PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Em clima de São João: projeto leva música e alegria a pacientes internados no HSJ

10 de junho de 2021 - 16:14 # # # #

Diego Sombra - Ascom HSJ Texto e Fotos

Paciente Luis Eduardo Ferreira dançando com a técnica de enfermagem Sonia Pereira

Suspensas pelo segundo ano consecutivo em razão da pandemia, as festas juninas são tradição no Nordeste e, neste mês, despertam ainda mais saudade em quem aprecia os festejos. No Hospital São José (HSJ), da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), o clima de São João tomou conta dos corredores da unidade nesta quinta-feira (10) e levou alegria a pacientes e profissionais de saúde. A ação faz parte do projeto “São tantas emoções”, que realiza apresentações musicais mensalmente na instituição.

Internado no HSJ há cerca de 30 dias, Luis Eduardo Ferreira, de 37 anos, aproveitou a oportunidade para demonstrar ser um exímio dançarino. Para ele, a iniciativa traz diversão à rotina dos pacientes hospitalizados. “Já faz um mês e cinco dias que eu estou aqui. Tem hora que bate uma tristeza e eu fico meio ‘deprê’, mas essa ação de hoje representa um momento de alegria e mostra que as pessoas se lembram da gente”, conta.

Pacientes da Unidade E do São José, destinada atualmente a pessoas que não têm Covid-19, puderam ouvir diversos clássicos do forró na voz da assistente social Dávila Rodrigues. Cantora profissional de quadrilhas, a residente destaca a satisfação de participar do projeto. “A residência multiprofissional tem esse perfil de sempre trabalhar de forma interligada, olhando não somente as condições biológicas do paciente, mas também os aspectos biopsicossociais dele. Pra mim, é um prazer ter a possibilidade de cantar aqui e fazer essas pessoas felizes”, conta.

Ivanildo Alves festeja ao lado da fisioterapeuta residente Fátima Lima

O projeto é fruto da Residência Integrada em Saúde do HSJ e tem apoio de 20 residentes, entre psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas e farmacêuticos. A cada ação, os profissionais percebem o aumento do bem-estar dos pacientes. “O projeto surgiu a partir de alguns atendimentos que nós, psicólogas, fizemos. A gente notou que a música era capaz de minimizar sintomas de ansiedade, que são bem característicos da hospitalização. Além de ser uma estratégia de humanização no ambiente hospitalar, este momento gera nos pacientes emoções e sentimentos de alegria e descontração”, explica a psicóloga Mayara Braga.

Ivanildo Alves de Freitas ficou surpreso com a entrada dos residentes no leito onde está internado. Com um chapéu de palha na cabeça, o paciente de 47 anos acompanhou com palmas as músicas. “Foi muito importante a vinda delas para cá. Eu estava me sentindo meio pra baixo, mas elas me animaram”, diz. “Iniciativas como estas no ambiente hospitalar são importantes por funcionar como um dispositivo essencial no processo de tratamento de pacientes internados. Desta forma, é possível minimizar os impactos que a hospitalização traz para o paciente, como o distanciamento de sua rotina diária e de familiares”, acrescenta a psicóloga residente Aiala Melo.