Educação: Projeto Jovem Explorador conquista mais uma premiação

18 de setembro de 2017 # #

Assessoria de Comunicação da Seduc com informações do Porvir - 85 3101.3972

O projeto Jovem Explorador, desenvolvido pela Escola de Ensino Médio Menezes Pimentel, localizada no município de Pacoti, conquistou mais uma premiação. A experiência, orientada pelo professor de História Levi Jucá, é destaque no Desafio Diário de Inovações 2017 – Como Inovar na Sala de Aula, na categoria Ensino Médio. Promovido pela Agência de Notícias Porvir e o Instituto Brasileiro de Formação de Educadores, o Desafio reuniu relatos e descrições da metodologia utilizada em escolas e universidades de todas as regiões do Brasil, de municípios de 22 estados brasileiros. A iniciativa da escola cearense foi a única do Nordeste a participar do Desafio.

A partir do Jovem Explorador, os alunos passaram a fazer excursões científicas, percorrendo a região do Maciço de Baturité e coletando informações sobre cultura, fauna e flora, entre outras características. De acordo com o projeto, a ação teve início em setembro de 2014, e foi inspirada em uma expedição empreendida no século XIX, a mando de D. Pedro II, com o objetivo de desbravar o norte do país. A área escolhida foi o Ceará, local em que a comissão de pesquisadores passou três anos, colhendo dados sobre as características da região. O Maciço de Baturité esteve na rota dos expedicionários. O material coletado ajudou a criar o Museu Nacional, no Rio de Janeiro.

Metodologia

O projeto funciona seguindo os moldes da excursão pioneira. O grupo de estudantes, composto por alunos das três séries do Ensino Médio, divide-se em cinco equipes de trabalho, cada uma mais voltada a uma temática específica. Desta forma, trabalha a interdisciplinaridade, envolvendo diretamente as matérias de História, Geografia, Sociologia, Biologia e Química.

Conforme o professor Levi Jucá, o principal objetivo é fazer os jovens conhecerem a própria sociedade em que estão inseridos, descobrindo o papel ativo e transformador que têm dentro da comunidade. “Eles estão na escola não apenas para aprender conteúdos, serem aprovados em provas ou em vestibulares. Também, para serem agentes de transformação na cidade em que vivem, tendo olhar sensível para a realidade local, e deixando uma contribuição de crescimento social e cultural”, avalia o professor.

A ação representou o Brasil no evento internacional “Be the Change Conference”, em Pequim, na China, em dezembro de 2016. Além disso, foi agraciada, em 2015, com o VI Prêmio ibero-Americano de Educação e Museus, promovido pelo Programa Ibermuseus/IBRAM, concorrendo com outros 147 projetos de 12 países.

Desafio Diário de Inovações 2017

O Desafio selecionou um relato destaque para cada etapa de ensino: Educação Infantil, Ensino Fundamental I, Ensino Fundamental II, Ensino Médio, EJA e Ensino Superior. Os vencedores foram definidos por um júri técnico composto pelos educadores Adriana Gandin, Débora Garófalo, Eric Rodrigues, José Moran, Lilian Bacich e Luis Junqueira.

Os seis selecionados foram contemplados com um tour por experiências inovadoras em educação de São Paulo (SP), de 1 a 3 de outubro próximo, e as experiências de todos os finalistas serão publicadas em um e-book, a ser lançado em 15 de outubro, dia do professor.

Clique AQUI e conheça os vencedores