PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Profissionais de saúde discutem boas práticas de planejamento reprodutivo, parto e nascimento

24 de maio de 2019 - 17:17 # # #

Ascom Saúde

Equipes das Coordenadorias Regionais de Saúde, de maternidades e hospitais de referência de alta complexidade se reuniram nos dias 23 e 24 de maio, em Fortaleza, para a primeira edição do Seminário Estadual de Boas Práticas de Planejamento Reprodutivo, evento voltado para o cuidado integral à saúde materno infantil e discussão de temas essenciais à valorização da saúde da mulher e da criança.

Na abertura do evento, foi apontada a contextualização dos processos de trabalho do Aprimoramento e Inovação no Cuidado e Ensino em Obstetrícia e Neonatologia (Apice On) e Qualidade Neonatal (QualiNEO) projetos do Ministério da Saúde, além da atenção obstétrica e neonatal à prematuridade.

Foram realizadas salas temáticas para apresentação do Apice On, QualiNEO e do Projeto Nascer no Ceará,enfatizando as experiências dos profissionais e o compartilhamento de boas práticas e protocolos.

Rede de cuidados

A coordenadora da Maternidade da Santa Casa de Sobral, Michele Prudêncio, destacou a importância da rede de cuidados que parte desde a atenção básica até o momento de parto e pós-parto, que todos os envolvidos devem estar alinhados para o aprimoramento constante do atendimento e organização da rede para melhoria do serviço.

“A rede de atenção à saúde materno e infantil se tiver organizada reduz a mortalidade materno e infantil. Todos os assuntos abordados foram importantes para que a gente possa desenvolver processos para que mãe e recém-nascido recebam uma atenção de qualidade durante a gestação, o parto e o nascimento”, afirmou Michele Prudêncio.

A mediadora do Projeto Apice On, Ana Fátima Braga, ressaltou a qualificação dos serviços e boas práticas no momento do parto. “Os profissionais do Hospital Geral de Fortaleza (HGF) e do Hospital Geral Dr. César Cals (HGCC) construíram um plano de ação, muitos avanços já aconteceram. Conseguimos nesse seminário apresentar parte dos avanços que esses serviços tiveram e proporcionar a troca de experiências com outros profissionais. Desta forma, eles tiveram como contribuir para a melhoria da qualificação obstétrica”, disse.

A programação do evento seguiu com plenária e discussão de temas sobre a assistência humanizada e atenção integral à mulher em situação de violência com experiências dos atendimentos da Casa da Mulher Brasileira, Maternidade Escola Assis Chateaubriand e Hospital Gonzaga Mota de Messejana. Com a apresentação do tema “Política Estadual para Atenção Integral à Mulher em Situação de Violência”, discorreu-se a primordialidade da articulação para os profissionais, apontando formas de atuar integrando os eixos da proposta às instâncias de gestão.

Para Magda Almeida, da Coordenação de Políticas e Atenção em Saúde (Copas) da Sesa, a metodologia proposta no evento permitiu que os profissionais compartilhassem experiências, conhecendo a realidade dos hospitais participantes, cooperando na construção de um panorama regional dos serviços prestados.

“O principal objetivo desse seminário é que os hospitais de referência se comuniquem, façam protocolos integrados e uniformes, que sejam sensibilizados pelas boas práticas de planejamento reprodutivo, parto e nascimento. Vamos finalizar com notas técnicas, protocolos de fluxo e boas práticas de atendimento. Desse modo, o Ceará pode se tornar uma referência dentro do atendimento da saúde materno e infantil”, completou.