PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Práticas exitosas no combate à violência são debatidas em evento no Palácio da Abolição

24 de setembro de 2019 - 15:49 # # # #

Fhilipe Augusto Texto
Marcos Studart Fotos

O Palácio da Abolição, sede administrativa do Governo do Ceará, foi palco na manhã desta terça-feira (24), do evento Conexão Recife, Medellín, Fortaleza – Seminário de boas práticas aplicadas ao território, que discutiu ações exitosas no combate à violência. O evento contou com a presença da vice-governadora do Ceará, Izolda Cela, do secretário-chefe da Casa Civil, Élcio Batista, do ex-prefeito de Medellín, Alonso Salazar, e de Murilo Cavalcanti, secretário de Segurança Urbana do Recife e gestor do Comunidades da Paz (Compaz). Assistiram às palestras profissionais das forças de segurança do Estado e representantes de diversos municípios cearenses. O Conexão é um projeto iniciado há cerca de três anos através de uma parceria entre a Prefeitura do Recife e a Regra3, uma empresa de responsabilidade social, com o apoio do banco Itaú.

A troca de informações entre as cidades e os agentes envolvidos é o fator propulsor para o sucesso de iniciativas como essa, acredita Izolda Cela. “É muito boa essa conexão proposta entre as cidades Medellín – Recife – Fortaleza para trazer e fortalecer esse circuito de reflexão e troca de experiência entre cidades que enfrentaram e enfrentam situações desafiadoras. Medellín teve uma situação devastadora e ao longo de algumas décadas vem mostrando resultados importantes na luta contra a problemática da violência, tráfico de drogas, criminalidade. Eles ainda têm problemas para serem resolvidos, mas têm muitas experiências a serem compartilhadas conosco, assim também como Recife e Fortaleza. Nós também temos algumas experiências daqui de Fortaleza que estão sendo importantes e dando uma nova configuração de enfrentamento de alguns desses problemas. Isso é sempre muito útil e nós tivemos uma presença importante de vários setores da administração pública, porque as pessoas precisam compreender o problema para a gente ter mais chance de lidar com isso de forma vitoriosa”, destacou a vice-governadora do Ceará.

O secretário-chefe da Casa Civil, Élcio Batista, aproveitou o momento para ressaltar que a troca de experiências é essencial para a construção de políticas públicas eficazes que possibilitem resultados sustentáveis para a sociedade. “Essa discussão é perene, constante, faz parte do nosso dia a dia. Ao longo dos últimos 30 anos, o Brasil falhou em seu modelo de segurança. Temos agora uma janela de oportunidade de combinar repressão qualificada e prevenção social. O Pacto por um Ceará Pacífico é um bom exemplo, que unifica várias frentes para um objetivo comum. Outra grandiosa e importante plataforma é o Ceará 2050, plataforma colaborativa de planejamento estratégico de longo prazo desenvolvida a partir do diálogo, da liberdade de opinião e da responsabilidade pública”.

Exemplo a ser seguido

Marcada pelos altos índices de violência nos anos de 1980 e 1990, a cidade de Medellín, na Colômbia, viveu um período doloroso com a guerra travada entre o narcotráfico e o poder público, que, em muitas ocasiões, fazia como vítima a própria população, mesmo sem ter envolvimento nenhum. Contudo, em meio às dificuldades, a Prefeitura passou a colocar em prática um planejamento que envolvia ações em diversas áreas e todos os agentes da sociedade na busca por minimizar os efeitos das práticas ilegais e começar a virar esse jogo.

Palestrante do evento, o jornalista Alonso Salazar foi prefeito de Medellín entre os anos de 2008 e 2011 e contou, através da palestra “Educação e urbanismo social: motores de convivência, segurança e competitividade”, como foi a experiência colombiana no combate à violência. “Medellín vocês sabem que foi durante muito tempo uma espécie de catástrofe das cidades latino-americanas. Vivíamos na cidade do não-futuro, mas reagimos diante do poder do narcotráfico. Para nós, o campo de batalha tem que acontecer com tecnologia, inteligência, mas também com educação e cultura”, disse Salazar.

O ex-prefeito de Medellín fez questão de ressaltar que a criminalidade não desapareceu da região do município, mas teve seus índices bastante reduzidos se comparados ao período em que Pablo Escobar, um dos mais famosos narcotraficantes do mundo, comandava um cartel que levava o nome da cidade. Alonso Salazar destacou quo as ações foram promovidas nas mais variadas áreas, como educação, esporte, cultura, primeira infância, mobilidade, moradia, além, é claro, da segurança pública, mas atendendo ao conceito de urbanismo social.

Ele resumiu o projeto em duas palavras: ética e estética. “Ética porque se não solucionássemos os problemas de corrupção, não conseguiríamos obter sucesso. O que nos impede de construir a confiança social é a corrupção. A estética foi para nós o jeito mais expressivo de conseguir identidade e orgulho de comunidades que se sentiam esquecidas”, pontuou Salazar.

Para finalizar, o palestrante reforçou que é preciso pensar as cidades e seus problemas de forma objetva, tendo a sociedade como partícipe. “Devemos pensar fórmulas inéditas e criativas para resolver os problemas. Grande parte do problema da violência é a falta de autoestima. Temos que procurar que o jovem tenha orgulho de ser. Temos que mobilizar toda a comunidade. Medellín é uma cidade que temos tido pessoas de grandes empresas trabalhando em colégios públicos. As políticas sociais devem ter uma dose de impacto sociológico. As intervenções têm que gerar espaços públicos de qualidade”, citou Salazar. Para finalizar, o público assistiu à palestra de Murilo Cavalcanti sobre “A experiência do Compaz no Recife inspirado em Medellín”.