontece durante o mês de setembro em todo o mundo. Há uma atenção especial no dia 10 de setembro, Dia Mundial de Prevenção do Suicídio.

Segundo a cartilha Suicídio, Informando para Viver, da Associação Brasileira de Psiquiatria, apenas 3% dos casos não podem ser relacionados a alguma doença psiquiátrica. Para todos os outros, há tratamento – 36% dos suicidas apresentam distúrbios de humor e 22% transtornos por uso de substâncias psicoativas. Por isso, é importante a família ficar atenta a mudanças no comportamento dos filhos. O Brasil tem uma média de 24 suicídios oficialmente registrados por dia. Cerca de 90% dos casos são relacionados a doenças mentais sem tratamento adequado, o que indica uma possibilidade de prevenção.

Na rede pública de saúde, a assistência a essas pessoas é oferecida desde a atenção básica, através dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). Atualmente, há 131 CAPS em funcionamento no Ceará. O paciente recebe atendimento próximo da família, assistência médica especializada e todo o cuidado terapêutico conforme o seu quadro de saúde. Quando recomendado pelo médico, o SUS disponibiliza gratuitamente medicamentos que podem auxiliar no tratamento dos pacientes. Assistência especializada também é ofertada pelo Projeto Pravida, que funciona às quintas-feiras pela manhã, no Hospital Universitário Walter Cantídio, e na Emergência do Hospital de Saúde Mental Professor Frota Pinto (HSM), da rede pública estadual.

Mais informações com o Núcleo de Atenção à Saúde Mental (NUSAM/COPAS): (85) 3101-5276 / saudementalceara@gmail.com