PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

SSPDS desmente vídeo no qual pessoas afirmam que Pefoce alterou causa da morte acidental para Covid-19

15 de maio de 2020 - 14:24 # # # # #

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informa que são falsas as informações contidas em um vídeo de que a Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) teria trocado a causa da morte de um homem que teve queda acidental para Covid-19, com o intuito de agilizar a liberação do corpo. A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) investiga as pessoas que aparecem nas imagens no intuito de apurar as condutas de cada um acerca da produção e divulgação do material.

A Pefoce repudia com veemência as declarações divulgadas no vídeo e esclarece que o corpo de Roberto Marques de Menezes (71) foi encaminhado para a sede da Pefoce no último dia 11. Na tarde dessa quinta-feira (14), uma mulher, que se apresentou como companheira do falecido, realizou os procedimentos para a liberação do corpo e assinou o protocolo de liberação em que consta “queda”, como a possível causa da morte. O laudo cadavérico esclarecendo a causa da morte está em fase de elaboração e será disponibilizado para a autoridade policial solicitante dentro do prazo legal.

 

 

O vídeo em investigação mostra um motorista de aplicativo fazendo perguntas para duas mulheres sobre a liberação do corpo do companheiro de uma delas e é informado que a vítima sofreu uma queda. Em outro momento, as pessoas dizem a vítima foi levada em óbito para um hospital e, posteriormente, conduzida para ser periciado na Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce). O motorista e as mulheres alegam que a causa da morte foi alterada para Covid-19 para que o corpo fosse liberado mais rápido, o que não é verdade.

A Pefoce informa ainda que o órgão é responsável por atender demandas em casos de crimes com mortes violentas, causas externas violentas ou acidental. Tais demandas geram inquérito policial e são investigadas pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE). Situações envolvendo mortes por causas naturais, patologias (doenças) e por Covid-19 não são atendidas pela Pefoce.

A SSPDS orienta a população a não divulgar relatos incertos e boatos que recebam em redes sociais nem produzam qualquer conteúdo com informações falsas, pois estas condutas podem ser caracterizadas como contravenções penais e crimes previstos na legislação penal, com penas de detenção e multa.