PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Com isolamento social rígido, cuidados com acidentes domésticos devem ser redobrados

18 de março de 2021 - 17:27 # # # # # # # #

Suzana Mont'Alverne - Ascom Sesa - Texto
Fabio dos Santos - Arte Gráfica

Neste período no qual a rotina de grande parte da população é dentro de casa, a prevenção contra acidentes domésticos ganha mais importância. Os cuidados podem evitar demandas hospitalares e, consequentemente, maior exposição à Covid-19. A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), por meio do Samu Ceará 192, orienta a população sobre medidas de proteção em residências – principalmente nas que moram crianças e idosos.

“O Samu recebe chamados na Central de Regulação pra acolher acidentes domésticos com perfis mais agressivos e outros não tão graves. É importante reforçar que medidas iniciais de cuidados devem ser adotadas”, reforça Marco Arantes, diretor técnico do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência do Ceará. O Samu 192 Ceará pode ser acionado para que a população tenha a devida assistência, principalmente quando há dificuldades ou circunstâncias perigosas envolvendo acidentes domésticos.

“Quando há uma pessoa com o problema, e o solicitante não sabe como proceder para ajudar a pessoa, pode ligar para o Samu. É feita uma ficha de atendimento e uma equipe de ambulância é enviada. A depender da gravidade da situação, muitas vezes optamos por mandar também uma moto para que o atendimento seja mais ágil”, complementa Arantes. Médicos de plantão orientam o solicitante enquanto a equipe está em deslocamento.
Acidentes frequentes

Alguns acidentes são notificados com maior frequência, como quedas, queimaduras, choques, afogamentos e engasgos, segundo o diretor. “Quedas são acidentes que podem chamar muita atenção, causando muitas vezes intervenções hospitalares. Quedas da própria altura, principalmente em idosos, de escada ou de altura podem ter um desfecho problemático, a depender do cenário em que o trauma aconteceu. Se a pessoa que caiu estiver com dor na lombar, nos membros e na cabeça, é importante acionar o Samu”, continua. O Serviço é capacitado para remover e imobilizar o paciente de forma adequada.

Queimaduras também são eventos que precisam de atenção, principalmente em casa com crianças. “Lugar de crianças não é próximo ao fogão. É preciso cuidado e atenção, inclusive com preparos simples, seja de água quente ou com a própria garrafa de café”, explica Arantes. “É de grande importância saber como proceder no momento do ocorrido. Basta lavar com água limpa e corrente. Não se deve colocar nenhuma outra substância. Isso pode agravar situação”.

Afogamentos e engasgos também têm orientações importantes. Segundo o profissional, o afogamento tem uma relevância grande quando entra no perfil pediátrico. E não é necessário ter uma piscina para que isso aconteça. “Crianças que estão engatinhando, que ainda não andam e têm acesso a água, que pode ser em um balde ou bacia, já é suficiente para alguma situação complicada”, enfatiza.

O engasgo não é diferente, seja em crianças ou idosos. “Na faixa etária infantil, incluímos também os bebês que estão mamando e que correm esse risco. É importante que a mãe saiba posicionar a criança, caso ela esteja regurgitando leite. No caso dos idosos, a mastigação e a alimentação com calma são primordiais para evitar agravos“.

Lesões cortantes com sangramento e choques elétricos devem ser avaliados pela equipe médica. “No casos de cortes, é muito importante manter a região limpa, cobrir com um pano limpo e fazer uma compressão para conter o sangramento e, a partir daí, deve-se buscar uma unidade para avaliação. Em casos de uma lesão grande, o Samu deve ser chamado”, recomenda.

Em acidentes envolvendo choques elétricos, a avaliação médica é obrigatória. “Mesmo que o paciente esteja bem, existem alterações cardíacas que não são perceptíveis e que precisam de uma avaliação correta”. O Samu pode ser acionado pelo número 192.