PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Segunda fase da pesquisa de soroprevalência em Fortaleza começa na segunda-feira (13)

10 de julho de 2020 - 17:55 # # # #

Ascom Casa Civil Texto
Tatiana Fortes Foto

Pesquisa avalia o impacto do coronavírus e está sendo realizada na Capital, e também nos municípios de Sobral e Iguatu

O Governo do Ceará, em parceria com a Prefeitura de Fortaleza, a Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) e execução do Instituto Opnus, dará início, na próxima segunda-feira (13), a segunda fase da pesquisa de soroprevalência na Capital. Nesta nova fase, serão realizados mais 3.300 exames, entre testes rápidos e RT-PCR, que estabelecerão o percentual de pessoas que foram ou estão contaminadas pelo vírus.

Os pesquisadores foram capacitados, nos dias 6 e 7 de julho, na Escola de Saúde Pública do Ceará Paulo Marcelo Martins Rodrigues (ESP/CE), vinculada à Secretaria da Saúde do Ceará (SESA), do Governo do Estado. Eles receberam treinamento para a aplicação dos testes, especialmente o RT-PCR que nessa fase começa a ser realizado na Capital, além dos procedimentos de biossegurança. Serão realizados 3.300 testes em 113 bairros, das seis regionais de Fortaleza. Foram sorteados 330 setores censitários da cidade, sendo cada um deles correspondente a um conjunto de quarteirões. Ao todo, o estudo realizará 9,9 mil testagens em cerca de 10 mil moradores da capital.

O morador a ser testado será sorteado entre os presentes. No caso de pessoas com menos de 18 anos e de incapazes, os testes acontecerão mediante autorização dos pais ou do responsável. A realização da pesquisa é importante para ampliar o controle epidemiológico nos municípios e orientar as políticas públicas de prevenção e combate à Covid-19.

Testagens

O teste rápido detecta a presença de anticorpos para o novo coronavírus. O resultado fica pronto em 15 minutos, após uma simples picada na ponta do dedo para a coleta de uma gota de sangue. Enquanto isso, os pesquisadores aplicam um questionário com informações sobre sexo, idade, escolaridade, condições de saúde e possíveis sintomas que o morador tenha sentido recentemente.

Já o RT-PCR é o teste de biologia molecular, que detecta a presença do vírus no paciente. Trata-se da coleta de amostras de secreção do fundo do nariz por meio da introdução de um swab (cotonete). As amostras para o RT-PCR não têm resultado imediato. Elas são encaminhadas ao LACEN para análise e os resultados ficam prontos após alguns dias.

Como reconhecer o pesquisador

Os pesquisadores portam crachá de identificação, termos de consentimento para participação e panfleto informativo da pesquisa, bem como estão paramentados com todos os equipamentos de segurança: touca, avental, óculos, máscara e luvas. Todos são treinados para aplicação dos testes e sobre os procedimentos de biossegurança.

Primeira fase

A primeira fase da testagem, realizada entre 2 e 15 de junho, contemplou as primeiras 3.300 pessoas e estima que 370 mil (14,2%) fortalezenses já têm anticorpos contra a Covid-19. As Regionais I, III e VI de Fortaleza apresentaram a maior incidência de casos.

Além de Fortaleza, o Governo do Ceará e a Fiec realizam a pesquisa de soroprevalência em Sobral, na Região Norte, e em Iguatu, na região Sul do Ceará.