PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Brincadeiras saudáveis proporcionam equilíbrio emocional e bem-estar às crianças

6 de janeiro de 2021 - 11:52 # # # #

Milena Fernandes - Ascom HSM Texto
Gabriel Caúla Arte gráfica

Os cuidados com a saúde mental são fundamentais para proporcionar qualidade de vida e bem-estar à população. Em se tratando das crianças, a atenção deve ser redobrada. Especialistas do Hospital de Saúde Mental Professor Frota Pinto (HSM), unidade da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), do Governo do Estado, orientam que os pais precisam ficar atentos aos comportamentos dos filhos e, também, às brincadeiras que fazem parte da rotina deles.

Marleide Oliveira, psicóloga do HSM, destaca a importância dos momentos de lazer para os pequenos. “O brincar possui grande relevância para o desenvolvimento global da criança, pois, brincando, ela desenvolve suas potencialidades. Ela cria, analisa, nomeia, estimula e desenvolve a capacidade de concentração, favorece o equilíbrio físico e emocional e desenvolve os aspectos cognitivos, sociais, afetivos e físicos”, pontua.

Brinquedos e brincadeiras devem ser adequados à idade e à realidade de cada criança. O recomendado é que os pais forneçam aos filhos jogos de tabuleiro, memória e quebra-cabeça ou estimulem atividades como pintura, colagem, montagem de blocos, leitura, esconde-esconde, dança, entre outras.

A psicóloga do HSM explica que, por meio desses jogos e brincadeiras, é possível trabalhar a frustração, a competitividade e ensinar habilidades sociais e emocionais. Marleide Oliveira reforça que, além de ser necessário para a distração, o período de recreação pode, ainda, evitar o surgimento de transtornos mentais e auxiliar no tratamento de alguns problemas.

“É uma forma segura de as crianças vencerem seus medos, angústias, agressividade e de tentar enfrentar conflitos internos. Nós podemos utilizá-los, inclusive, como recursos terapêuticos junto às crianças e adolescentes com ansiedade, Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) e autismo, na superação dos casos de separação dos pais, luto, estresse, medos, entre outras situações”, detalha a especialista.

Durante os momentos de diversão, é fundamental que a família observe o comportamento das crianças e verifiquem se há sinais ou aspectos que necessitem de uma investigação ou acompanhamento psicológico especializado. A psicóloga orienta que é preciso perceber a forma como a criança brinca, os brinquedos que costuma escolher, o interesse em brincar e se ela costuma finalizar a brincadeira ou repeti-la.

“A identificação precoce de algum adoecimento emocional pode ser o ponto chave para promover qualidade de vida e auxiliar a criança. É importante estarmos atentos aos comportamentos desde cedo”, pontua Marleide. E acrescenta: “quanto mais cedo alguns comportamentos que possam sugerir adoecimento emocional ou transtornos mentais forem identificados, mais rápido será iniciado o tratamento e mais efetivo serão os ganhos”.