PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Protocolos de identificação e controle de circulação de novas variantes do coronavírus são reforçados no Ceará

16 de julho de 2021 - 14:22 # # # # # #

Ascom Sesa

A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) segue reforçando os protocolos de controle de circulação de variantes de preocupação do coronavírus no Estado e intensificando os procedimentos para identificação das novas cepas. Desta forma, o potencial turístico dos municípios cearenses inspira cuidados especiais devido à circulação maior de turistas neste período de férias, assim como o retorno das férias de cearenses que viajaram para áreas com diagnóstico de novas variantes.

Uma dessas ações é o acompanhamento, junto às unidades de saúde e ao Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce), dos casos indicados para sequenciamento genômico das amostras coletadas em testagem de Covid-19.

As unidades de saúde devem realizar busca ativa diária dos seus pacientes com suspeita da doença, sejam eles ambulatoriais, atendidos na Emergência, ou internados que se enquadrem em um dos critérios descritos abaixo:

– Histórico de viagens: pacientes com sinais e sintomas de Covid-19 com viagens oriundas de áreas com registro de novas variantes e seus contatos sintomáticos próximos ou domiciliares. Isso inclui profissionais da saúde sintomáticos que realizaram atendimento a esses pacientes;

– Sintomas de Covid-19 pós-vacina (escape vacinal): sintomas com pelo menos duas semanas da segunda dose de vacina;

– Óbitos ou casos graves de Covid-19 sem aparente comorbidades ou fatores de risco;

– Suspeitos de reinfecção.

Deve ser dada atenção maior a possíveis casos de pacientes com histórico recente de viagens, particularmente de áreas consideradas de risco para variantes Alfa, Beta e Gama, além de outras variantes emergentes.

Atualmente, quatro variantes do coronavírus são consideradas como de preocupação. Elas são de linhagens distintas e de regiões geográficas distintas: Reino Unido, África do Sul e Índia, além do Brasil. A variante Alfa (Reino Unido) já foi registrada em 83 países, inclusive no Brasil, e a variante Beta (África do Sul), em 40 países. A Gama, conhecida como a variante brasileira, apresenta a maior taxa de circulação no País e já foi documentada em pelo menos 21 outros países, segundo a nota técnica. A Delta (indiana) é a que apresenta a maior taxa de expansão global no momento.

Sequenciamento

Em junho de 2021, 224 amostras de casos suspeitos de Covid-19 foram encaminhadas à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) no Ceará para sequenciamento genômico. Destas, 148 foram confirmadas como P1 (66,1%), variante detectada em Manaus em novembro de 2020; outras 76 amostras (33,9%) são variantes de outras linhagens.

A vigilância genômica e o monitoramento de circulação de novas variantes de preocupação do Sars-CoV-2, causador da Covid-19, foi ampliada no estado cearense. Desde janeiro deste ano, a Sesa, por meio da Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica e Prevenção em Saúde (Covep), em parceria com o Hemoce, o Laboratório Central de Saúde Pública do Ceará (Lacen) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), tem realizado busca ativa, coleta de amostras e acompanhamento de casos importados – em viajantes sintomáticos – com suspeita da doença. Também estão sendo monitorados os indivíduos que estiveram em contato com estas pessoas e que desenvolveram sintomas.

Testagem para viajantes

Nesta semana, a Sesa inaugurou o Centro de Testagem para Viajantes no Aeroporto Internacional de Fortaleza – Pinto Martins para reforçar o enfrentamento da doença no Ceará. O projeto-piloto vai submeter viajantes de voos nacionais à testagem por amostragem, além da aferição de temperatura corporal e triagem de sintomas pelas barreiras sanitárias.

Cada voo terá de 5% a 10% de seus passageiros escolhidos aleatoriamente para realização do teste rápido de antígeno. Os passageiros que apresentarem sintomas para síndrome gripal também poderão ser submetidos à testagem. Aqueles que tiverem resultado positivo farão imediatamente a coleta do exame RT-PCR no equipamento estadual, temporariamente instalado nas vans de testagem móvel do Lacen.