PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Ceará se destaca por potencial relativo à Economia do Mar

23 de setembro de 2019 - 17:26 # # # # #

Nara Gadelha Texto
Thiara Montefusco Fotos

Ao fomentar investimento nos vetores de esporte, turismo, tecnologia, inovação, educação e empreendedorismo, o Estado ganha projeção no cenário mundial. No último domingo, o Ceará entrou para o Guiness Book, o Livro dos Recordes, ao lançar ao mar 596 kitesurfistas velejando juntos

Com 573 km de costa, o Ceará vem decolando sua imagem como terra do sol e dos ventos. Seja na indústria da pesca, na geração de energia eólica, na atração de turismo e no incentivo aos esportes marítimos, o Estado fortalece cada vez mais o setor produtivo chamado Economia do Mar. A criação de cenários que atraem investidores e que, ao mesmo tempo, incentivam o compartilhamento de experiências em torno do assunto fazem com que a posição estratégica do Ceará esteja cada vez mais em evidência.

Segundo o secretário-chefe da Casa Civil, Élcio Batista, o vento se transforma na personagem principal do novo Ceará. Da geração de energia aos esportes náuticos, a tecnologia está possibilitando que o vento seja aproveitado como matéria-prima para o desenvolvimento econômico, social e cultural. “A força gerada pelo vento nos colocou numa posição privilegiada no Brasil e no mundo: auto-suficiência na geração e distribuição de energia. Hoje, o Ceará é exportador de energia limpa e sustentável. Este fato atrai empresas de alta tecnologia de diversos países tanto para explorar as potencialidades energéticas quanto para fabricar componentes e equipamentos”.

Élcio destaca que o mais significativo aspecto desta nova realidade reside na atração de empresas de todos os setores econômicos, uma vez que o insumo básico de qualquer atividade produtiva é a energia. “O vento também está criando e, em alguns casos – como Cumbuco, Flecheiras, Icaraizinho de Amontada, Itarema, Barra Nova, Icapuí, Fortim, Preá e Jericoacoara – recriando um conjunto de atividades promissoras para o setor turístico. Apaixonados por kitesurfe, windsurfe e esportes de vela encontram nas praias cearenses as condições ideias para a prática destes esportes”, complementa.

Winds for Future e o recorde mundial

Durante os dias 21 e 22 de setembro, mais de 2 mil pessoas estiveram reunidas em um evento inédito de inovação e tecnologia na beira da praia. Com 50 palestrantes, 75 expositores, startups e diversos investidores a fim de atrair pessoas que querem mudar o mundo, o Winds for Future deixou sua marca para a história neste final de semana, na praia do Cumbuco. Foi durante o evento que ficou registrada a quebra do recorde do Guinness World Records ao lançar ao mar 596 kitesurfistas ao mesmo tempo, durante um percurso de 2 quilômetros.

Pedro Bueno, kitesurfista e um dos capitães responsáveis pela organização do recorde, afirma que a marca histórica é algo que será levado pelo resto da vida das pessoas e da comunidade. Nascido em Ilhabela, Pedro veio pela primeira vez ao Ceará em 2006 e ficou encantado com as condições ideais para a prática do kitesurfe. Sete anos depois, decidiu arrumar as malas e trazer a família para morar na praia cearense.

“O esporte muda tudo. Antigamente, o Cumbuco era um ponto de passagem para quem procurava esporte, pois temos um litoral perfeito e com ventos alísios. Então, começaram a perceber o potencial do kitesurfe. O Governo investiu, a sociedade abriu os olhos. A cidade foi reformada, os pescadores descobriram outros potenciais, as pequenas lojas expandiram. Isso gerou economia diferente. Tudo a partir do fomento do turismo e do esporte. Costumo dizer que o kitesurfe é o esporte individual mais coletivo que existe. Todos se ajudam, desde quando você entra no mar, até quando está dentro dele e no momento que sai. No mundo náutico as pessoas se ajudam. Então, é saúde, é companheirismo, é a oportunidade de descolar suas ideias”.

Além de reunir na beira da praia empreendedores, startups e grandes empresas para apresentar e discutir soluções inovadoras para um futuro sustentável, o W4F contou ainda com hackathons, pitchs de startups, mentorias de investidores, workshops, ecovila de produtos sustentáveis.

A temática surge de uma preocupação diante do aquecimento dos oceanos causado pelas emissões de carbono. O evento teve como proposta fazer com que cada pessoa saísse de lá impactada e cada vez mais consciente sobre o seu papel no mundo, além de aproveitar um maior contato e imersão com o esporte e a natureza. Ao mesmo tempo, o momento é propício para a troca de aprendizados e diálogo entre os envolvidos sobre um assunto de abrangência global.

Ao associar tecnologia e inovação aos objetivos do desenvolvimento sustentável, bem como disseminar ações que tragam melhorias imediatas para a região e fortaleçam a posição do estado do Ceará como hub tecnológico e plataforma de conexão entre a América Latina e o mundo.

Foco na sustentabilidade

Como parte do evento, o hackaday “Change for the Ocean” foi uma maratona de 10 (dez) horas de desenvolvimento e criação de soluções em sustentabilidade ambiental, econômica e social, realizado pelo “Winds for Future”. O movimento teve como objetivo promover e estimular a criação de soluções que combatam impactos ambientais negativos aos oceanos, contribuam para a comunidade aos arredores da Praia do Cumbuco, e sejam viáveis; e para que sua implementação fique como legado para a comunidade aos arredores da Praia do Cumbuco.

Inscreveram-se participantes de várias áreas de atuação: programadores e desenvolvedores; designers e profissionais da área; pesquisadores de temas relacionados ao meio ambiente, sustentabilidade, negócios de impacto ou semelhantes; profissionais que atuem na área dos temas relacionados como meio ambiente, sustentabilidade, negócios de impacto ou semelhantes; empreendedores locais do Cumbuco; experiência na área ambiental é diferencial, mas não obrigatório.

Novos modelos de trabalho e o impacto na vida social

Um fenômeno social que vem atraindo cada vez mais pessoas, dando um novo significado à vida e ao trabalho. Também conhecido como trabalhador remoto corporativo o nômade digital é um profissional que trabalha online e, portanto, não precisa estar presente em um escritório, cidade ou país em particular. Ele pode trabalhar em qualquer lugar do mundo, desde que tenham uma boa conexão à internet.

O Ceará, que hoje é o maior do Nordeste em número de startups, vem se destacando no mundo por ser um estado conectado. O litoral oeste do estado, que conta com condições perfeitas para a prática de esportes de velejo durante 9 meses do ano, atrai nômades digitais e empreendedores do mundo todo que cruzam oceanos para desfrutar desta condição climática única.

Destaque na América Latina

Recentemente a capital Fortaleza foi escolhida para se tornar um hub aeroportuário e hoje é a segunda cidade mais conectada do mundo com 13 cabos de fibra óptica submarinos que ligam a América do Sul a América do Norte, Europa e África. Além disso, o Porto do Pecém está ligado ao de Roterdã, no sul da Holanda, considerado um dos maiores do mundo. Essa infraestrutura conecta países, pessoas e cria oportunidades de investimento para negócios de economia digital.