PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Em ação do setor de Cuidados Paliativos, bebê internada no Hias é batizada

28 de dezembro de 2020 - 09:58 # # # # #

Eduarda Talicy - Texto
Arthur Sousa - Foto

Maria Eloá, de 1 mês e 7 dias, foi batizada no Hospital Infantil Albert Sabin pelo Padre Sá.

Prestar um atendimento humanizado e integral, respeitando a particularidade de cada paciente e de sua família, é uma das missões do Hospital Infantil Albert Sabin (Hias), da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), do Governo do Estado. Foi com este propósito que a unidade proporcionou o batizado da pequena Maria Eloá, de apenas um mês e 7 dias de vida, na última quarta-feira, 23. Internada no Centro de Terapia Intensiva Neonatal do Hias, a criança, que possui uma cardiopatia grave, recebeu a família com tiara e vestido branco. O batismo foi celebrado pelo Padre Sá, que atualmente atua em ações missionárias.

“É um desejo da família batizar o filho enquanto ainda está internado e, sempre que é possível, a gente consegue fazer esse momento para acalmar o coração dos pais, já que a criança está numa unidade fechada e eles não podem ficar acompanhando 24 horas”, explica a assistente social do setor de Cuidados Paliativos do Hias, Larissa Loiola. Para ela, além de ser uma ação que traz muitos benefícios para a família, é uma forma de assegurar o contato, sempre que possível, da criança com os familiares.

A celebração emocionou os pais da criança. “Nós somos uma família católica, bem religiosa, e a gente acha importante nesse momento celebrar. A Maria Eloá é um caso raro, mas a gente se segura no fio de esperança de que ela vai vencer”, disse Joaquim José Gomes, pai de Maria Eloá.

Atendimento

A Neonatologia do Hospital Infantil Albert Sabin possui uma equipe multidisciplinar, formada por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, psicólogos, assistentes sociais e radiologistas. O setor dispõe de leitos de enfermaria e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Além de prematuros, a unidade recebe bebês com malformações e outras doenças que necessitem de cirurgia.O hospital conta, ainda, com um ambulatório de follow-up (termo em inglês para “acompanhamento”), onde os bebês internados que precisam de cuidados especiais são assistidos por uma equipe multidisciplinar para o desenvolvimento da parte psicomotora.