PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Ambulatório de Estomaterapia do Hospital de Messejana oferta atendimento especializado no cuidado de lesões

21 de julho de 2021 - 16:27 # # # # #

Jéssica Fortes - Ascom HM - Texto e Fotos

Equipe do serviço realiza uma média de 110 atendimentos, entre consultas ambulatoriais e visitas hospitalares

Indispensável em uma unidade hospitalar, a Estomaterapia é uma especialidade da Enfermagem destinada ao cuidado de pacientes com estomias, feridas agudas ou crônicas, fístulas e incontinências anal e urinária. O serviço de Estomaterapia do Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes (HM) atua há 22 anos na prevenção, no tratamento e na reabilitação dos pacientes, buscando as melhores alternativas de cuidado, seja no ambiente hospitalar ou ambulatorial.

Para Jane Maria de Carvalho, de 58 anos, o trabalho da Estomaterapia foi fundamental para sua recuperação. Ela teve uma lesão por pressão em decorrência do período de internação por Covid-19. “Cheguei aqui com muita dor, era uma lesão muito grande na região sacral (acima do cóccix). Não conseguia sentar. Foram dias difíceis. Os profissionais me deram toda a orientação e ensinaram minha filha a fazer a limpeza e alguns curativos. Tomamos todos os cuidados em casa e não deixamos de vir para as consultas semanais. Graças ao tratamento, a lesão já está fechada e, em breve, terei alta do ambulatório”, conta agradecida a moradora de Iguatu.

Assim como ela, outros 25 pacientes são atendidos semanalmente no ambulatório do HM, que funciona todas as manhãs, de segunda a sexta-feira. Os pacientes acompanhados são egressos das cirurgias cardíaca, vascular ou torácica; muitos têm insuficiência venosa crônica ou doenças cardíacas, diabetes, lesões por pressão, sequelas do longo período de internação e/ou são fumantes. Além do atendimento ambulatorial, o serviço também é ofertado aos pacientes internados – tanto por meio de interconsultas, quanto por parecer especializado, solicitado antes da alta, por exemplo.

Os pacientes acompanhados pelo serviço são egressos das cirurgias cardíaca, vascular ou torácica

“Temos uma equipe de nove enfermeiras e duas técnicas de Enfermagem que atuam tanto em nível ambulatorial, quanto em nível hospitalar. Diariamente, realizamos uma busca ativa em todos os leitos de enfermaria e de UTIs [Unidades de Terapia Intensiva] do HM, para prevenir e tratar lesões. A prevenção é o nosso grande foco. Por isso, todo paciente que chega é avaliado. Utilizamos como recurso a escala de Braden para medir o risco dos pacientes críticos desenvolverem lesões por pressão. A partir desse registro, nós estabelecemos medidas preventivas ou um plano de cuidados”, explica a enfermeira e coordenadora do Serviço de Estomaterapia do HM, Aurilene Lima.

A profissional reforça que o atendimento ambulatorial possibilita a interação com outros serviços existentes na unidade, como a Cirurgia Vascular, a Psicologia e a Nutrição, que são acionados conforme a necessidade do paciente assistido. Mensalmente, a equipe chega a realizar uma média de 110 atendimentos, entre consultas ambulatoriais e visitas hospitalares.

Olhar especializado

A Estomaterapia não é apenas a troca de curativos. A especialidade exige do profissional um olhar clínico e científico para cada caso. “O profissional deve prevenir possíveis complicações, estar atento ao material indicado para cada tratamento e avaliar os resultados diariamente. As doenças devem ser controladas e a condição psicológica também precisa ser acompanhada. Todos os cuidados, quando são integrados ao trabalho de uma equipe multidisciplinar, impactam no tempo de internação, ajudam a reduzir custos e diminuem o sofrimento de pacientes e de seus familiares, devolvendo-os ao ambiente familiar”, ressalta a enfermeira.