PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Sesa e BNDES articulam parcerias e doações para financiar usinas de oxigênio nos municípios cearenses

16 de abril de 2021 - 12:14 # # # # # #

Guto Castro Neto - Ascom Sesa - Texto
Iza Machado - Artes Gráficas


A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) formaliza parceria junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para trazer ao Ceará o Programa Matchfunding – Salvando Vidas. Na iniciativa, o banco de fomento busca parceiros para incentivar empresas a doarem insumos e custearem a instalação de usinas de oxigênio para unidades hospitalares no Brasil. O trabalho também é focado na proteção dos profissionais da linha de frente do combate à Covid-19. Pelo programa, cada R$ 1,00 doado pelas empresas é dobrado pelo BNDES.

A Sesa busca, desde fevereiro de 2021, articulações institucionais para garantir o suprimento de oxigênio aos hospitais municipais durante este momento crítico de enfrentamento à pandemia. A Secretaria planejou antecipadamente sua logística e, por isso, assegura o fornecimento para suas unidades. Entretanto, o agravamento da doença e o crescimento exponencial das internações nesta segunda onda ocorreram simultaneamente em todas as regiões cearenses, gerando grande elevação na demanda pelo gás. Este cenário, somado às dificuldades na distribuição, afeta 1/3 dos municípios do Estado, deixando-os sob risco de escassez de oxigênio.

Foram mapeadas pela Secretaria 40 unidades hospitalares em 38 municípios das cinco Regiões de Saúde do Ceará aptas a receberem miniusinas de oxigênio com capacidade produtiva de 30m³/h ou microusinas de 20m³/h. Os municípios foram escolhidos considerando o perfil hospitalar e a descentralização da Saúde no Estado. Cerca de quatro milhões de cearenses podem ser beneficiados permanentemente com esta iniciativa.

“Nosso objetivo é evitar o risco e os custos das transferências de pacientes por falta de oxigênio. A Sesa vislumbra, através das usinas instaladas nos hospitais dos municípios, uma rede de proteção permanente à vida, que ficará como legado pós-pandemia, viabilizando o funcionamento de estruturas hospitalares complexas de forma descentralizada, consolidando o atendimento amplo a todos os pacientes em suas cidades ou Regiões de Saúde”, ressalta o secretário da Saúde do Ceará, Carlos Alberto Martins Rodrigues Sobrinho (Dr. Cabeto).

Respira Ceará

O risco de desabastecimento de oxigênio preocupa a sociedade em todos os níveis e setores. Sensíveis ao desafio e cientes de seu papel social, a Câmara de Comércio e Indústria Brasil Portugal – Ceará (CBPCE) e a Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC) apoiam o Movimento Respira Ceará, que busca o engajamento de empresas para adesão à iniciativa do BNDES e da Sesa.

Para angariar um bom número de doadores ao Programa Salvando Vidas, o Movimento Respira Ceará realiza, na próxima segunda-feira, 19/04, reunião virtual de sensibilização com importantes empresários do Estado em diferentes ramos de atuação. Como uma corrente solidária, o objetivo do evento é agregar um sentido de união e colaboração à causa para juntos garantirem que não falte oxigênio para nenhum cearense.

Antes mesmo da realização do evento de sensibilização dos empresários, a Sesa e o BNDES celebram as doações de três usinas de oxigênio para o Ceará, nos municípios de Sobral, Quixadá e Cascavel.

Como funciona

O Matchfunding Salvando Vidas funciona com instituições parceiras do BNDES que operacionalizam as doações (Bionexo, EY, SITAWI Finanças do Bem, Confederação das Santas Casas de Misericórdia-CMB e Benfeitoria). As instituições recebem as doações das empresas e do banco de fomento, negociam com os fornecedores e acompanham a instalação das usinas, tudo dentro de um processo de transparência e de auditoria. A sensibilização pode ser estendida aos colaboradores das empresas, que também podem fazer doações no conceito do Matchfunding.

O valor mínimo solicitado aos doadores é de R$ 100 mil. Uma miniusina de 30m³/h custa R$ 1,1 milhão para ser instalada. Já a microusina de 20m³/h tem valor de instalação em torno de R$ 600 mil.