PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Economia cearense reage ao coronavírus e PIB cresce 16,7% no terceiro trimestre de 2020

17 de dezembro de 2020 - 15:04 # # # # #

Pádua Martins - Ascom Ipece - Texto
Carlos Gibaja e Thiara Montefusco - Fotos


O Produto Interno Bruto (PIB) do Ceará fechou com uma expressiva alta de 16,70% no terceiro trimestre de 2020 em relação ao segundo trimestre do mesmo ano, quando o índice ficou em -13,452%. O resultado representa mais que o dobro do índice nacional naquele período, que foi de 7,7%, contra os -9,6% no segundo trimestre de 2020. O desempenho cearense mostra que o Estado vem apresentando uma recuperação bem acelerada de sua economia – impactada negativamente pelo coronavírus (covid-19) -, que inverteu as estimativas de 2019 para este ano, tanto para o Ceará como para os demais estados brasileiros. E no Ceará o setor da Indústria foi o que mais alavancou o PIB, seguido pelo Serviços.

Para o governador Camilo Santana, um dos motivos para o Ceará conseguir bons resultados foi que o Ceará foi o Estado que primeiro conseguiu iniciar a retomada da economia em tempos de pandemia. “Retomamos de forma planejada, de forma responsável, abrindo aos poucos toda semana, para monitorar como estava o avanço da doença”, explicou.

Dos três setores que compõem o PIB, a Indústria conseguiu se reerguer no terceiro trimestre de 2020, apresentando um desempenho acima da previsão mais otimista: 41,57%, contra os -27,18% do segundo trimestre. A evolução da Indústria, no caso, superou o índice nacional, de 14,8% no período. O setor Serviços também mostrou excelente resultado, atingindo 12,49% no período analisado (o nacional foi de 6,3%) em relação ao trimestre imediatamente anterior (-12,03%). A Agropecuária do Ceará fechou em queda de -2%, após alta elevada no segundo trimestre de 2020: 10,38%. Os números do PIB estadual foram divulgados pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), na tarde desta quinta-feira (17).

As boas notícias também atingem as previsões para o próximo ano. A previsão inicial é de crescimento 4%, que, inclusive, está acima do projetado para a economia nacional: 3,50%.

Ao anunciar os índices, os analistas de políticas públicas do Ipece observaram que a recuperação da economia do Ceará deve ocorrer gradualmente, mas de forma mais rápida que a nacional. Fizeram parte da equipe responsável pelo PIB os  analistas Nicolino Trompiere Neto, Witalo Paiva e Alexsandre Lira e os assessores técnicos Cristina Lima e José Freire Júnior, todos da Diretoria e Estudos Econômicos (Diec) do Ipece.

Índice

O PIB é um indicador que mostra a tendência do desempenho da economia cearense no curto prazo. Além do Ceará, mais sete estados brasileiros realizam o cálculo de sua economia trimestralmente: Bahia, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul e São Paulo, que utilizam a mesma ponderação das Contas Regionais. É calculado com base nos resultados dos três setores, Agropecuária, Indústria e Serviços, e desagregados por suas atividades econômicas. É importante ressaltar que, como indica somente uma tendência de crescimento ou arrefecimento da economia, suas informações e resultados são preliminares e sujeitos a retificações, quando forem calculadas as Contas Regionais definitivas, em conjunto com o IBGE e as 27 Unidades da Federação.

PIB de Fortaleza ultrapassa Salvador

Segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgado na última quarta-feira (16), Fortaleza ultrapassa Salvador como a cidade com maior Produto Interno Bruto (PIB) do Nordeste. É o que diz o levantamento relativo a 2018, ano em que a Capital cearense superou pela primeira vez a Capital baiana desde 2002, início da série histórica da pesquisa do IBGE, ao gerar R$ 67 bilhões em riquezas.

 

Ouça:

O governador Camilo Santana comemorou os números e destacou que o Governo do Ceará tem trabalhado para proteger a economia, mesmo durante a pandemia. O que contribuiu também com o crescimento do PIB do Ceará.

Segundo o coordenador de contas regionais do IPECE, Nicolino Trompieri Neto, um dos motivos do crescimento da economia do Ceará no período analisado foi a retomada responsável pelo Governo do Ceará.

As boas notícias também atingem as previsões para o próximo ano. A previsão inicial é de crescimento 4%, que, inclusive, está acima do projetado para a economia nacional: 3,50%, como explica Nicolino Trompieri Neto.