PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Unidades da rede estadual de saúde investem em tecnologia para aproximar pacientes e familiares

12 de junho de 2020 - 16:10 # # # # # # # #

Jésssica Fortes - Ascom Sesa Texto e Fotos

Durante a pandemia de coronavírus, os hospitais da rede pública da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), do Governo do Estado, implementaram diversas medidas de prevenção à Covid-19. Uma delas foi a restrição de visitas nas unidades. Com o objetivo de proporcionar um atendimento humanizado, as equipes recorreram à tecnologia para aproximar pacientes e familiares, possibilitando a realização de videochamadas.

No Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes (HM), as videochamadas têm sido uma alternativa para aliviar a saudade. Internada há 16 dias na unidade para se recuperar da Covid-19, a aposentada Francisca Andrade de Oliveira, 75, se emocionou quando viu a neta na tela do tablet. “Vó, nós estamos aqui torcendo por sua recuperação, logo a senhora estará aqui com a gente. Vai dar tudo certo”, disse Vanessa Andrade.

A coordenadora do Serviço Social do HM, Dione Bezerra, explica que a implantação do projeto é voltada para pacientes internados nas enfermarias do eixo Covid-19. “O contexto de isolamento e a excepcionalidade do período exigiu uma intervenção objetiva e humanizada para atender os anseios dos pacientes e seus familiares. Nós buscamos minimizar esse distanciamento através das videochamadas, mostramos que o paciente não está sozinho, desamparado. Dessa forma, a família também se tranquiliza”, explica.

A família do aposentado Edilson Vieira Ibiapina, 86, também aguardou ansiosa o encontro virtual. “Já são 16 dias longe. Apesar de receber a ligação do médico todos os dias para dizer como ele está, é diferente de poder ver e falar com ele”, ressaltou o neto de Edilson, Yuri Ibiapina, que reuniu a família para participar da visita online. “Estamos todos em isolamento. Aproveitei o contato da assistente social e fui colocando todo mundo na videochamada. Ele tem muitos filhos e netos e todos estão com saudades”, acrescentou.

Hospital Regional do Cariri (HRC)

No Hospital Regional do Cariri (HRC), as visitas aos pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) também foram adaptadas à nova realidade. As videochamadas são realizadas pelo Serviço Social em parceria com o Núcleo de Atendimento ao Cliente (NAC).

As visitas virtuais ocorrem em dias alternados para cada paciente. Além de esclarecer dúvidas da família sobre o estado de saúde, o serviço traz conforto em dias difíceis e tem como premissa a empatia. “Através da videochamada, conseguimos olhar no olho do familiar que está distante daquele ente querido e com as mais diversas dúvidas. Por mais deliciado que seja ver o paciente na UTI, essa proximidade online nos ajuda a esclarecer dúvidas quanto a evolução do paciente, mas também serve como um bálsamo eficiente para acalmar aquele coração aflito”, destacou a residente de Clínica Médica, Ana Beatriz Filgueiras

Assistentes sociais, residentes e enfermeiras dividem-se para acompanhar as enfermarias e fazer a avaliação e o preparo prévios dos pacientes antes das visitas virtuais. O trabalho inclui o levantamento dos contatos dos pacientes que estão orientados e em condições de interagir, além do agendamento com os parentes. As famílias também são diariamente contatadas por um médico, que passa todas as informações e evoluções clínicas dos pacientes.

Hospital Geral Waldemar de Alcantara (HGWA)

No HGWA, a ação tem, sobretudo, o objetivo de melhorar a saúde mental do paciente e de sua família, por meio da aproximação virtual, intervindo sobre o sofrimento emocional decorrente do afastamento familiar e do isolamento hospitalar. As videochamadas são feitas com pacientes diagnosticados com coronavírus que desejem manter contato com a família. Até o momento foram realizadas 25 visitas virtuais.

Hospital Infantil Albert Sabin (Hias)

O serviço no Hias é feito na UTI 3, onde estão internados pacientes suspeitos ou confirmados de coronavírus. Realizado por quatro profissionais, o projeto já atendeu seis pacientes, que entram em contato semanalmente com a família.

Hospital Geral de Fortaleza (HGF)

As videochamadas no HGF estão sendo realizadas apenas nas UTIs de atendimento a pacientes com Covid-19. A equipe envolvida no projeto é composta por duas assistentes sociais e uma psicóloga. Até o momento, 22 pacientes foram contemplados pela iniciativa.

Hospital Geral Dr. César Cals (HGCC)

Por conta da pandemia, o Hospital Geral Dr. César Cals (HGCC) restringiu o contato entre mães e bebês nas cinco unidades neonatais. Mesmo assim, as famílias podem acompanhar a evolução dos filhos de longe, por meio de fotos e vídeos feitos pela equipe responsável por acompanhar os pequenos. Entre os dias 27 de abril e 9 de junho, foram enviados 1000 registros dos recém-nascidos internados no Hospital. O projeto contemplou ao todo 259 famílias. Além disso, houve 18 videochamadas e 184 atendimentos a distância voltados aos pacientes do Eixo Covid.