PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Dia da Ciência: o trabalho dos pesquisadores científicos da SSPDS no combate aos crimes

8 de julho de 2021 - 14:26 # # # # #

Ascom SSPDS

Estudos, pesquisas, projetos estratégicos e análise de dados criminais. Aliadas com a tecnologia, essas funções são desenvolvidas e executadas todos os dias pelos pesquisadores da Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp), órgão vinculado à Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará (SSPDS/CE). Neste dia 8 de julho, é comemorado o dia dos profissionais que estão por trás desse trabalho: os pesquisadores científicos. No Ceará, eles desenvolvem diversas atividades voltadas para a criação de ferramentas que auxiliam os trabalhos das forças de segurança no combate aos crimes.

Para o superintendente da Supesp, Dr Helano Matos, celebrar o dia é uma maneira de dar destaque aos profissionais que vem realizando um excelente trabalho dentro da instituição. “A Supesp está ligada diretamente à área de pesquisa e ciência, pois a nossa missão é realizar estudos e projetos voltados para o fortalecimento da formulação da política da segurança pública no Estado. Dessa forma, parabenizo todos os pesquisadores e cientistas que têm contribuído para o desempenho e cumprimento dessa missão. São doutores, mestres e bacharéis em várias áreas do conhecimento, tais como estatísticos, geógrafos, economistas, cientistas da computação, entre vários outros segmentos de trabalhadores que estão, diariamente, atuando com metodologia científica baseada em evidências para combater e prevenir as ações criminosas”, disse ele.

Na área da segurança pública, equipes de pesquisadores trabalham em secretarias ou órgãos mais estratégicos do Governo do Estado para identificar soluções de ciência, tecnologia e inovação. Uma dessas ferramentas é o Programa Cientista Chefe, que visa unir o meio acadêmico e a gestão pública. O projeto é realizado pelo Governo do Estado do Ceará, por meio de parceria entre a Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap) e a Universidade Federal do Ceará (UFC). A iniciativa contempla projetos em áreas estratégicas, como a segurança pública, saúde, educação, ciência de dados, proteção social, entre outras.

O superintendente da Supesp reforçou a importância da execução do programa que tem contribuído para a redução dos indicadores criminais e a melhoria dos serviços públicos destinados à população cearense. “É importante destacar também que o programa tem auxiliado bastante o desenvolvimento dos nossos pesquisadores que atuam na identificação de manchas criminais e, principalmente, na criação de novas tecnologias para o combate à criminalidade. Com isso, ganha tanto as forças de segurança como a população cearense”, finalizou ele.

Atualmente, na área da segurança pública, há três projetos de pesquisas sendo beneficiados pelo Programa Cientista Chefe. No primeiro, intitulado de “Segurança Pública com Foco em Consciência Situacional”, a equipe atua com o objetivo de otimizar a integração de informações e ferramentas relacionadas à gestão da segurança pública, utilizando o conceito de consciência situacional nos órgãos da segurança.

O segundo projeto foi denominado de “Ambiente Analítico e Técnico Científico da Segurança Pública do Ceará”. Nesse, os pesquisadores têm a função de acompanhar e gerir os projetos de pesquisa e desenvolvimento em andamento na SSPDS, em particular, o projeto estruturante de inovação tecnológica recém-proposto: o “Gestão de Segurança Pública com Foco em Consciência Situacional”.

Já o último projeto em andamento é o “Plataforma Multi Biométrica e Monitoramento Inteligente”. Nele, os profissionais desenvolvem soluções tecnológicas para que seja criado um novo modelo de registro civil com uso de tecnologias e inteligências que garantam uma rápida coleta de dados de qualidade, além de estarem projetando uma plataforma de identidade digital.

Todas as funcionalidades dos projetos são supervisionadas pela cientista chefe e professora da UFC, Emanuelle Santos. Já a coordenadoria é feita pela da Diretoria de Pesquisa e Avaliação de Políticas de Segurança Pública (Dipas) da Supesp. Para a diretora do Dipas, Manuela Cândido, a gestão atual trabalha sob a ótica da segurança pública baseada em evidências.

“Nosso corpo técnico é formado por pesquisadores da área de economia, geografia, tecnologia da informação, segurança pública, entre outras. Na Dipas, atuamos na realização e acompanhamento de pesquisas que possam agregar às políticas de segurança pública, sempre pautadas pelo rigor do método científico. Parte do nosso trabalho é o monitoramento das ferramentas tecnológicas desenvolvidas pelo programa cientista chefe”, concluiu ela.

Tecnologias Aplicadas

Baseada em evidências e no emprego de dados, a Supesp tem contado com mais dois grandes aliados: os sistemas Status e Agilis. O Sistema Tecnológico para Acompanhamento de Unidades de Segurança (Status) foi criado para auxiliar na identificação de manchas criminais e tomadas de decisões. Já o Agilis, que opera em conjunto com o Sistema de Videomonitoramento da SSPDS, contando atualmente com mais de 3.300 câmeras espalhadas em todo o Ceará, detecta e exibe em sua interface pontos de capturas de veículos em mapa, com informações detalhadas. Juntas, as ferramentas tecnológicas desenvolvidas pelo órgão subsidiam os trabalhos das equipes policiais e geram resultados diretamente aplicados à redução da violência e da criminalidade no estado do Ceará.

Outra ferramenta desenvolvida pela Supesp foi destaque em uma premiação internacional. O Sistema de Georreferenciamento Operacional, conhecido como “Sigo”, foi desenvolvido, em 2019, com o intuito de auxiliar na operacionalização de recursos utilizados pelo Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE). A ferramenta também possibilita que operadores da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) da SSPDS elaborem rotas que sejam mais acessíveis pelas equipes do Corpo de Bombeiros, além de servir também para mapear hidrantes na região de uma ocorrência de incêndios.

O sistema conquistou o terceiro lugar na final do VI Prêmio Anual Gestion para Resultados en el Desarollo 2020, na categoria “Monitoramento e Avaliação – Províncias e Estados”. O evento ocorreu em maio deste ano. O Ceará também alcançou o terceiro lugar na “Categoria Geral – Províncias e Estados”, por um projeto desenvolvido pela Secretaria de Planejamento e Gestão do Ceará (Seplag/CE).