PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Programa Círculos de Leitura articula jovens durante período de distanciamento social

22 de abril de 2020 - 16:29 # # #

Bruno Mota - Ascom Seduc

A prática da leitura e da escrita é uma forma de os estudantes manterem-se conectados com os estudos durante o período de distanciamento social, em que as atividades presenciais nas escolas encontram-se suspensas. Para além do ganho cognitivo, cultivar os hábitos de ler e de escrever pode auxiliar a manter a mente em equilíbrio, expandir as ideias, desenvolver a imaginação, o raciocínio e o pensamento crítico. A Secretaria da Educação (Seduc) percebe a importância desse processo e tem articulado, junto com os professores da rede pública estadual de ensino, maneiras para trabalhar o Programa Círculos de Leitura com os alunos, de forma virtual.

O Programa se destaca por formar, entre os próprios estudantes, lideranças multiplicadoras que passam a atuar como uma espécie de tutores dos demais grupos de alunos, sob a supervisão de um professor. Cada Círculo funciona normalmente com 10 a 15 alunos, acompanhados por dois multiplicadores.

A professora Albeli Rodrigues, da Escola Estadual de Educação Profissional (EEEP) Francisca Castro de Mesquita, em Reriutaba, revela ter ficado surpresa com a interação dos alunos, lembrando que muitos fizeram comentários interessantes, incluindo comparações entre o texto e a realidade.

“A primeira coisa que faço é ler a obra para que possa puxar fios que levem a reflexões. Estamos vivendo um momento bem difícil e esses estudantes tiveram que parar suas rotinas e ficar longe dos amigos, tendo que se adaptar a um novo estilo de ensino. As obras discutidas nesse período, como “O Caminho de Ulisses”, nos ajudam a refletir um pouco sobre a vida e encontrar nas pequenas coisas prazeres inimagináveis. A leitura é uma luz para momentos de escuridão”, observa.

Albeli explica que a comunicação com os estudantes tem sido feita por meio de grupos no Whatsapp. “Os articuladores da Crede 6 (Coordenadoria Regional de Desenvolvimento da Educação) enviam textos para esses grupos, os alunos leem e em seguida postam seus comentários. Para melhorar a interação, marcamos um dia da semana (sexta-feira) para que nossos multiplicadores postem suas análises”, comenta.

Emanuel Magalhães, estudante da 1ª série da EEEP Francisca Castro, onde faz curso técnico em Redes de Computadores, é um dos multiplicadores do Programa na escola. Ele conta que realiza com os colegas debates sobre diferentes temas relativos aos livros que são lidos.

“Quando entrei na escola e ouvi falar sobre esse projeto me interessei muito, então me esforcei para entrar. Com a leitura e escrita aprimoramos nosso vocabulário, nossa interpretação e expandimos o nosso conhecimento. Em um livro podemos presenciar várias situações e momentos que vivemos ou que podemos viver e até mesmo nos espelhar em como os personagens lidam com seus problemas e situações, assim tendo controle sobre elas, além de em muitos casos o livro influenciar na personalidade do leitor”, verifica.

Continuidade

A professora Rita Moreira, da Escola de Ensino Médio em Tempo Integral (EEMTI) Belarmino Lins de Medeiros, em Abaiara, avalia que a continuidade dos trabalhos de forma remota tem favorecido o aspecto socioemocional dos alunos. Além disso, ela relata, tem sido uma forma de evitar atrasos nas atividades da segunda etapa dos círculos.

“O Whatsapp é a nossa principal ferramenta de comunicação durante essa quarentena. Para isso, marquei um dia (quinta-feira) e um horário fixo (14h) na semana para a realização da formação a distância com os multiplicadores. Fiquei até emocionada com as ideias e com o compromisso deles com a pontualidade. Não me pronunciei durante a discussão porque esse momento formativo acredito que deva ser só deles, que precisam aprender a voar com as próprias asas, como fez o personagem da obra Fernão Capelo Gaivota (primeira obra lida pelos multiplicadores no primeiro ciclo de formação)”, considera.

Rita também diz que procura incentivar constantemente os estudantes com frases que remetam às obras lidas. “Sempre falo que eles têm um grande potencial para alcançar os seus sonhos e ajudar outros jovens colegas a também fazê-lo, por meio dos encontros dos Círculos de Leitura”, conclui.

Lorrany Moraes, estudante da 2ª série da EEMTI Belarmino Lins de Medeiros, é multiplicadora do Círculo de Leituras na escola e diz que se comunica frequentemente com os colegas por meio de um grupo no Whatsapp, espaço em que todos podem se manifestar sobre as impressões que tiveram das obras indicadas pelo Programa.

“Estou adorando, porque tiramos muitos exemplos dos livros para a vida. Todos contam experiências da sua história que são relacionadas aos livros. Conversamos e debatemos muito sobre o que achamos das atitudes dos personagens. A partir da leitura e escrita, podemos apreender muitas coisas. O conhecimento através da leitura é magnífico, pois podemos viajar e conhecer outros lugares, além de encontrar ajuda até para as decisões da nossa vida”, argumenta.

Formação

O Programa foi estruturado em parceria com o Instituto Fernand Braudel e, na Seduc, fica sob a supervisão da Coordenadoria de Protagonismo Estudantil. Iniciado em 2012, tem como objetivo apoiar a formação de leitores reflexivos e ampliar o seu acesso ao conhecimento, através da leitura grupal de obras que ressaltam valores éticos. Atualmente, está presente em 91 municípios cearenses, contemplando 159 escolas e beneficiando cerca de 30 mil alunos.

Acesse o cordel dos Círculos de Leitura

Em face do cenário atual de distanciamento social e de estudos domiciliares, a Coordenadoria de Protagonismo Estudantil, tendo como premissa o incentivo ao engajamento, motivação e estímulo aos estudantes, vem desenvolvendo com o Instituto Braudel um plano de trabalho com o objetivo de executar o Programa de forma mais dinâmica e interativa, através da utilização de recursos midiáticos. Está sendo fortalecida a rede de apoio e articulação com os técnicos das Regionais e da Seduc, envolvendo também coordenadores e professores parceiros, para estimular os estudantes à participação nos espaços de encontros virtuais, propondo leituras que possam estimular o diálogo, a reflexão e a interação grupal.