Em dois meses, Hemoce recebe mais de 19 mil doações de sangue

9 de outubro de 2017 # #

Natássya Cybelly - Assessoria de Imprensa do Hemoce
Fotos - Ascom Hemoce

O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará, Hemoce, da rede pública do Governo do Ceará, alcançou nos meses de agosto e setembro de 2017 um número de doações superior ao mesmo período de 2016. Foram 19.694 bolsas de sangue coletadas nos dois meses, este ano, representando um aumento de 9,6 % se comparado com o ano anterior, quando foram 17.973 doações.

Todos os dias, o Hemoce recebe voluntários nas unidades de Fortaleza e no interior do Estado que realizam as doações de sangue como uma atividade regular e ajudam a manter o estoque estável. Doadora há mais de quatro anos, a nutricionista Gecica Kersia Cruz é uma das voluntárias que procuram os postos de coleta do Hemoce. “Eu já doei no posto de coleta no IJF, em uma coleta externa em Limoeiro do Norte e hoje como estava próximo aqui da sede em Fortaleza decidi tirar um tempinho para doar sangue novamente”, diz.

Além de doar sangue, Gecica afirma que procura motivar outras pessoas a doarem também. “Sempre que vou doar, convido pelo menos mais uma pessoa para junto comigo ajudar a salvar mais vidas. É um procedimento tão simples, rápido, que só faz o bem. Por isso, enquanto eu puder, vou continuar doando”, finaliza.

O sangue doado no Hemoce atende a pacientes que necessitam de transfusão de sangue em 427 unidades de saúde do Ceará. A estudante Natasha Carvalho é uma das pacientes que recebe transfusão de sangue no ambulatório de coagulopatias e hemoglobinopatias do Hemoce.

Diagnosticada com talassemia (doença genética que provoca anemia) há três anos, Natasha faz o acompanhamento no Hemoce e todos os meses recebe pelo menos duas bolsas de sangue com hemácias para manter os níveis de hemoglobina necessários para a oxigenação do organismo. “Pra mim é essencial receber a transfusão e me sinto muito grata e feliz por saber que existem várias vezes pessoas dispostas a ajudar através da doação de sangue”, fala.

Com a solidariedade dos cearenses, o Hemoce além de manter o estoque de bolsas de sangue em quantidade necessária para atender as demandas transfusionais dos pacientes, conseguiu fazer doações para um hemocentro de outro estado. No mês de setembro, o Hemoce doou 330 bolsas de sangue para o hemocentro do estado do Rio de Janeiro (Hemorio) que estava com estoque baixo de hemocomponentes.

“A gente só tem a agradecer a todas as pessoas que tiram um tempinho do seu dia para realizar as doações voluntárias nos pontos de coleta do Hemoce, porque com ajuda de cada doador, a gente consegue manter o estoque estável, e ainda atender situações esporádicas de solidariedade como foi o caso com o Hemorio”, ressalta Luciana Carlos, diretora geral do Hemoce.

Pioneirismo

O Ceará foi o primeiro estado brasileiro a enviar sangue raro para outro país. A bolsa de sangue com aproximadamente 350 ml de sangue, cruzou fronteiras e atravessou mais de quatro mil quilômetros para chegar até Medellín, Colômbia, em julho deste ano. Além de o Brasil enviar pela primeira vez, foi também a primeira vez que a Colômbia recebeu o sangue doado por outro país. Somente 11 famílias no Brasil possuem o fenótipo Bombay, tipo sanguíneo raríssimo no mundo.

O que é necessário para doar

Para ser um doador de sangue é necessário estar saudável, bem alimentado, ter entre 16 e 69 anos, ter mais de 50 quilos, apresentar um documento oficial e original com foto. Os menores de 18 anos para doar, precisam apresentar o termo de consentimento para menores que está disponível no site (www.hemoce.ce.gov.br).Com uma bolsa de sangue é possível beneficiar até quatro pessoas já que o sangue é dividido em diferente hemocomponentes. Os homens pode doar a cada dois meses até quatro vezes e as mulheres a cada três meses até três vezes por ano.

 

Ouça

A diretora geral do Hemoce, Luciana Carlos, comemora os números e pede para que os cearenses doem sangue cada vez mais.