PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

8 de março: Casa da Mulher Brasileira realiza programação on-line e debate “A Resistência das Mulheres no Brasil e na América Latina”

3 de março de 2021 - 11:22 # # # #

Ascom SPS

Chegamos ao 8 de março, data historicamente central na luta pela igualdade de gêneros. A Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS), por meio da Casa da Mulher Brasileira, realiza programação on-line e traz palestra sobre “A Resistência das Mulheres no Brasil e na América Latina”. O evento será transmitido pelo canal SPS Ceará, na próxima segunda-feira (8), das 14h às 17h. A palestra será conduzida pela socióloga e professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Mary Garcia. O debate também contará com a participação da ativista Maria da Penha; da liderança indígena Cacique Pequena; da vice-governadora Izolda Cela; da primeira-dama Onélia Santana; e das secretárias Socorro França, titular da SPS, e Denise Aguiar, secretária executiva de Políticas para Mulheres; além de representantes de órgãos públicos e equipamentos de atendimento às mulheres.

Mary Garcia explica que este 8 de março se singulariza por evidenciar dois “L”, um de luto e outro de luta. “Em meio a tantas vidas perdidas nesta pandemia e tanta desesperança, temos a alegria de ver nossas meninas e jovens adentrando as escolas e universidades deste país, em especial meninas negras e indígenas. Estamos vivenciando a visibilidade de mulheres na escrita, na política, no ensino e também à frente da ampliação das mobilizações pelos nossos direitos e pela democracia”, pontua Mary Garcia, que vai resgatar, em sua fala, as histórias das lutas das mulheres tanto no Brasil quanto na América latina.

“Mesmo impossibilitadas de nos encontrarmos pessoalmente, não abrimos mão de realizar este encontro virtual com as mulheres cearenses e também de outros estados, dentre as quais lideranças indígenas, mulheres negras, gestoras, sociólogas, pesquisadoras, estudantes, um público amplo de mulheres engajadas na luta para que possamos alcançar a equidade de gênero e combater o feminicídio em nosso Estado. Queremos dizer que este não é um movimento momentâneo. Seguimos comprometidas com as políticas públicas para as mulheres cearenses e queremos construir estas políticas de mãos dadas com todas as mulheres, entendendo que o empoderamento só acontece quando todas estiverem livres e seguras dentro de suas casas e nas ruas”, ressalta a titular da SPS, Socorro França, que estará presente na mesa de abertura do evento. Dentro da programação também acontecerá o pré lançamento do Livro: “Tereza Valeu a Luta”, do Coletivo Feminista Mulheres do Ceará com Dilma.

A secretária-executiva de Políticas para Mulheres da SPS, Denise Aguiar, destaca a importância da unidade das mulheres na construção das políticas públicas. “Para estarmos aqui hoje e termos as políticas que temos foi preciso que muitas mulheres antes de nós lutassem com a própria vida. Como gestoras, nos comprometemos todos os dias com esta causa e reforçamos que mais do que o dia de louvar uma mulher abstrata, o 8 de março resgata as lutas das mulheres trabalhadoras, lutas estas que se renovam nas mobilizações por um mundo com igualdade entre homens e mulheres, com paridade na política e onde também possamos acolher não só as demandas das mulheres brancas, mas também das mulheres negras, indígenas, camponesas, pescadoras, ribeirinhas, mulheres trans, sindicalistas, estudantes, domésticas, pesquisadoras, lésbicas, e tantas outras mais”, destaca a gestora.

Na mesa de abertura também estarão presentes a Assessora Especial de Acolhimento aos Movimentos Sociais do Ceará, Zelma Madeira; a desembargadora Maria Nailde Pinheiro, Presidente do Tribunal de Justiça e a coordenadora da Casa da Mulher Brasileira, Daciane Barreto, além de representantes das instituições que compõem o equipamento.

Casa da Mulher Brasileira

“São 121 anos desse dia que remete a múltiplas histórias da luta feminista no Brasil e no mundo. O dia 8 de março é antes de tudo um dia de denúncia e de reivindicações. É preciso resgatar os acontecimentos que marcaram as histórias das mulheres para reconhecer que muitas conquistas e vitórias foram alcançadas, mas a igualdade ainda é um processo em permanente construção. Esta programação expressa nossa história e nossas lutas, portanto, convido todas as mulheres a participar do nosso encontro”, reforça a coordenadora da Casa da Mulher Brasileira, Daciane Barreto, lembrando que, no ano passado, a unidade atendeu 25.664 mulheres em situação de violência e, este ano, até o último mês de janeiro, foram atendidas 3.052 mulheres.

Coordenada pela SPS, a Casa da Mulher Brasileira é um equipamento que opera em rede, concentrando em um único lugar os serviços da Delegacia de Defesa da Mulher, Defensoria Pública, Ministério Público e Juizado Especial, além do atendimento psicossocial dos centros de referência estadual e municipal.

Os telefones para informações e denúncias são:
– Administrativo Casa da Mulher Brasileira (85) 3108.2992 / 3108.2931;
Atendimento: Plantão 24h
– Centro de Referência e Atendimento à Mulher Francisca Clotilde (85) 3108. 2965;
Atendimento Remoto: 8h às 20h
– Centro Estadual de Referência e Apoio à Mulher (85) 3108.2966; (88)99935.5102
Atendimento Remoto: 8h às 20h
– Defensoria Pública do Ceará (85) 3108.2986;
Atendimento:Remoto
– Ministério Público do Ceará (85) 3108. 2940 / 3108.2941;
Atendimento:Remoto
– Juizado da Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher (85) 3108.2971;
Atendimento:Remoto
– Delegacia de Defesa da Mulher de Fortaleza (85) 3108.2950
Atendimento: plantão 24h, sete dias por semana.