PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Governo do Ceará realiza pesquisa amostral com famílias beneficiárias do Cartão Mais Infância Ceará

20 de maio de 2021 - 17:02 # # # #

Wiarlen Ribeiro -Ascom Gabinete da Primeira-Dama Texto
Ariel Gomes Foto

O Governo do Ceará, por meio do Programa Mais Infância Ceará, aplica pesquisa amostral em 24 municípios cearenses, para avaliar a parentalidade e o perfil de famílias beneficiárias do Cartão Mais Infância Ceará. O estudo, fruto de coalizão com as fundações Maria Cecilia Souto Vidigal, Bernard van Leer e Porticus, com apoio da Universidade Federal do Ceará (UFC), visa acompanhar e apoiar o público-alvo na elaboração de políticas públicas voltadas ao desenvolvimento infantil.

“Essa análise está sendo realizada, inicialmente, com duas mil famílias contempladas com a transferência de renda do Estado. Buscamos uma política pública baseada em evidências, por isso é fundamental a aplicação dessa pesquisa. Acreditamos que conhecendo o aspecto socioeconômico da nossa população é possível traçarmos as devidas estratégias de trabalho. Nossa proposta é construir um futuro melhor, mais solidário, a partir do investimento nas nossas crianças e suas famílias” destaca a primeira-dama do Ceará, Onélia Santana

Outros projetos

Além da pesquisa, outras ações e projetos serão desenvolvidos nas cidades, através de compromisso firmado com as gestões municipais, como a avaliação e qualidade do ensino; elaboração dos Indicadores de Qualidade da Educação Infantil do Ceará; capacitação de gestores municipais; implementação de programa para prevenção da violência contra a criança; realização de mudanças duradouras nos espaços públicos; entre outros.

Municípios analisados

A escolha dos municípios foi feita a partir de critérios estabelecidos pelas instituições, são eles: número elevado de famílias com crianças de 0 a 6 anos em situação de extrema pobreza; infraestrutura e capacidade local; cobertura de creche acima da média nacional (30%); presença do serviço de convivência e fortalecimento de vínculos (SCFV); e diversidade de tamanho populacional, distribuição regional e tipologia urbano-rural. A atuação dos pesquisadores contemplam famílias das cidades de Acaraú, Aquiraz, Ararendá, Barbalha, Camocim, Chaval, Crateús, Crato, Eusébio, Fortaleza, Granja, Irauçuba, Itatira, Jaguaruana, Juazeiro do Norte, Mauriti, Paramoti, Quixadá, Salitre, São Gonçalo do Amarante, Sobral, Tianguá, Trairi, Viçosa do Ceará.