PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

FIDA e SDA estudam prorrogação da execução do Projeto Paulo Freire

14 de abril de 2020 - 17:21 # # # #

Ascom SDA

Em videoconferência na manhã desta terça-feira (14), a Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA) e o Fundo Internacional de Desenvolvimento da Agricultura (FIDA) debateram a prorrogação do prazo de execução do Projeto Paulo Freire em decorrência da pandemia causada pelo Covid-19. A ação de combate à extrema pobreza em 600 comunidades rurais de 31 municípios cearenses se encerraria no final de 2020 e, agora, o esforço conjunto é para estendê-la até junho do próximo ano.

A proposta precisa ser submetida à sede do FIDA, situado em Roma, na Itália, e está condicionada à simplificação e aceleração da execução dos planos de investimento. Outras condicionantes apresentadas pelos representantes do FIDA no Brasil são a comprovação de indicadores de aumento da produção e da renda dos beneficiários do projeto. O estudo seria entregue em até três meses e os dados seriam coletados a partir de 400 entrevistas com beneficiários.

“A primeira missão de apoio de implementação por videoconferência nos demonstrou todas as possibilidades que temos para construirmos, no home office, a avaliação e o monitoramento das ações da Secretaria do Desenvolvimento Agrário. O governador Camilo Santana, ao priorizar as ações dos MAPPs dos projetos produtivos e da assistência técnica, sinaliza a importância deste projeto, que é executado nos 31 municípios com mais baixo IDH do Estado e sinaliza a melhoria das condições de vida das comunidades rurais”, argumentou o secretário De Assis Diniz.

“O Paulo Freire já alcança 51 mil da meta de 60 mil famílias e possui 531 projetos de investimento em curso, representando o investimento de quase R$ 100 milhões na agricultura familiar. Isso é fundamental no cenário de Covid-19: que vem afetando a área da saúde, como também sobrecarregando a demanda por alimentos saudáveis e de qualidade para nossa população”, frisa Hardi Vieira, ao destacar a prestação de assistência técnica e os instrumentos de comercialização.

O oficial do FIDA no Brasil aposta que, no atual cenário de pandemia, é possível ofertar a assistência técnica de maneira remota e dobrar a execução do projeto num cenário pós-Covid19. “No Ceará, estamos dialogando com a Unicafs para tratarmos a comercialização e a Slow Food, em relação às comunidades indígenas. Na área de acesso às tecnologias sociais, contamos com o apoio do Cetra e estamos dialogando com FAO para reforçarmos a nutrição, especialmente em comunidades atendidas por nós com cisternas escolares”, cita.

Participaram da videoconferência como representantes do fundo internacional: Emmanuel Bayle, coordenador técnico e especialista em Desenvolvimento Rural e Assistência Técnica; Cintia Guzman, especialista em Gestão do Conhecimento, Focalização e Fechamento; Frederico Lacerda, especialista em Contratações, Aquisições e Arranjos Institucionais; Rodrigo Dias, especialista em Planejamento, Monitoramento e Avaliação; Danilo Pisani, especialista em Gestão Financeira; e Emiliano Graziano, especialista em Gestão do Conhecimento e Cooperação Sul-Sul.

Pela secretaria do Desenvolvimento Agrário, também marcaram presença: o secretário executivo do Desenvolvimento Agrário, Wilson Brandão; a coordenadora do Paulo Freire, Íris Tavares; e os coordenadores da SDA, Eduardo Barbosa, Samuel Bacurau, Castro Júnior e Ilo Cavalcante. Pela equipe técnica do PPF, participaram: Odalea Severo, Roci Silvia, Regina Cavalcante, Lúcia Sousa e Rones Maciel.